Por John Stott

“Eis que coloquei diante de você uma porta aberta que ninguém pode fechar.” (Apocalipse 3.8)

Ao escrever à igreja de Filadélfia, Jesus refere-se a si mesmo como aquele que tem a chave de Davi, com a qual ele pode abrir portas fechadas e fechar portas abertas. Por isso, ele pode dizer à igreja em Filadélfia: “Eis que coloquei diante de você uma porta aberta que ninguém pode fechar” (v. 8). O mais provável é que essa porta aberta representasse uma porta de oportunidade, particularmente para missões, uma vez que o apóstolo Paulo várias vezes recorreu a essa metáfora em suas cartas. Por exemplo, ao retornar de sua primeira viagem missionária, Paulo registrou que Deus “abrira a porta da fé aos gentios” (At 14.27), enquanto em sua terceira viagem missionária, ele escreveu que “uma porta ampla e promissora” se abrira para ele em Éfeso (1Co 16.9).

No caso de Filadélfia, talvez a porta aberta fosse uma referência à localização estratégica da cidade. Situada em um extenso e fértil vale, ela controlava as rotas comerciais em todas as direções. Sir William Ramsay, arqueólogo do início do século 20, relatou que era intenção de seu fundador, no segundo século antes de Cristo, “torná-la o centro da civilização greco-asiática e um local de propagação da língua e da cultura grega… Filadélfia foi uma cidade missionária desde o princípio”. Assim, aquilo que a cidade tinha sido para a cultura grega ela era agora para o evangelho cristão. Ela foi construída na rota de uma das grandes estradas romanas que se estendia até o interior. Ninguém poderia fechar essa porta. A igreja de Filadélfia deveria agarrar essa oportunidade e sair pregando as boas novas com ousadia.Graças a Deus há muitas portas abertas para missões no mundo hoje. Mas precisamos enfrentar a realidade das portas fechadas em outros lugares. Uma delas é uma porta política: o poder de governos hostis que restringem a liberdade religiosa. Outra é uma porta cultural: o poder de ideias estranhas que criam preconceitos na mente das pessoas. Há uma terceira porta, étnica: o poder de lealdades nacionalistas que confundem religião com patriotismo. Devemos manter nossos olhos fixos na grande chave na mão de Cristo.

Para saber mais: Apocalipse 3.7-13

Texto originalmente publicado no devocionário A Bíblia Toda o Ano Todo.


Leia mais:
» Carta à igreja de Laodiceia – De todo o coração
» Carta à igreja de Éfeso – Amor

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.