Aqui vai uma velha canção. Ela foi gravada num CD comemorativo pela formatura da primeira turma de História da Unesc. O CD é uma raridade; quem tem, tem. Tem uma foto de uma criança ianomami na capa e leva o título Músicas e poemas: verdades que vi.

Uma cidade precisa de espaço preciso
De luz verdadeira, de chão repartido,
Por onde se encontrem o amor e o saber,
Um universo de gente que pinta o futuro
Na tela, no quadro, na cara, no muro,
Na face de tudo o que busca viver.

Conta comigo no sonho e na vida!
Conta comigo na mão estendida!
Conta comigo, que a história não pode esperar pelo trem.
Conta comigo, levanta a bandeira!
Conta comigo, sacode a poeira!
Conta comigo, que o tempo é de quem quer lutar por alguém.

Uma pessoa precisa de amor partilhado,
De pontes inteiras, caminho traçado,
Por onde circulem perdão e querer,
Uma floresta encantada de frutos e flores,
De trilhas abertas e diversas cores,
De aromas e cantos que fazem viver.


  1. Minha amiga Maria Claudia, (comentário em Verdade Nua e a Parábola), me indicou essa música.`
    É tanta beleza e verdade que não consigo parar de ouvir.
    Preciosa demais essa canção.

  2. Continuo ouvindo…

    Não tenho palavras pra agradecer seu gesto tão generoso em permitir que não só eu, mas outras pessoas também a desfrutar dessa pérola.
    Muito obrigado pelo envio dessa canção, agora pessoas que talvez nunca teriam ascesso a ela, poderão desfrutar também dessa obra. Pessoas sofridas e carentes que foram educadas para aceitar o que lhe oferecem sem saber que existe um rio além do córrego que lhes mostraram.
    Pessoas como a mãe do Linderbergue, (rapaz que matou a Eloá, depois de tê-la mantido como refém), um jovem trabalhador que num dado momento perdeu o controle da sua vida. Ministrei uma palestra em uma igreja pastoreada por um grande amigo e lá conheci aquela mãe, que hoje é rotulada como a mãe de um assassino, a mãe de um “monstro”. Mulher que não consegue encarar as pessoas, e no final da reunião veio falar-me sobre a sua solidão. Mulher que hoje não tem nome, nem identidade.
    Uma mulher que precisa da mão estendida, amor partilhado
    De pontes inteiras, caminho traçado,
    Por onde circulem perdão e querer…

  3. Oi, Gladir…
    eu sempre via seu nome em algumas musicas, mas nunca cheguei a tomar a decisão de visitar seu site..
    Ate q agora precisei fazer uma pesquisa de um hino pra a campanha trimestral da igreja, e achei essa musica sua…Nossa, vc n tem ideia de como eu fiquei feliz: primeiro por ter achado A MUSICA, e segundo pq ela é linda demais!! a letra então, nem se fala..
    Bem de agora em diante serei comentarista assídua aqui.Espero q vc n encha o saco de minha pessoa.Mas gostaria q vc soubesse q sua música é de qualidade e você é um gênio, Deus o abençoe

    Kadija Teles- Salvador Bahia

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.