Proteja sua mente

SÉRIE |
Conversando Sobre o Futuro – a vocação continua  |  Estudo 5

Texto básico: Fp 4.6-9

Textos de apoio
– 2 Co 4.7-18
– Pv 4.20-23
– Sl 32.3-5
– Mc 7.20-23
– Pv.14-30
– Sl 123.1-3

Introdução

Como um curioso filho de psiquiatra pude ver o quão estreita é a relação entre a mente e o corpo. Seus efeitos podem ser tanto positivos quanto negativos mas, sem dúvida, relevantes. Não é a toa que a Bíblia traz tantos conselhos sobre guardar nosso coração.

Talvez por seu aspecto de subjetividade, um certo receio das ciências ligadas à mente humana ou ao mau uso deste conhecimento, acabamos negligenciando tanto a busca por diagnóstico de nossos problemas mentais, bem como seu acompanhamento profissional. Dado referido na revista World Psychiatry em 2010 chama a atenção para que 90% das pessoas que tem problemas mentais não recebem o tratamento adequado em países menos desenvolvidos.

De acordo com a OMS, 15% dos problemas de saúde do mundo estão associados à saúde mental. Depressão, por exemplo, só fica abaixo de problemas do coração.

Ao contrário do corpo, o espírito não envelhece. Durante o evoluir da idade começamos a perceber o distanciamento entre fragilidade do corpo e a robustez da mente. “Não me sinto velho ou velha” é uma expressão comum. No entanto, precisamos monitorar aquilo que pode comprometer nossa mente como a falta de sono, o estresse prolongado, a ansiedade e a depressão. Procure se informar como estes três fatores estão relacionados entre si e à saúde do corpo.

O sono, é fundamental para restabelecer todo equilíbrio mental e fisiológico do nosso organismo, é uma bênção que podemos usufruir quando reconhecemos nossas limitações e confiamos no zelo do nosso Deus (Sl 127.2).

Assim como nosso corpo, a mente precisa de exercícios para permanecer saudável, as preocupações e as demanda do dia-a-dia não podem nos afastar das práticas devocionais como a leitura bíblica, meditação, oração, confissão de pecados e louvor. Deus sabe muito bem como fomos criados, e obedecê-lo é uma resposta de amor e um sinal de sabedoria.

Para entender o que a Bíblia fala com base em Filipenses 4.6-9

1) O que pode causar a ansiedade, e quais as suas consequências? (Jr 17. 7-8; Ec 11.10; Pv.12.25)

2) O que a Bíblia fala sobre confiança em si mesmo e confiança em Deus, entre autoajuda e ajuda do alto. (Dt 8.11-18; Ne 4.19-21; Sl 20.6-7; Sl 127;1-2)

3) Paulo propõe um exercício para nosso coração. Relacione este exercício com o texto de Mt 12.34.

Hora de Avançar

A capacidade humana para suportar seus males
depende mais de seu estado de alma
do que da gravidade desses males.
Paul Tournier

Para pensar

A Bíblia não é um livro de autoajuda, muito menos de psicologia. Ela revela quem é nosso Deus e como ele se relaciona com ser humano.

A psicologia e a psiquiatria, enquanto ciência, descobrem a lei com que Deus nos criou, entendem o funcionamento da mente humana, do nosso organismo e a relação entre eles. À semelhança de outras especialidades médicas, farmacêuticas ou fisioterapêuticas.

Olhando a importância da ciência na melhoria da saúde humana, podemos fazer uso da graça comum dispensada por Deus diante dos problemas da mente, assim como o fazemos diante dos problemas do corpo.

O que disseram

“A saúde mental não se relaciona à cura de uma enfermidade, mas indica a capacidade que uma pessoa tem de lidar com seus sentimentos, pensamentos e comportamento, e administrá-los mesmo nas situações desastrosas, de faltas e de perdas.” (Esther Carrenho, em Ultimatoonline).

“Senhor, fui moço e agora sou velho… e às vezes sinto medo do futuro, da enfermidade, da solidão, da viuvez e da morte. Ajuda-me a não me preocupar com essas possibilidades. Ajuda-me a não ser hipocondríaco. Ajuda-me a fixar meu olhar em Jesus e a apropriar-me de suas virtudes. Ajuda-me, dia após dia, a ter vivas em minha mente suas lindas e maravilhosas promessas.” (Kléos Magalhães Lenz César, 80 anos, em Experiência e Esperança na Velhice, Editora Ultimato, 2015).

“Quando se trata de depressão, deve-se evitar a palavra doença. É mais apropriado usar a expressão transtorno psíquico. Outra observação: quando a depressão se instala, apelos bem intencionados, conselhos na linha do pensamento positivo e exemplos desafiadores só contribuem para que o deprimido sinta-se ainda mais incapaz e desalentado.” (Uriel Heckert, em Ultimatoonline).

Para responder

  • Pare e reflita: como anda seu nível de estresse e a qualidade de seu sono nos últimos dois meses?
  • Quais situações são capazes de tirar seu sono? Compartilhe em grupo coisas práticas que podem ser feitas para melhorar a qualidade do sono.
  • Você conseguiria distinguir entre tristeza e depressão? Investigue sobre os caminhos utilizados para superar este que foi conhecido como um dos males do século.

Eu e Deus

Sei que não devo me preocupar demasiadamente com as coisas que estão por vir. Sei que devo colocar minhas preocupações diante de Deus. Muitas vezes tento resolver coisas sobre as quais não tenho o mínimo controle. Como o Salmista, os meus pecados e minhas falhas veem constantemente à mente.

Deus, perdoa-me a minha falta de fé. Ajuda-me a derramar meu coração em teu altar. Ensina-se a confiar em ti e a não ser omisso com aquilo que está ao meu alcance fazer.

Autor: Marcelo Barreto

Leia mais:

» Velho aos 50 anos? | Kléos M. L. César

» Os idosos também precisam de restauração, Elben César

» Aprendendo a envelhecer | Joel Tibúrcio

» Não só de remédios vive o idoso, Elben César

Print Friendly, PDF & Email

Nenhum comentário ainda.

Deixe um comentário