Boas obras – causa ou efeito?

SÉRIE |
Conversando Sobre a Fé Cristã  |  Estudo 5

Texto básico
Tito 2.11-14

Introdução

A salvação não diz respeito apenas à vida além do túmulo, como se fosse uma passagem para o céu, adquirida gratuitamente e guardada para ser usada na hora da morte. Não! A salvação envolve mudança de vida, novo começo, agora com Cristo. A sinceridade de nosso arrependimento e a autenticidade de nossa fé se evidenciarão nessa mudança. As boas obras não são a causa da salvação, mas seu efeito.

Então, se você, de fato, recebeu Jesus como seu Salvador, a coisa mais correta e segura que pode fazer agora é recebê-lo e confessá-lo também como seu Senhor. Leia o quadro ao lado.

Praticamente, isto significa que você, daqui para a frente, lerá a Bíblia regularmente a fim de saber qual é a vontade de Deus e de Cristo para sua vida, e tudo fará com oração, pedindo ao Senhor Jesus que o conduza e o ajude a praticar as boas obras.

Para entender o que a Bíblia fala

1. Jesus pregava: “Arrependam-se e creiam…” (Marcos 1.15). E “Quem crê tem a vida eterna” (João 6.47). Depois, aos que se arrependiam e criam, ensinava as boas obras. Seus ensinos mais conhecidos estão no chamado Sermão do Monte, em Mateus 5 a 7 e Lucas 6.20-38. Leia-o depois. Agora, leia apenas Mateus 5.14-16. Note o propósito maior das boas obras (v.16).

2. Leia também Atos 26.20. O que o apóstolo Paulo normalmente dizia aos seus ouvintes quando pregava o evangelho? Nunca se esqueça dessa sequência:

a) Arrepender-se
b) Voltar-se para Deus (Implicitamente, crer em Deus e em Cristo)
c) Boas obras, mudança de rumo, conversão (Evidência de fé verdadeira)

3. O apóstolo Paulo ensinava também que “uma pessoa é declarada justa diante de Deus pela fé em Jesus Cristo, e não pela obediência à lei” ou seja, pelas obras (Gálatas 2.16). Mas veja que escreveu esse mesmo apóstolo em Tito 3.8 e em 2 Coríntios 5.17.

Então, uma vez mais, qual é a sequência? Como a fé consciente e sincera se manifesta?

4. Sobre fé e obras, que disse o apóstolo Tiago? Tiago 2.17.

5. As boas obras não são atos de caridade, apenas; são sentimentos, atitudes, procedimentos, ações e reações como os de Cristo. Veja em 1 Pedro 2.21-23 o que o apóstolo Pedro escreveu sobre Jesus. Seguir os passos de Jesus significa fazer as coisas como ele faria se estivesse em nosso lugar.

6. Por que os primeiros seguidores de Cristo, os discípulos, foram chamados cristãos? (Atos 11.26). Certamente porque seu modo de ser, falar e agir lembrava o de Cristo! Precisamos recuperar o sentido original desse honroso cognome! Leia o quadro ao lado.

7. No Velho Testamento, lugares, pessoas, animais e objetos separados para o serviço de Deus eram chamados santos. O termo hebraico significa separado (Levítico 20.26). No Novo Testamento, os cristãos também são chamados santos (Efésios 1.1). Estão separados para Deus e para Cristo, para serem propriedade sua. Quando cremos em Cristo e o recebemos como nosso Salvador e Senhor, tornamo-nos santos, no sentido do termo. Depois, progressivamente, aprendemos a viver como tais, aprendemos a praticar as boas obras. O processo é chamado santificação. É obra do Espírito de Cristo ou Espírito Santo, mas com a nossa participação. Uma das passagens mais importantes sobre o assunto é I Pedro 1.14-19. Note o seguinte nesta passagem:

» Os verdadeiros filhos de Deus são filhos obedientes”. Não podem mais voltar “ao seu antigo modo de viver” (v.14).

» Devem ser santos porque Deus, o Pai, é santo, e “os julgará de acordo com suas ações” (vs. 15-17).

» A grande motivação para a vida de santidade é o preço que Jesus pagou para resgatar-nos do pecado, livrar-nos do poder do pecado: o seu próprio sangue (v. 18-19).

8. Outra passagem importante é Tito 2.11-14. Note nesta passagem:

» A graça salvadora de Deus (seu favor) já foi revelada na vida e obra de Jesus e nos encoraja a abandonarmos o velho estilo de vida e os prazeres do pecado, e vivermos “com sabedoria, justiça e devoção” (vs.11-12).

» A “bendita esperança” da volta de Cristo nos anima e responsabiliza! (v.13).

» Outra vez, como na passagem anterior, somos lembrados de que Cristo “entregou sua vida para nos libertar de todo pecado, para nos purificar e fazer de nós seu povo, inteiramente dedicado às boas obras” (v.14).

9. Em casa, durante a semana, leia Efésios 4.17 a 6.9. Anote e traga escrito o que aprender ali sobre vida cristã, santidade e boas obras.

10. Não é fácil praticar boas obras e viver uma vida verdadeiramente cristã. De fato, só será possível com a ajuda do Espírito Santo, com muito estudo Bíblico, com muita oração e a ajuda de uma boa igreja. Por isso, nossos próximos estudos serão sobre O Espírito Santo, O Estudo da Bíblia, A Oração, A Igreja.

JESUS, SENHOR

O termo Senhor (Kurios) é frequentemente aplicado a Jesus no Novo Testamento, algumas vezes como título de respeito, mas, na maioria das vezes, como indicação de sua exaltação, autoridade e divindade (Fp 2.9-11). Os romanos declaravam a autoridade do imperador com esta saudação: Kurios Caesar! (César é Senhor!) Mas os cristãos diziam: Kurios Iesous! (Jesus é Senhor!). Com prazer e honra, confessavam ser “doulos”, servos de Cristo (Romanos 1.1).

 

Autor: Éber Lenz César

PARA SABER MAIS

> A Vida em Cristo, John Stott
> Cristianismo Básico, John Stott
> Como Ser Cristão, John Stott
> Por Que Sou Cristão, John Stott

Print Friendly, PDF & Email

Um comentário para “Boas obras – causa ou efeito?”

    Error thrown

    Call to undefined function ereg()