A oração radical

A Oração Radical

O estudo bíblico de hoje foi preparado com base no artigo Gritos de socorro, publicado na edição 336 da revista Ultimato.

Texto básico: Tg 4.1-10

Textos de apoio
Rm 7.14-24
Gl 5.16-26; 6.7-10
Ef 6.10-18
Sl 51
Sl 121
Hb 2.17-18; 4.14-16; 5.7-9; 10.19-23

Introdução

“Radical” significa “relativo à raiz” e “raiz” refere-se ao fundamento de algo. Assim, “radical” é o que ultrapassa a aparência e chega à essência. Logo, uma oração radical acerca de nós mesmos não se limita a tratar de comportamentos, mas vai à fonte deles: nossa raiz.

E o que está na raiz do ser humano? Pecaminosidade! É esta sua condição após a queda: pecador – incapaz de acertar o alvo, que é amar, pois desconfia daquele que é amor. De fato, em Cristo, somos participantes da natureza do Pai, pelo Espírito; porém, até que nossos corpos sejam glorificados, o pecado, instigado pelo mal, continua tentando reinar em nossos membros.

Portanto, somos conclamados a tomar a nossa cruz, mortificando diariamente a carne, como sinal da nossa identificação com a morte de Jesus. E não podemos usar armas carnais se é a carne que queremos ver derrotada! Tudo o que podemos fazer é gritar por socorro ao Pai que ressuscitou o Filho pelo poder do mesmo Espírito que está em nós. Isso é oração radical!

Para entender o que a Bíblia fala

De acordo com o texto básico deste estudo, qual é a raiz dos nossos comportamentos reprováveis (Tg 4.1)? Como a confissão e o grito de socorro de Paulo em Rm 7.14-24 explicitam essa visão bíblica da natureza humana?

Quais termos são utilizados por Tiago para expressar a condição de seus leitores (4.4, 8)? Como o sentido de “duplo ânimo” (4.8) – ou “coração dobre” (1.8) – pode ser melhor compreendido à luz de Gl 5.16-26, 6.7-10? (Veja também Tg 3.10-12.)

De quem vem a força que tenta nos pressionar para darmos vazão aos deleites da carne (Tg 4.7)? (Veja também Tg 3.14-15.) De que maneira Ef 6.10-18 elucida a dinâmica existente entre essa força e a resistência que deve ser feita a ela?

Qual é a atitude básica apontada por Tiago para vencermos essa batalha (4.7-10)? Como os salmos 51 e 121 expressam essa atitude?

De acordo com Tiago, por que podemos estar seguros de tomarmos esse caminho (Tg 4.6-7a)? De que forma a vida, morte e ressurreição de Jesus reforçam essa confiança (Hb 2.17-18; 4.14-16; 5.7-9; 10.19-23)?

Hora de avançar

“De sã consciência, ninguém tem condições de dizer que pode dispensar as orações radicais de livramento.”

Para pensar

Em Cristo, padecemos por ainda reconhecermos o pecado na nossa carne. Gememos na esperança da glorificação, pela redenção definitiva do corpo, quando nossa participação na natureza divina, como filhos adotivos de Deus, enfim se manifestará plenamente.

Mas nessas presentes aflições não estamos sozinhos; tanto o Espírito de Cristo quanto o próprio Cristo intercedem por nós, segundo a vontade do Pai. E se o Pai operou no Filho e está operando pelo Espírito em nosso favor, quem será contra nós? Podemos ter plena confiança de nos achegarmos a ele em oração radical, certos de que é exatamente na nossa raiz que ele começou a boa obra – a qual concluirá. A ele gritemos por socorro, pois nada pode nos separar do seu amor, que nos socorreu, socorre e sempre socorrerá em Cristo!

(Veja Rm 7.14-8.39.)

O que disseram

“Sei onde estou / Olhando pra mim, posso saber que nada sou / Eu grito pra Ti, ó, Deus! / Vem me socorrer! / Olhando pra mim, posso saber que nada posso fazer” (Parte da letra da canção “Vem me socorrer”, da banda Palavrantiga).

“Àquele que é poderoso para impedi-los de cair e para apresentá-los diante da sua glória sem mácula e com grande alegria, ao único Deus, nosso Salvador, sejam glória, majestade, poder e autoridade, mediante Jesus Cristo, nosso Senhor, antes de todos os tempos, agora e para todo o sempre! Amém” (Jd 24 e 25).

Para responder

Sua atitude de coração evidencia ser você alguém que padece, sofre aflições, geme por reconhecer o pecado ainda tentando atuar nos membros do seu corpo?

De que forma prática esse sentimento tem se traduzido em resistência ao diabo e mortificação dos desejos carnais?

Onde você tem buscado poder para essa batalha: no braço ou nos joelhos? Quais têm sido as suas armas?

Quão radicais, nesse sentido, têm sido as suas orações?

Eu e Deus

Ao orar por você, ore com radicalidade; vá à raiz do problema. Sinta a miséria da carne; lamente, chore, padeça pela incômoda presença residual do pecado nos membros do corpo. Gema, suplique, implore, grite pelo livramento. E a graça virá certamente ao seu encontro, até o dia em que o próprio Cristo virá novamente e nos levantará de uma vez por todas!

>> Autor do Estudo Bíblico: Jonathan Simões Freitas

Print Friendly, PDF & Email

Um comentário para “A oração radical”

  1. Joao 11 de agosto de 2016 at 20:23 #

    Sou pecador de todos os dias.
    e todos os dias lhe pido perdao.
    Todos os dias me drsperto me ajoelho e suplico o seu perdao. Grato pela palavra de esperança que puseram no meu coracao.
    Bem aventurados sejais todos

Deixe um comentário