Arquivo | julho, 2014

Quem precisa confessar pecados?

Não há quem não cometa pecado. Seja ele quem for. Pecado público e pecado escondido, pecado individual e pecado grupal, pecado leve e pecado grosseiro, pecado contra o Criador e pecado contra a criação, pecado contra a família e pecado contra a igreja, pecado consciente e pecado inconsciente, pecado novo e pecado repetido. Deus perdoa uma vez, sete vezes ou indefinidamente?

Continue lendo

Vocação — o chamado de Deus

Como posso escolher minha profissão tendo a certeza de que a escolha foi bem feita? Existe mesmo algo a que possamos chamar de vocação? Como posso descobrir para qual profissão o Senhor está me chamando? A doutrina cristã da vocação para o trabalho nos ajuda a enxergar sentido cristão em nossas atividades profissionais. Aliás, mais do que isso, ela nos ajuda a enxergar como nosso exercício profissional está ligado à vontade de Deus e como nosso trabalho se encaixa na providência divina para suprir as necessidades da sociedade onde vivemos.

Continue lendo

Trabalho — O que é isso?

Muitos cristãos fazem uma nítida separação entre sua vida espiritual ou religiosa e sua vida secular. Agindo assim, esses irmãos encontram muita dificuldade em perceber como sua fé deve se relacionar com todas as áreas da vida. Como essa convicção pode afetar o meu trabalho? É possível trabalhar para a honra de Deus e seu reino enquanto ‘apertamos farafuso’, ‘digitamos’, ‘varremos o chão da empresa’?

Continue lendo

Para que serve o arrependimento? Ele é mesmo necessário?

Para que serve o arrependimento? Ele é mesmo necessário? SÉRIE REVISTA ULTIMATO Textos Básicos:  Mt 3.1-10;  Sl 51.1, 2, 10-12 Introdução Há perdão para qualquer pecado. A única exceção é a blasfêmia “contra o Espírito Santo” (Mc 3.29). Mas o perdão gracioso de Deus nunca é automático. A convicção do pecado cometido e o arrependimento […]

Continue lendo

Juízo temerário versus discernimento espiritual

Se as Escrituras desencorajam o juízo temerário, elas encorajam o discernimento espiritual, sem o qual corre-se o risco de chamar o mal de bem e o bem de mal, a escuridão de claridade e a claridade de escuridão, o amargo de doce e vice-versa (Is 5.20). Como fazer diferença entre um e outro?

Continue lendo