Por Daniela Xavier, missionária que atuou na Tailândia. Texto escrito há umas semanas.

Chegamos ao Brasil. Na viagem, paradas estratégicas para descanso, lazer e retiro espiritual em família. Precisávamos de um tempo de depuração de tantas emoções, tensões, medo e renúncia que vivemos na Tailândia. Como foram difíceis nossos últimos meses ali. Todavia, a ida ao evento World Without Orphans (Mundo sem Órfãos) no norte da Tailândia foi o início de uma transformação radical!

É difícil dizer isso, mas o ministério nos espremeu. Nos sentimos uma laranja sem suco. Era muito trabalho, era ver impotentemente muito — mas muito — sofrimento e injustiça. Era suportar muita coisa, de mãos atadas, especialmente vendo gente que aprendemos a amar tanto numa situação difícil de mudar. O amor de Cristo é algo realmente constrangedor, porque Ele fortalecia mãos descaídas, joelhos trôpegos, olhos já sem lágrimas, coração com fé vacilante. Tentávamos consolar, saíamos consolados. Tentávamos abençoar e nos deparávamos com uma resiliência impressionante.

O que eu realmente quero compartilhar é que de 26 de outubro para cá nós nos reencontramos com o Deus Pai. Sim, é isso mesmo que você leu. Deus tinha virado nosso chefe. A gente orava, lia as Escrituras (menos do que deveríamos, vale ressaltar). A gente dava nosso melhor no trabalho com temor e diligência. Mas tínhamos perdido a alegria da comunhão paternal, aquela sem o peso do trabalho.

Ele, então, marcou um encontro no norte da Tailândia para nos tirar da rotina de estresse. Ele nos levou para passear quatro dias na Europa. Ele nos levou para passar um dia com Ele no Marrocos. Ele nos deu uma casa num sítio onde vimos tucanos e outros pássaros, onde tem cachorro vira-lata para gente brincar e muito ar puro!

Nós tivemos um reencontro poderoso com Deus naquele evento. Foi um tempo muito especial para nós. Num evento sobre crianças em vulnerabilidade e sem família, redescobrimos nossa filiação espiritual:

“Porquanto, todos os que são guiados pelo Espírito de Deus são filhos de Deus. Pois vós não recebestes um espírito que vos escravize para andardes, uma vez mais, atemorizados, mas recebestes o Espírito que os adota como filhos, por intermédio do qual podemos clamar: “Abba, Pai!” O próprio Espírito testemunha ao nosso espírito que somos filhos de Deus.” – Romanos 8:14-16

Voltamos diferentes para o Brasil. Voltamos apaixonados por nosso Pai. Ele não nos chamou para sermos seus funcionários. Ele nos chamou para fazer conosco uma família bendita. E não cabe mais gratidão em nosso coração. E obviamente, não descansaremos na luta pelas crianças sem família. Entramos nessa guerra para valer.

Na segunda-feira vou com Ele para seu escritório, vamos trabalhar juntos no computador para resolver algumas coisas da Kairós. Na quinta, Ele vai comigo, Saulo e as crianças conhecer nossa nova casa, que está em reformas e será entregue no fim do mês. Ele tem nos ajudado e sido presente. Ah, que benção é conhecer a Deus e desfrutar eternamente de Sua presença!

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.