O texto a seguir faz parte da edição especial de Últimas, nosso boletim editorial semanal. As palavras do nosso redator, o pastor Elben L. César, expressam o sentimento de toda Editora Ultimato com relação ao Natal. Os votos são para que essa festa seja comemorada em plenitude de significado. Feliz Natal!

A Equipe

 

Os privilegiados
Elben César

Quando esta vida apareceu, nós a vimos
(1 Jo 2)

Os primeiros a ver “quando esta vida apareceu” não foram João, Pedro e Tiago nem os demais apóstolos. Não foram os dois idosos que moravam em Jerusalém (Simeão e Ana). Não foi um casal muito especial para Maria (Zacarias e Isabel). Não foi o recém-nascido João Batista. Não foi o rei Herodes, que dizia querer muito adorar o menino. Na verdade, também não foram os magos que vieram do Oriente para presentear e se curvar diante da criança nem mesmo os pastores das montanhas ao redor de Belém, os únicos a receber as boas novas naquela noite.

Os primeiros a ver a vida quando ela apareceu se não foi a sortuda parteira, foram José e Maria, os pais do menininho. Além de ter concebido a criança de forma absolutamente contrária às leis da natureza e além do fato de ser Jesus o primeiro filho a nascer, Maria, além do marido, era uma das poucas pessoas que sabia que aquele nenê era o Verbo que se fazia carne.

Só depois de Maria e José (e a parteira, quem sabe) é que os pastores (não se sabe quantos) deixaram as ovelhas sozinhas e desceram as montanhas para ver o Salvador deles enrolado em panos e deitado numa humilde manjedoura. A partir daí, sabe-se que outras pessoas viram “a vida aparecer”, mas não se sabe quantas nem a ordem de chegada. Nesse grupo podemos arrolar os magos e os religiosos do templo que participaram da cerimônia da apresentação oficial de Jesus ao Senhor (o Pai), o piedoso Simeão (que aguardava ansioso esse dia) e a profetiza Ana, uma viúva muito idosa.

João e os demais apóstolos e discípulos só viram a “vida aparecer” quando Jesus era um adulto de trinta anos. De qualquer modo, eles entram no rol dos privilegiados.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *