O entusiasmo de N.T. Wright pela ressurreição de Jesus é impressionante, sobretudo quando se sabe que ele é professor de universidades como a Harvard Divinity School, da Universidade Hebraica de Jerusalém e da Universidade Gregoriana de Roma, e um dos mais conhecidos e respeitados estudiosos do Novo Testamento.

Em Simplesmente Cristão, Wright afirma que “a melhor explicação para o surgimento do cristianismo é crer que Jesus realmente ressurgiu, não como alguém que sobreviveu a um violento choque e reapareceu, fraco e desmoralizado, nem como um fantasma, mas um corpo humano vivo” (p. 125).
Mais adiante, o bispo anglicano de Durham, na Inglaterra, insiste que a ressurreição de Jesus “significa que o reino de Deus de fato chegou, e indica que temos uma tarefa a fazer: o mundo precisa ouvir o que o Deus de Israel, o Deus criador, realizou através do Messias” (p. 127).

Enquanto Wright coloca a ressurreição de Jesus lá em cima, há teólogos e exegetas protestantes e católicos que colocam o fato em dúvida e defendem “a hipótese de que, imediatamente após a morte de Jesus na cruz, os discípulos sentiram dentro do seu coração que Jesus estava vivo e então descreveram este fenômeno como se tratasse da ‘ressurreição’ de Jesus”.

Essa controvérsia acerca da ressurreição de Jesus valoriza ainda mais o livro de N.T.Wright, publicado no Brasil, em agosto de 2008, dois anos depois de seu lançamento em Londres (249 páginas).

Algumas frases de N.T. Wright, retiradas de Simplesmente Cristão

1.
A fé não pode ser forçada, mas a falta de fé pode ser contestada (p. 126).
2.
A despeito do entusiasmo surgido nas últimas décadas em relação a novas experiências espirituais, Deus não dá às pessoas o Espírito Santo para que elas desfrutem de uma espécie de “Disneylândia espiritual” (p. 134).
3.
Não há nada que possamos fazer em prol do reino de Deus sem o Espírito Santo. Sem o Espírito de Deus, a igreja deixa de ser igreja (p.135).
4.
Ser cristão sem desfrutar ao menos um pouco da intimidade com Deus me parece uma contradição (p. 149).
5.
Quando você adora a criatura no lugar do criador, isso pode lhe dar uma breve sensação de bem-estar, assim como uma droga alucinógena. Entretanto, isso tem um preço, e quando o efeito se vai, você descobre que se tornou um ser humano menor do que era antes. Esse é o custo da idolatria (p. 160).
6.
É melhor adorar a Deus ainda que desordenadamente, do que não adorá-lo de maneira nenhuma (p. 163).
7.
Não podemos permitir que os detalhes nos desviem do foco (p. 172).
8.
Deus quer endireitar o mundo, e para isso colocou em prática esse dramático projeto através de Jesus. Aqueles que pertencem a Jesus são chamados aqui e agora, para serem agentes desse projeto divino, pelo poder do Espírito Santo (p. 216).
9.
Precisamos da luz de Cristo para viver neste mundo tenebroso (p. 218).
10.
Deus está nos oferecendo perdão, a oportunidade de ganharmos uma ficha totalmente limpa, um começo realmente novo (p. 220).

  1. É realmente importante, no mundo em que vivemos, saber com certeza do sentimento cristão, simplesmente.
    O inimigo do reino de Deus está contaminando as mentes e as ações, não desejamos que somente alguns tenham a oportunidade de se salvarem.
    Tenho, só lendo estes trechos, a imprensão nítida de que podemos melhorar a compreensão da Palavra de Deus. O autor, a partir das apresentações, me parece um inspirado divino, sem medo de dizer o que realmente precisamos entender. Espero poder adquirir o livro brevemente.

  2. Diante de tantos questionamentos tolos que buscam suprir um vazio em nossa alma, vazio o qual so iremos suprir atravéz da simples e doce palavra do Senhor… temos coragem para questionar o inquestionavél, mas não temos coragem para admitir a simplicidade do evangelho. Porque temos a facilidade para querer responder coisas que ja foram respondidas ?
    Parabêns pela publicação…. sou simplesmente um Cristão.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *