Arquivo de maio 2014

Tem jeito de brincar com a ortografia?

terçasLucas Rolim, coordenador do Programa MQV da Rebusca, um programa que atende adolescentes de 13 a 17 anos de idade, criou este jogo para ajudar os adolescentes a melhorar a ortografia e conhecimento das palavras enquanto se divertem. Vejam como ficou! Ele disse que mesmo com as modificações no jogo tradicional que tinham como objetivo deixá-lo mais acessível para os adolescentes, alguns ainda o acharam um pouco difícil. Da próxima vez, ele vai dar as palavras em um dia antes para que eles “estudem”.

SoletrandoA Rede Mâos Dadas só existe porque pessoas como o Lucas Rolim se esmeram no trabalho que desenvolvem junto às crianças e adolescentes mais vulneráveis e estão dispostos a compartilhar suas experiências, êxitos, fracassos, desafios mil.

Baixe o jogo e as instruções aqui.

 

Depois daquela onda…

sextas

por Elsie B. C. Gilbert

Em 2010 nossa família resolveu fazer uma viagem nas férias de janeiro. Escolhemos o litoral capixaba como o destino final. Visitamos primeiro Belo Horizonte, depois Aimorés para ver o Instituto Terra do renomado fotógrafo Sebastião Salgado e finalmente chegamos a Guriri, norte de São Mateus.

Só tínamos três dias para aproveitar a praia e logo me vi diante de um dilema: eu não queria entrar na água! Fiquei assustada diante desta constatação. “Puxa, como estou ficando velha! Eu que sempre adorei água, estou com preguiça de entrar no mar!”  No alto dos meus 42 anos e em meio à “crise dos quarenta” este não era um bom sinal!

No último dia resolvi criar coragem e entrei na água. Comecei a pegar onda com o meu marido como companhia. Lá pelas tantas consegui pegar uma onda bem legal. Só que à medida que eu avançava para a praia, vi um menino bem na minha frente e pensei “Vou trombar com ele!” Mas o menino foi ágil e saiu da frente bem na hora.

Quando me levantei, feliz por constatar que ainda conseguia pegar onda, ouvi o menino exclamar “Oh, que maneiro, a mulé pegando onda! Ah se a minha avó fizesse isto também!”

onda