Sustainable-Green-WorldNa Semana do Meio Ambiente, parei para relembrar canções que marcaram a história da música popular brasileira e que trouxeram alguma contribuição para o desenvolvimento de uma sensibilidade ambiental. Felizmente, não foram poucas as lembranças. Muitas outras canções ficaram de fora, mas esta lista me parece representativa do esforço dos artistas brasileiros no sentido de se pensar a Terra e neste momento decisivo de sua (nossa) história.

 

  1. “Borzeguim” (Tom Jobim, 1987) faz pensar sobre o sagrado das coisas criadas por Deus, “todo o dia é dia santo”, ainda que seja Sexta-Feira da Paixão, tempo de sofrimento. A canção traz imperativos que na época surgiam como gritos de alerta: “Deixa o mato crescer em paz… Deixa o tatu bola no lugar… Deixa a capivara atravessar… Deixa a anta cruzar o ribeirão… Deixa o índio vivo no sertão… Escuta o mato…” e por aí afora. Ela o alerta para o risco e a violência do movimento devorador chamado progresso. A canção é feito oração, “em nome de Deus”. https://www.youtube.com/watch?v=OA1YnWZi76s
  2. “Planeta água” (Guilherme Arantes, 1983) foi uma das canções que, quase profeticamente, antecipou um problema que hoje sentimos na pele: a falta da água potável e a contaminação dos mananciais, o dilema entre a sede e a inundação. A canção vai traçando o percurso das águas, das fontes, dos igarapés, dos riachos, riachos até os mares e de novo aos céus em forma de nuvens, para depois caírem como chuva. O poeta sugere ainda que o nome mais adequado para o planeta Terra seria planeta Água. https://www.youtube.com/watch?v=oPwnAq2xMUg
  3. “Sal da Terra” (Beto Guedes, 1981). Usando uma expressão bíblica, Beto Guedes inaugura a década de 1980 com uma canção falando da importância de olhar para a Terra com olhos de respeito e esperança. O poeta faz um chamamento para “arrumar a casa”, para a colaboração de todos, para a construção de um tempo de paz, “uma vida nova”, cuja lei e referência é o amor. Ao mesmo tempo, Beto Guedes desenvolve dois temas: o do meio ambiente e o da paz. https://www.youtube.com/watch?v=YmDct14yAhs
  4. “Sobradinho” (Sá, Guarabyra e Jair Rodrix, 1977), faz a denúncia da destruição ambiental causada pela barragem do Sobradinho, em que vários vilarejos são destruídos, como Remanso, Casa Nova, Sento Sé, Pilão Arcado, Sobradinho, inclusive a famosa cascata de Sete Quedas. Incrível como o São Francisco continua sendo o alvo das intervenções humanas em nome do progresso. https://www.youtube.com/watch?v=WUi38wsiAdQ
  5. “Terra” (Caetano Veloso, 1978). Caetano Veloso também escreveu uma canção importante sobre a Terra. O poeta mostra como, no dia em que estava numa prisão, teve pela primeira vez a revelação da Terra como um planeta azul. É a visão do astronauta. Ele contempla a fragilidade do planeta e expressa o carinho de poeta e sonhador e “errante navegante”. A Terra, tão feminina, tão bela e discreta em seu percurso sideral, não pode ser esquecida pelas gentes. https://www.youtube.com/watch?v=wAmtLN4PlLU
  6. “O Progresso” (Roberto Carlos e Erasmos Carlos, 1976). Eu era menino quando ouvi pela primeira vez essa canção. Estávamos na crise do petróleo dos anos 1970, tempo em que os dilemas ambientais surgiam nos horizontes das preocupações das pessoas. A canção de Roberto e Erasmo foi muito importante para inaugurar esse novo momento. Pela primeira vez, eles denunciam o problema da extinção das baleias e a questão da paz mundial. Nessa canção, ouvimos a surpreendente afirmação: “Eu queria ser civilizado como os animais”. https://www.youtube.com/watch?v=bbm-GFK4Jw4
  7. “Seguindo em frente” (Almir Sater, 1991) traz o chamado para uma vida mais reflexiva, mais lente e saboreada, traz a valorização da vida do ser humana em harmonia com os animais. É o som que vem do Pantanal. É um convite para conhecer “o sabor das massas e das maçãs”, o percurso e o caminho da chuva e do boiadeiro. É a vida como percurso. Sou boiadeiro e sou estrada. Uma canção de amor, paz e perseverança. https://www.youtube.com/watch?v=BONiM1vCWLg
  8. “Passaredo” (Chico Buarque e Francis Hime, 1976) trazem uma coleção aves do Brasil, pintassilgo, pintarroxo, melro, uirapuru, engole vento, saíra, inhambu, asa branca… A canção traz uma voz que tenta avisar os pássaros todos sobra a chegada sombria e destruidora do ser humano. “Voa… Some… Xô… Vai… Te esconde… Bico calado, que o homem vem aí”. De tão bela e relevante, a canção faria parte também da trilha sonora da série de TV do Sítio do Picapau Amarelo, na interpretação do grupo MPB4. https://www.youtube.com/watch?v=4514LqMlBkE
  9. “Bichos do mar” (Lenine, 2011) traz a pressa calma ou a tranquilidade acelerada de uma tartaruga chamando a gente para mudar o rumo do mundo e chamando à consciência da questão ambiental. A canção nasce do apoio do Lenino ao Projeto Tamar. https://www.youtube.com/watch?v=sTvVsNNi46s
  10. “Alguma voz” (Dori Caymmi e Paulo Cesar Pinheiro, 2014), na interpretação de Maria Bethania traz a revelação da natureza, a voz da fonte, a voz do rio, as voes dos pássaros, o canto da natureza, a voz do vento, a voz do mar, mansa e violenta, e entremeio a tudo isso a voz de Deus, “alguma voz na janela do horizonte, cantando por nós, é Deus cantando defronte”. https://www.youtube.com/watch?v=V1Up079fxyI