Arquivo | Práticas Devocionais RSS for this section

Prática da Leitura da Bíblia

Na leitura da Bíblia, a ingestão depende de nós.

É necessário “comer” a Palavra de Deus. Basta comer: “abrir a boca”, abrir-se para Deus. A leitura formal, superficial, ocasional ou supersticiosa rende muito pouco ou nada; assim como a leitura feita para satisfazer apenas o intelecto.

A digestão não depende de nós. O que é necessário modificar em sua rotina para que a Palavra de Deus se torne sua meditação todo o dia?

Continue lendo

Prática da Oração

A oração parece uma decantada loucura. Como pode o homem comunicar-se com o próprio Deus em qualquer tempo, em qualquer lugar e em qualquer situação, se este é o Senhor de todo o Universo e aquele, um miserável habitante de um pequeno planeta? Como pode Deus ouvir as orações diárias que pelo menos os quase 2 bilhões de cristãos lhe dirigem?

Continue lendo

Prática da Confissão

Na caminhada cristã, todos tropeçamos e nos sujamos de novo com o pecado. Como voltar ao prumo? Como retomar o caminho de santidade proposto por Deus?
A confissão verdadeira remove a crise provocada pelo pecado e restaura a comunhão perdida ou arranhada. A comprovação de sua eficácia depende mais da fé do que de sentimentos. Por meio da contínua confissão de qualquer transgressão e de qualquer omissão é perfeitamente possível manter a higiene da alma.

Continue lendo

Prática da humildade

A humildade não pode ser aparente nem fingida. Ela existe ou não existe. É uma virtude para Deus ver, e não para o homem ver. A humildade não é a negação pura e simples de dons, capacitação e virtudes pessoais. E, não há como negar: a humildade é uma das virtudes mais difíceis e raras, possível apenas com o auxílio do próprio Deus e pela zelosa imitação da humildade de Jesus.

Continue lendo

A prática da espera

Um dos maiores transtornos do homem é não saber nem querer esperar. Assim como o feto gasta nove meses para se transformar em uma criança apta para sair do ventre materno e sobreviver fora dele, muitas de nossas carências não são nem podem ser satisfeitas imediatamente, ao toque de uma varinha de condão, como muitos querem.
A prática da espera é difícil por causa da impaciência, do imediatismo e da curiosidade. Um erro é não esperar nada, outro é não saber esperar.

Continue lendo