Reconciliação: quem deve tomar a iniciativa?

Reconciliação: quem deve tomar a iniciativa?

SÉRIE REVISTA ULTIMATO
Artigo: A reconciliação e o ministério do perdão triangular, por Rubem Amorese

 

Texto básico: Cl 3.12-17

Textos de apoio:
Mt 5.21-26
Mt 18.15-17, 21-35
Rm 12.9-21
I Co 6.7-8
II Co 5.18-20
Cl 1.19-22

Introdução

Deus tomou a iniciativa de reconciliar consigo o mundo. Ele imputou a Jesus Cristo as ofensas dos homens; fez o Filho morrer em nosso lugar; pagou, com o sangue de Jesus, a nossa dívida; entregou o inocente para declarar paz aos culpados. Dessa maneira, em Cristo, Deus oferece o perdão dos pecados a todo homem.
Assim como todo dom, essa graça é, não só uma oferta, como também uma demanda. Afinal, o perdão de Deus não só perdoa, como também capacita o perdoado a perdoar. Nesse sentido, a reconciliação é, não só uma obra de Deus, como também um ministério para o qual somos chamados. Deus espera que os que foram reconciliados pela fé em Cristo vivam perdoando, assim como são perdoados.
Mais do que isso, Ele espera que o imitemos, como filhos amados, tomando a iniciativa da reconciliação com o nosso próximo. Se ofendemos, devemos procurar nos reconciliar com o ofendido, como se tivéssemos ofendido a Cristo. Se fomos ofendidos, devemos procurar nos reconciliar com o ofensor, como Cristo fez para conosco. Portanto, ofensor ou ofendido, devemos reconceber nossas relações humanas em relação a Cristo, por meio de quem Deus nos reconciliou consigo mesmo.

Para entender o que a Bíblia fala

  • Qual é a motivação para o cristão tomar a iniciativa da reconciliação com o próximo (Cl 3.12-13)?
  • Quais são as atitudes que fornecem o contexto adequado para uma iniciativa de reconciliação (Cl 3.12; veja também Gl 5.22)? Delas, qual é a principal (3.14; ver também I Co 13.1-7)? (De acordo com Hb 13.1 e 3, qual é a essência dessa atitude? Nesse sentido, o que significaria praticá-la em uma situação em que alguém está se sentindo ofendido?)
  • O que caracteriza o coração do cristão que procura manter-se vinculado com o próximo em reconciliação (Cl 3.15-16)? Por contraste, o que deve ocorrer no coração daquele que mantém uma inimizade?
  • O que significaria falar e agir como representante do Senhor Jesus (Cl 3.17) em uma situação de ofensa e inimizade (Cl 3.13)?

Hora de avançar

“(…) toda ira, separação ou ruptura assumem uma dimensão triangular: eu, meu irmão (ou inimigo) e Deus.”

Para pensar

Nosso pecado ofende a Deus e, assim, coloca-nos em grande dívida para com Ele. Contudo, Ele mesmo pagou a dívida e sofreu a vingança da ofensa na pessoa do Filho, o qual derramou seu sangue na cruz por nós. Somos perdoados! Deus tomou a iniciativa de se reconciliar conosco, mesmo sendo Ele o ofendido.
Como devemos viver em resposta a esse perdão? Como não ser gracioso, tendo recebido tamanha graça? Deus nos convida a imitá-lo; a vencer o mal com o bem; a sofrer a injustiça, encomendando as nossas almas a Ele, o Justo Juiz. Quando nos sentirmos impelidos a julgarmos o próximo, que possamos nos ver como réus que foram por Deus absolvidos. Quando formos condenáveis, que possamos ser prontos a nos arrependermos e a pedirmos perdão. Em toda a nossa vida, como ofendido ou como ofensor, que a misericórdia triunfe sobre o juízo; que a reconciliação seja a nossa experiência em relação a Deus e a nossa iniciativa em relação ao próximo!

O que disseram

  • “Meus filhinhos, não amemos de palavra, nem de língua, mas por obra e em verdade.” (I Jo 3.18)
  • “Se alguém diz: Eu amo a Deus, e odeia a seu irmão, é mentiroso. Pois quem não ama a seu irmão, ao qual viu, como pode amar a Deus, a quem não viu?” (I Jo 4:20).

Para responder

  • Você tem perdoado como Cristo o perdoou? Quão difícil tem sido para você perdoar/pedir perdão? Como sua facilidade/dificuldade se relaciona com a sua percepção do perdão de Deus oferecido a você?
  • Quando você tem pedido perdão ou perdoado, você tem tomado essa iniciativa de reconciliação com as atitudes que devem acompanhá-la? Ou a reconciliação tem consistido em palavras e ações isoladas, mecânicas?
  • De boa consciência, você pode dizer que tem o coração dominado por paz e gratidão quando pensa nas pessoas com quem convive? Ou sentimentos de “guerra” e reclamação enchem seu coração ao pensar em alguém do seu convívio?
  • Você poderia dizer que você tende a falar e agir como um representante de Cristo em iniciativas de reconciliação?

Eu e Deus

Ninguém pode dar o que não recebeu. Exponha-se ao amor e perdão de Deus, manifesto em Jesus Cristo, como registrado na Palavra. Deixe-se encher pelo Espírito, para que ele produza o seu fruto, gerando paz com Deus e com o próximo. Seja um mensageiro da graça do perdão. Perdoe como Cristo perdoou e peça perdão como se tivesse ofendido a Ele. E, então, sinta a paz encher seu coração e testemunhe novidade de vida nos seus relacionamentos.

>> Autor do Estudo Bíblico: Jonathan Simões Freitas

>> Este estudo bíblico foi desenvolvido a partir do artigo A reconciliação e o ministério do perdão triangular, de Rubem Amorese, publicado na edição 338 da revista Ultimato.

Atualizado em 18/05/2016, às 11h00.
Print Friendly

Tags: , ,

9 Comentários para “Reconciliação: quem deve tomar a iniciativa?”

  1. Valedo Magule 30 de janeiro de 2014 at 13:08 #

    Amém. Amém. Amém. Deus nos abençoe.

    • joseisa silva 31 de maio de 2016 at 12:19 #

      acho que,pra seguir os ensinamento de Deus precisamos nos colocar no lugar dos que erram e pensarmos como eu agiria se estivesse no lugar dessa pessoa? e se queremos nos aproximarmos do pai, precisamos ser como crianças;imaginem os pais podem ter acabado de castiga los e depois dizem:Quero um beijo;e logo essa criança dará o beijo em quem o bateu, por isso jesus falou que pra nos achegarmos ao pai precisamos ser como crianças puros e mansos de coração! por isso pai: nos capacita para sermos iguais crinças!!!!!!!!!!!!!!!amém!

      • joseisa silva 31 de maio de 2016 at 12:31 #

        acho que é melhor ser feliz do que estar sempre certo e o importante é estar bem comigo mesma e em paz com Deus, mesmo sabendo que estou certa, não vejo mal algum em ser instrumento de reconciliação isso também chama se humildade! e com certeza aquele que errou ,irá se perguntar, pq voce mesmo certo(a )aceitou ser culpado(a) com mansidão? isso será para ele (a) como um espinho no coração que so será arrancado quando reconhecer o proprio erro e pedi lhe perdão.será lição de vida…

  2. roberto carlos dias reis 8 de agosto de 2014 at 12:52 #

    ACHO QUE QUEM DEVE TOMAR A INICIATIVA É AQUELE QUE MAIS ESTÁ INCOMODADO COM A RUPTURA. ISSO VAI DEPENDER DO GRAU DE COMPROMETIMENTO COM DEUS E COM A PESSOA COM QUEM PRECISA SE RECONCILIAR.

  3. Lurdes Lima 6 de setembro de 2015 at 3:36 #

    Aconteceu comigo.Ofenderam-me mas não pediram desculpa e essa pessoa fala bem comigo como se nada tivesse acontecido. Por causa disso arranjei uma depressão. Pois é uma pessoa muito chegada. Eu quero paz. Jesus na cruz disse, Pai perdoa-lhes porque não sabem o que fazem.

  4. Joilson 16 de setembro de 2015 at 18:01 #

    Muitas pessoas tem os corações endurecidos, mas a vontade do Pai não é essa, ele só diz uma somente palavra “que vos ameis uns aos outros; assim como Eu vos amei; que dessa mesma maneira tenhais amor uns para com os outros.” Gloria a Deus.

    Agora quanto a reconciliação espiritual com Deus, este é assunto muito importante que você tem que dar quando você se afasta dele e não ele de você.

    Procure sempre maneiras de aproveitar o máximo perto de Deus.

  5. Roberto 28 de junho de 2016 at 1:59 #

    Tenho uma listra Boa para pedir perdão estou orando a Deus para preparar um momento com cada uma pessoa para q eu possam pedir perdão a essas pessoas

  6. Desconhecido 5 de julho de 2016 at 15:30 #

    Entreguei minha vida a Jesus e pedir perdão por todos os meus pecados inclusive com quem nunca deveria ter errado mesmo assim essa pessoa apesar de ter um filho comigo não quer assunto comigo .

  7. Ambrosio Kntonio Kitadi 1 de março de 2017 at 7:23 #

    GOSTEI MUITO

Deixe um comentário