O Portal Ultimato continuou a crescer em 2016, em audiência e número de visualização dos conteúdos. Foram muitos artigos de opinião, notícias e editoriais no intuito de contribuir para a transformação de vidas e edificação da Igreja. Textos sobre assuntos como mortes, suicídio, guerra, feminismo, missões e oração foram os que tiveram maior visualização no Portal Ultimato Online.

Confira nossa lista dos mais mais lidos em 2016:

1
Elben César, 1930 – 2016. Lamento (56500 visualizações)
Em primeiro lugar está nossa nota de lamento pela morte do fundador da Ultimato, Elben César. “O texto bíblico que nos consola é também um dos preferidos dele: Tu, SENHOR, conservarás em perfeita paz aquele cujo propósito é firme; porque ele confia em ti (Is 26.3)”. Leia aqui.

2
O suicídio e o papel preventivo da igreja (23316 visualizações)
Neste mundo caído, nossa jornada de discipulado e intimidade com Deus é muitas vezes permeada pela dor. A psicóloga clínica hospitalar Karen Bomilcar apontou que “o primeiro passo é nossa abertura para ouvir sobre estes temas e falar abertamente sobre eles. Esta realidade está presente em todas as nossas comunidades”. Leia aqui.

3
Edison Queiroz (1948-2016): a chama missionária na igreja local (23241 visualizações)
O falecimento do pastor da Igreja Batista de Santo André (SP), um entusiasta do papel da igreja local no movimento missionário, também marcou esse ano. “Ele fazia questão de mostrar o quanto a igreja local pode – e deve – dedicar suas finanças, seus projetos e sua vida ao compromisso missionário”. Leia aqui.

4
O menino Jesus em Aleppo (18436 visualizações)
As crianças em Aleppo não conseguem chorar. Esqueceram como se chora? As lágrimas secaram? O teólogo João Leonel abriu nossos olhos para essa realidade. “A morte de civis é inaceitável. A morte de crianças é uma monstruosidade.(…) O menino Jesus está em Aleppo. As mães choram os filhos que já não existem”. Leia aqui.

5
É possível ser feminista cristã? (17879 visualizações)
Cristãs sinceras e maduras vêm fazendo essa pergunta. Isabella Passos, graduada em filosofia, nos apontou algumas direções, mesmo que essa pergunta seja de difícil resposta. “Mas sua dificuldade não se dá pela ausência de conteúdo cristão para enfrentá-la, mas pela ambiguidade presente no próprio movimento feminista”. Leia aqui.

6
Pastor não é uma vítima (12721 visualizações)
Tiago Leite, pastor e doutorando em teologia, escreveu sobre como é preciso cuidado com a vitimização do pastor. “Um pastor precisa ter cuidado com o perigo da insatisfação e descontentamento. Estamos vivendo uma época em que está na moda a vitimização”. Leia aqui.

7
Missões: reducionismo, falsas dicotomias e novos desafios (12027 visualizações)
Nesse dossiê, o pastor e missionário, Marcos Amado abordou a abrangência do desafio de levar o evangelho, e qual tem sido nossa percepção Bíblia sobre o assunto. “Infelizmente, o que se vê é um discurso permeado por uma dicotomia falsa, como se tivéssemos que escolher entre evangelizar ou nos preocuparmos com o sofrimento humano”. Leia aqui.

8
Dez dicas práticas de como orar (11153 visualizações)
As dicas compartilhadas por Maria Luiza Rückert, pastora e capelã, sobre como orar podem te ajudar de maneira prática. “A pergunta decisiva que Deus dirige a você é: ‘O que você quer que eu faça por você?’. (…) O que você quer que o Mestre lhe faça?”. Leia aqui.

9
Mutirão de oração convoca cristãos a lembrar e orar por um problema que muitos querem esquecer: as crianças socialmente vulneráveis (8697 visualizações)
Com o tema “Pequeninas, porém grandiosas”, a campanha da Rede Mãos Dadas reuniu milhares de cristãos no Brasil e no mundo em intercessão pelas crianças. “Nossas igrejas precisam se lembrar da viúva, do órfão e do estrangeiro em nosso meio”. Leia aqui.

10
A relação de C. S. Lewis com a morte (8625 visualizações)
Nos 53 anos da morte de C. S. Lewis, Gabriele Greggersen abordou a forma como Lewis lidava com a morte e disse porque temos motivos para celebrá-la. “Este é o mundo dos sonhos. Mas o galo está para cantar. E está mais próximo agora, do que quando eu comecei a escrever esta carta”. Leia aqui.

Que 2017 também seja cheio de conteúdo que edifica!