Foram dias intensos, alegres e  enriquecedores. Cada encontro, era uma festa, um desafio, uma inspiração!

Louvo a Deus pelo 7º Congresso Brasileiro de Missões (CBM) ser este espaço bonito de encontros, de movimento da graça, por provocar em nós o  desejo de ir em direção ao nosso irmão, oferecendo-nos ao diálogo que tanto nos enriquece e transforma.

Momentos de oração compartilhados, de abraços emocionados, de louvor profundo e enraizado no texto e no  contexto, de argumentos inflamados – desajeitados talvez, mas sempre acolhidos como parte da nossa trajetória de discipulado e de aprendizado. Momentos que revelam a nossa vulnerabilidade, que  criam espaço para a dor e a esperança no compartilhar de tantas histórias, de tantos sonhos, de projetos novos e renovados!

O 7º CBM para mim foi assim: colorido, esperançoso e profundo, gerando perguntas  provocando mudanças, empurrando-nos para a cruz, desafiando nossos preconceitos, questionando nossas pretensões e protagonismos e convidando -nos a acolher a diversidade dos dons que produz unidade e vida e revela a beleza do Corpo de Cristo.

Bonito ver as gerações se encontrando, gerando sustentabilidade, injetando experiência ao entusiasmo e dando sentido à caminhada, sem descartar a história sem subestimar o novo.

Encontros como estes são proféticos, destroem muralhas e diminuem  abismos. São momentos onde vemos Cristo se revelar no compartilhar do pão, nas risadas do corredor, no privilégio de entrar no santuário do Senhor como comunidade de fé e serviço que realmente acredita que vale a pena se encontrar, se escutar na mutualidade da graça, na reciprocidade do afeto.

Ir em direção ao outro não pode ser outra coisa do que um sinal de esperança encarnada do reino de Deus que se manifesta em nós e entre nós.

• Zazá é missionária brasileira no Norte de África

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *