Na Áustria em 1818

Chamava-se José Mohr o piedoso padre da pequena igreja católica de uma aldeia a muitos metros de altitude nos Alpes austríacos. O organista da paróquia era Francisco Xavier Gruber. A diferença de idade entre os dois era apenas de cinco anos e ambos apreciavam a música. Lamentavam o fato de “ainda não existir um hino que em toda a pureza e simplicidade cantasse a maior dádiva de Deus aos homens – o nascimento de Jesus Cristo seu Filho, baixado ao mundo para redimir-nos do pecado”.

Na véspera de natal de 1818, José Mohr estava assentado em seu gabinete de trabalho na igreja, meditando na seriedade e na alegria do Natal, quando lhe veio à mente uma linda e singela poesia. Neste exato momento nasceu a letra do mais conhecido hino de Natal: Noite de Paz! E a música? Seria por conta de Gruber, o organista. De fato, precisamente há um século e meio, a melodia foi composta pela primeira vez entoada. O padre estava com 26 anos e o organista com 31. O cântico sobreviveu-lhes e parece que não vai morrer jamais. Comemora-se seu 150º aniversário neste Natal de 1968.

(Baseado no livro Cânticos de Natal, da Prof.ª Henriqueta Rosa Fernandes Braga, nossa colaboradora.)

 << Publicado na revista Ultimato (novembro de 1968).

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *