Em muitas igrejas os cultos, a escola dominical (às vezes inexistente) e até os estudos bíblicos foram transformados em repetição de palavras de ordem — comuns nas igrejas neopentecostais — ou em leitura de receitas — comuns nas igrejas mais “modernas”, inclusive as históricas.

No primeiro caso, as palavras “mágicas”, substituem o diálogo, a escuta, a reflexão. No segundo, a experiência (receita) de algum autor se torna uma espécie de mantra, de autoajuda para aquela comunidade.

É preciso recuperar o espaço para perguntas e respostas, para a exposição bíblica. Recuperar a tradição bereana. É com essa preocupação que lançamos a série Estudos Bíblicos na Ultimato. Cada estudo bíblico é desenvolvido a partir de um artigo ou matéria publicada pela revista Ultimato. Confira.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *