Todas as edições da revista Ultimato reunidas. Melhor, “Feliz Ano Velho”

capas_2014_webCom a devida vênia, “Feliz Ano Velho” poderia ser uma dedicatória para quem quer dar ou receber de presente a Coleção Ultimato 2014.

A partir de hoje, o leitor que perdeu, não viu ou não recebeu alguma edição da revista Ultimato do ano passado, tem à disposição a Coleção Ultimato 2014. Um excelente material para consulta e edificação, que reúne todas as edições da revista Ultimato publicadas em 2014.

Em janeiro de 2015 Ultimato completa 47 anos de publicação ininterrupta, repetindo a proclamação da boa nova que nunca fica velha — “Jesus Cristo ontem e hoje é o mesmo, e o será para sempre” (Hb 13.8).

Mais um ano para celebrar e repetir o “ultimato bíblico”, que acompanha a revista desde a edição número 1: “Busquem o Senhor enquanto é possível achá-lo”. [Is 55.6]

capa_colecao_blog

Entrevista com Harold Segura: necessitamos conhecer o modelo cubano de fé

BlogUlt_05_01_15_CubaDevido aos últimos acontecimentos internacionais entre Cuba e os Estados Unidos da América a Ultimato buscou conhecer a opinião de quem conhece a ilha cubana, tanto do ponto de vista socioeconômico quanto religioso, acompanhe a breve entrevista:

Ultimato Online:

Harold Segura, você certamente acompanhou a notícia do retorno das relações diplomáticas entre EUA e Cuba. Você poderia contribuir respondendo a seguinte pergunta: Você se alegra ou lamenta a retomada das relações entre EUA e Cuba? Por quê?

Harold Segura:

Pessoalmente, celebro junto a meus irmãos e irmãs das igrejas cubanas e do povo cubano em geral a notícia do restabelecimento das relações entre Estados Unidos e Cuba, assim como a moderação do embargo. Celebro porque significam novas possibilidades para melhoria de condições de vida reais da ilha e de sua gente, tanto em questões econômicas e comerciais, como em diferentes âmbitos da vida social.

Não há duvidas que a notícia tenha também repercussões religiosas na ilha e as possibilidades de que as igrejas possam interagir com mais abertura para com o mundo cristão fora de Cuba.

Estive em várias ocasiões em Cuba trabalhando com igrejas e sou testemunha de seu profundo compromisso com a fé, de sua totalidade e do exemplo que são para a fé cristã da América Latina e do Caribe. Cuba tem uma enorme riqueza na fé que necessitamos conhecer e tomar como modelo. É pouco o que temos para dar-lhes, porém eles possuem muito que nos dar para enriquecer nosso caminhar na fé.

En lo personal, celebro junto a mis hermanos y hermanas de las iglesias cubanas y del pueblo cubano en general la noticia del restablecimiento de relaciones entre Estados Unidos y Cuba, así como la moderación del embargo. La celebro porque significa nuevas posibilidades para las condiciones de vida reales de la Isla y de su gente, tanto en materia económica y comercial, como diferentes ámbitos de su vida social.
No hay dudas de que la noticia tendrá también repercusiones en la religiosa de la Isla y las posibilidades de que las iglesias puedan interactuar con mayor apertura hacia el mundo cristiano fuera de Cuba.
He estado en varias ocasiones en Cuba trabajando con las iglesias y soy testigo de su profundo compromiso de fe, su entereza y del ejemplo que significan para la fe cristiana de América Latina y el Caribe. Cuba tiene una enorme riqueza de fe que necesitamos conocer y tomar como modelo. Es poco lo que tenemos para darles, pero mucho lo que ellos pudieran darnos para enriquecer nuestro caminar de fe.

 

Harold Segura Carmona é autor de Para Que Serve a Espiritualidade?, , teólogo colombiano, pastor evangélico e educador, é o atual coordenador de compromisso cristão e diretor de relações eclesiásticas da Visão Mundial Internacional. Ex-reitor do Seminário Teológico Batista Internacional de Cali, na Colômbia, é membro da Junta Diretora da Fraternidade Teológica Latinoamericana.

 

Cigano não é um estilo vida, é uma etnia

BlogUlt_26_12_14_cigana_goias_agencia_Bbrasil

Formosa (GO) – Ciganos Calom que vivem em Goiás moram em casas de alvenaria, em vez de barracas em acampamentos. Foto: Marcello Casal Jr/ABr

O programa “Na Missão”, do Canal UpTV, entrevistou o missionário Igor Shimura e o cigano Valdir Apolinário. Ambos trabalham com os ciganos no Brasil. Igor explicou que os ciganos são como “uma colcha de retalhos”; há uma variedade grande e que o número desta etnia no Brasil é maior do que os indígenas, por exemplo. Igor fez questão de esclarecer que ser cigano não é um estilo de vida. É uma etnia, com origem (vem da Índia) e línguas próprias.

“Quando uma pessoa elegante chega perto da gente, ou é a polícia ou alguém querendo nos expulsar”, disse Valdir que também contou sua história de conversão. “Eu tinha perdido um filho, e uma mulher me falou que Deus também tinha perdido seu filho. Isso me fez ficar quatro dias conversando com Deus”.

O “Na Missão” também entrevistou o Pr. José Antonio Costa, missionário em Portugal. O apresentador do programa, Paulo Castello, conversou com o missionário sobre o trabalho na Ásia Central, onde José Antonio trabalhou por doze anos. Trata-se de uma população de aproximadamente 100 milhões de pessoas.

Veja estas (e outras) entrevistas, na íntegra, no Canal UPTV:
1. Acesse a home
2. Clique na janela do programa “Na Missão” (lado direito da home). Lá também você pode assistir a outras entrevistas disponíveis sobre o cenário missionário no Brasil e no mundo.

Hi,per Natal

BlogUlt_22_12_14_Hi_Natal_Oseas_H‘tá perto do Natal:
parei, pensei: afinal,
o que é que deu em Deus
hiper-super-onipotente,
pra se lembrar da gente?

‘tá certo,
no Natal, ao menos,
a gente se lembra
dos amigos amenos.
Mas, o que deu em Vós
pra se lembrar de nós?

Voz do Evangelho:
Deus é terno amor.
Tudo se esclarece:
permanece fiel
ao Seu amor.

Criador tornou-se miniatura,
pra criatura tornar-se ao Criador.

Nós que antes distantes
Ele queria comunicantes
na religião [Criador + criatura],
na religação [criatura + criatura].

Na dúvida, ultrapasse
qualquer impedância;
não mantenha distância
de quem Ele tanto amou.

Hiper Natal
Super 2015
com-fraternização!

 

Oseas Heckert é consultor de empresas e “aprendiz de poeta, ainda que tarde”. Escreve para www.antropogogia.net