Semana 75: Lucas 22

Jesus continuou: Simão, Simão, escute bem! Satanás já conseguiu licença para pôr vocês à prova. Ele vai peneirar vocês como o lavrador peneira o trigo a fim de separá-lo da palha. Mas eu tenho orado por você, Simão, para que não lhe falte fé. E, quando você voltar para mim, anime os seus irmãos. Então Pedro disse a Jesus: Estou pronto para ser preso e morrer com o senhor! Então Jesus afirmou: Eu digo a você, Pedro, que hoje, antes que o galo cante, você dirá três vezes que não me conhece. (Lucas 22.31-34 NTLH)

Quando o leitor encontra um capítulo de 71 versículos dividido em 12 episódios (dependendo da edição da Bíblia que segue) só pode concluir que este capítulo precisa ser lido de vez. Ou seja, os episódios são conectados, pelo menos na cabeça dos editores antigos que acrescentaram a enumeração de capítulos à Bíblia até o século XIII e de versículos até meados do século XVI. Isto foi o caso do capítulo 21 e novamente é o caso do capítulo 22. Lendo os 12 episódios juntos, fica mais claro o significado de cada um. Nesta reflexão queremos focar a traição de Pedro, mas dentro do contexto dos outros episódios.

A liderança religiosa judaica queria “matar Jesus em segredo porque tinham medo do povo” (v.2). Mas o cenário não era apenas político e “terrestre”.  A traição de Judas (“Satanás entrou em Judas”, v.3) e o aviso feito para Pedro (“Satanás já conseguiu licença para pôr vocês à prova”, v.31) revelam uma conspiração muito mais sombria, e isto, por sua vez, justamente por causa da eclosão de outra dimensão “espiritual”, a chegada do reino de Deus anunciada na ceia (vv.14-23). Mas o seu reino não seria um de governo como o de costume.  Seria um governo onde os “mandantes” servem os mandados (vv.24-30).

Mas voltemos às duas traições. A inclusão das duas traições dentro do mesmo contexto e a recuperação eventual de Pedro, demonstram que não somos meros fantoches nas mãos de poderes invisíveis. Somos pessoas reponsáveis e responsabilizáveis pelas nossas ações. E porque digo agora “somos” e não “eles”, Judas e Pedro, “são”. Porque, ao usar o pronome “vocês” no plural no versículo 31, Jesus inclui todos os seus discípulos no seu aviso para Pedro: “Satanás já conseguiu licença para pôr vocês à prova”. Logo, os trâmites do capítulo 22 envolvem todos nós que queremos seguir Jesus e por isso, é bom ficar ligado.

O que diremos? Primeiro, Satanás só age com permissão, pois Deus é soberano. Esta é uma das grandes lições do Livro de Jó. E em Lucas 22, o Adversário testa não só Judas e Pedro, mas todos os discípulos: “vocês” (v.31).

Jesus ora por Pedro (v.32), quem sabe, porque Pedro pelo menos o havia acompanhado até a casa do sumo-sacerdote (v.54). Nem isto os outros discípulos fizeram (vv. 54-62). Ou seja, se Pedro negou vergonhosamente a sua amizade e o seu compromisso com Jesus, os outros discípulos não eram melhores por não terem esta “oportunidade”.  Eram covardes por nem terem acompanhado de perto. Mas Pedro negou, sim, por 3 vezes Jesus e, diante do mero olhar de Jesus, chora amargamente.

Uma pausa e uma segunda observação… Chorar, inclusive amargamente, não é sinônimo de arrependimento. Para chegar ao arrependimento verdadeiro, não bastava chorar. Pedro teria que ser confrontado com a vítima da sua traição e teria que concertar este relacionamento quebrado nas profundezas dos seu coração.

Oração

Pai, não somos melhor do que Pedro e entendemos o seu aviso para ele como sendo também para nós. Fortalece-nos na fé e na coragem para Te seguir, especialmente nos momentos em que somos tentados a desistir. Por amor do Teu Filho, Jesus. Amém

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.