Semana 38: Lucas 9.59-60

Aí ele disse para outro homem: — Venha comigo. Mas ele respondeu: — Senhor, primeiro deixe que eu volte e sepulte o meu pai. Jesus disse: — Deixe que os mortos sepultem os seus mortos. Mas você vá e anuncie o Reino de Deus.

São três pessoas que responderam ao chamado para seguir Jesus. Refletimos sobre a primeira na semana passada. Agora consideramos a segunda. Este não se dispõe. Ele é convidado por Jesus e, quem sabe, pego de surpresa. Jesus disse para ele simplesmente duas palavras: “venha comigo”. Mas o candidato é esperto e acha um jeito de escapar sem parecer frouxo.

Agora, na primeira instância a resposta deste candidato parece mais que razoável. Será que Jesus é tão frio e duro que nem sequer dá uns poucos dias para o coitado enterrar o seu pai? Não, Jesus, de fato, não é tão insensível. E se formos examinar as expressões que este moço usa dentro do seu contexto cultural, veremos que não é nada disto que está acontecendo. Pois a frase “enterrar o pai” é uma expressão idiomática tradicional que se refere especificamente aos deveres do filho permanecer na sua casa enquanto o pai estiver vivo para cuidar dele e respeitá-lo até a sua morte. Aliás, conforme o relatório de Ken  Bailey em A poesia e o camponêsa expressão ainda é usada desta maneira até os dias de hoje nas aldeias rurais da Síria e do Iraque naquela mesma região. Por exemplo, até hoje quando um filho se revolta contra o pai, algo ainda inaceitável especialmente nas culturas mais rurais, o pai tipicamente responde na língua síria coloquial: kabit di gurtly (“você quer me enterrar?). Isto quer dizer mais ou menos o seguinte: “você quer apressar a minha morte para se livrar da minha autoridade sobre você para que você viva por conta própria?”

Voltando para o nosso segundo candidato ao discipulado, este sujeito não está querendo literalmente enterrar o seu pai. Tanto que, se fosse assim, o que ele está fazendo na estrada seguindo Jesus? Não faria sentido. Não é isso. Esse moço está simplesmente afirmando que antes de seguir Jesus ele tem obrigações familiares que o ocuparão durante muito tempo. Terminadas estas obrigações, aí sim, poderá seguir Jesus. É mais ou menos o argumento comum de muita gente que diz, antes de seguir Jesus, precisa construir a sua casa, criar os seus filhos, talvez curtir a vida viajando para determinados lugares, etc, e quem sabe depois…

Pior, este moço é safado na sua resposta. Ele consegue colocar um tom de nobreza na sua desculpa: “Senhor, primeiro deixe que eu volte e sepulte o meu pai.” Só que ninguém engana Jesus. Nós não enganamos Jesus. Quando dizemos no nosso coração: “preciso primeiro fazer isto ou aquilo”, Jesus responde da mesma forma: “Deixe que os mortos sepultem os seus mortos. Mas você vá e anuncie o Reino de Deus!” Pessoas que nada tem a ver com Jesus são pessoas espiritualmente mortas. Estas pessoas podem viver dentro das suas convenções sociais e assim cuidar dos seus familiares e dos negócios da família. Mas nós não! Jesus não toma segundo lugar de ninguém. Repito, se Jesus é o rei, mesmo um rei sem-teto, se ele é o nosso Senhor, ele não toma segundo lugar de ninguém.

Oração

Deus do universo. Perdoe-nos que não atendemos o seu chamado, quando apresentamos desculpas e de outra maneira colocamos a sua causa em segundo plano. Mova-nos pelo seu Espírito. Em nome de Jesus. Amém.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.