Passo a passo 72 _ imagem 1

As crianças mais velhas podem audar com as crianças menores, mas também precisam frequentar a escola e ter tempo para brincar

por Maggie Sandilands

As crianças brincam porque é divertido. Porém, brincar também é essencial para a sua aprendizagem e desenvolvimento. Brincar ajuda a criança a aprender novas habilidades, comunicar-se, adquirir autoconfiança, relacionar-se com outras pessoas e descobrir coisas sobre si mesma e sobre o mundo. Todas as crianças – meninas e meninos – precisam das mesmas oportunidades para brincar e interagir com os membros da sua família e amigos. Ouvir e responder às crianças pequenas é uma das coisas mais importantes que os adultos e as crianças mais velhas podem fazer. Quando fazemos isto bem, elas aprendem que o que dizem é importante. Isto faz com que elas se sintam bem consigo mesmas e proporciona-lhes autoconfiança para experimentar novas coisas.

Cada criança é diferente e desenvolve-se num ritmo diferente. Os bebês que não comeram o suficiente ou estiveram doentes precisam de mais ajuda. As crianças com deficiências não devem ser excluídas. Elas podem precisar de mais apoio e incentivo para superar as dificuldades locomotoras, auditivas ou visuais. Elas podem não fazer todas as coisas que outros bebês e crianças pequenas fazem na mesma idade, mas elas aprenderão a fazer muitas coisas, se tiverem o devido apoio e estímulo.

As crianças mais velhas geralmente gostam de brincar com os bebês e as crianças menores e ajudá-los. Elas podem ajudar as crianças menores a se desenvolverem, estando ali para brincar com elas, ouvi-las, apoiá-las quando tentarem novas atividades e garantir sua segurança. As crianças mais velhas podem ajudar a tornar as atividades diárias – como ir ao mercado e preparar a comida – divertidas e interessantes para as crianças menores.

Lembre-se: é importante que as crianças mais velhas não sejam sobrecarregadas com as responsabilidades dos adultos, de cuidar dos bebês e das crianças menores. As crianças mais velhas também precisam de tempo para brincar, e o seu próprio desenvolvimento não deve ser negligenciado.

Atividades para bebês

Os bebês precisam de estímulo e da nossa resposta desde o momento do seu nascimento. Isto pode ser feito brincando, compartilhando atividades, conversando, rindo e cantando juntos. Se um bebê fizer um som ou um gesto, as crianças mais velhas podem repeti-los para ele. É assim que os bebês aprendem a se comunicar. As relações ternas e afetivas são vitais para o desenvolvimento físico, social e emocional infantil. Pegar, abraçar, sorrir e conversar com o bebê ajuda-o a crescer e sentir-se seguro. Aqui estão algumas sugestões de brincadeiras que o responsável ou as crianças mais velhas poderiam usar com bebês de até dois anos de idade.

  • Amarre ou pendure objetos como colheres, por exemplo, perto de onde o bebê fica deitado, para que ele possa alcança-los e segurá-los.

    Passo a passo 72 _ imagem 2

    As crianças pequenas precisam se manter ativas

  • Diga o nome do bebê ou bata palmas, para que o bebê olhe para ver de onde o som está vindo.
  • Cante para ele e embale-o ao ritmo de uma canção.  Dê uma volta com o bebê no colo e diga os nomes dos objetos. Mesmo que um bebê não responda a este tipo de estímulo no início, é importante continuar falando e cantando para ele.
  • Assim que o bebê começa a entender e usar a linguagem, ele gosta de brincar usando as palavras: “Onde está meu nariz?” ou “Encontre a xícara”.
  • Dê ao bebê objetos lisos e peça-lhe que os devolva e os passe de uma mão para outra. Use objetos grandes o suficiente para evitar que o bebê os coloque na boca e se engasgue.
  • Brinque com os dedos do pé e da mão do bebê.
  • Incentive o bebê a bater palmas e a abanar para dizer “tchau”.
  • Faça-lhe uma bola macia para jogar.
  • Dê-lhe dois objetos e segure mais dois. Bata com os objetos um no outro e veja se o bebê consegue copiá-lo.
  •  Dê-lhe uma caixa e objetos de tamanhos diferentes para colocar dentro dela e tirá-los.
  • Esconda algum objeto dentro de uma xícara ou de um pedaço de pano na frente do bebê e veja se ele consegue encontrá-lo.
  • Faça um boneco de pano velho e encha-o com pedaços de pano, plástico, grama seca ou papel. Costure bem o buraco para fechá-lo. Conte histórias sobre o boneco para o bebê.
  • Desenhe na areia ou no barro com uma vara ou o dedo e veja se o bebê consegue copiá-lo.
  • Mostre ao bebê um animal ou a figura de um animal, faça o som que o animal faz e incentive o bebê a repetir os sons.
  • Incentive o bebê a se alimentar sozinho.

À medida que o bebê for crescendo, faça brincadeiras para incentivá-lo a engatinhar, ficar em pé e caminhar. Faça um brinquedo sobre rodas, que possa ser puxado ou empurrado por ele à medida que começar a caminhar. Você pode fazer um brinquedo de puxar com uma lata redonda e o arame de um cabide. Você pode amarrar alguns carretéis de linha ou tubinhos velhos de filme fotográfico e enchê-los de coisinhas pequenas para fazer barulho quando a criança puxá-los. Garrafas de plástico ou de refrigerantes também rodam bem. Assegure-se de que os objetos não tenham nenhuma superfície cortante.

Se o bebê não puder se locomover sem ajuda por causa de alguma deficiência, pode-se amarrar uma faixa de pano ao redor da sua cintura, e duas crianças podem usá-la para erguê-lo e colocá-lo de quatro, para que ele possa engatinhar. Uma outra criança pode incentivá-lo a engatinhar, segurando um brinquedo ou uma fruta na sua frente. Lembre-se de mostrar ao bebê que está contente com a sua tentativa de fazer coisas novas. Elogie-o com palavras, sorrisos, carinhos ou abraçando-o.

Artigo publicado por Maggie Sandilands, com informações de Early Years – Children Promote Hearlth: Case Studies on Child-to-Child Trust.

 


Artigo publicado originalmente no Passo a Passo 72, em novembro de 2007 pela Tearfund.

 

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.