Volto às minhas “lamentações de Jeremias”. Meu estilo entranhado, fazer o quê?. Entretanto, mais uma vez, diante do sofrimento, canto um hino de vitória, resolutamente confiante. Neste caso, trata-se do sofrimento da espera. Tão dolorido quanto invisível a olhos destreinados. Daí, o tema e o título: “quando”.
A palavra que traz o consolo e restaura as forças eu a encontrei em 2Cr 16:9a: Porque, quanto ao Senhor, seus olhos passam por toda a terra, para mostrar-se forte para com aqueles cujo coração é totalmente dele. Aleluia!  MAIS….

Quando eu dançar sem querer;
Quando eu cantar sem pensar;
Quando eu sorrir sem parar;
Quando eu louvar sem saber;

Quando esse dia nascer;
Quando a vigília cessar;
Quando a alegria voltar,
E o rosto resplandecer,

Então trarei seu louvor
E cantarei seu favor;
Derramarei meu amor,
Em devoção.

Eu falarei com ardor;
Eu contarei sem temor;
Proclamarei que o Senhor
Traz salvação.

Enquanto o dia não vem;
Enquanto aguardo o mover;
Guardo a minh’alma e o querer,
E a impaciência também.

Meu Salvador agirá;
O sol já vem, vai nascer;
Quando eu, enfim, receber,
Sua paz me consolará.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *