[Elifaz]

Como garantia de um pequeno empréstimo, você ficava com as roupas dos seus patrícios e assim os deixava nus. Você não dava água para as pessoas cansadas nem comida aos que tinham fome. Você usou a sua posição e o seu poder para se tornar o dono da terra. Você roubou e maltratou os órfãos e nunca ajudou as viúvas.

Reflexão

Como observamos ao longo destas reflexões, os amigos de Jó acusaram Jó falsamente. Parece-nos que eram sinceros mas mesmo assim, a acusação não competia. Mas se a acusação era falsa, o pressuposto a respeito daquilo que desagrada Deus estava certíssimo.

Deus, de fato, se aborrece de quem pratica injustiça de qualquer sorte, quer seja enriquecer-se aos custos do empobrecimento dos outros, deixar de mostrar misericórdia, ou qualquer tipo de exploração a fim de tomar posse do poder. Nisto tudo, certos atos eram especialmente graves: maltratar os órfãos e a negligência de socorrer as viúvas. Interessante que são estas injustiças que definem o conceito de “pecado” mencionado no versículo anterior, v. 5.

Isto é importante porque popularmente o pecado é geralmente concebido em termos individuais e morais. Isto é, o pecado seria aquele delito que eu cometo individualmente. A mentira, os maus pensamentos, a inveja, a cobiça, e a pornografia são alguns exemplos. Enquanto é justo pensar nestes delitos como pecados, a definição dada por Elifaz não puxa para este lado mas enfatiza o mal que cometemos em relação ao nosso próximo, especialmente as injustiças ou negligências que prejudicam as pessoas socialmente frágeis.

É bem provável que isto não seja nenhuma novidade para a grande maioria que acompanha estes devocionais. Estamos “cansados de saber” isto. Sim. Por que então isto ainda nos incomoda? Ou não te incomoda?

Oração

Crentes de carreira somos muito de nós, ó Pai. E ainda relutamos em refletir a Tua misericórdia. Sejas misericoridoso para conosco e graves no nosso interior a fome e a sede pela Tua justiça dentro de nós e por meio de nós demonstrada nos nossos relacionamentos. Em nome de Jesus. Amém.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You may use these HTML tags and attributes:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>