Como trabalhamos?

Os 36 parceiros institucionais da Rede Mãos Dadas trabalham com o objetivo de fortalecer a resposta cristã dada aos problemas vividos pelas crianças e adolescentes mais vulneráveis. Trabalhamos para:

Parceiros presentes no Encontro Anual, em Belo Horizonte, 2010

Unir – Somos uma rede de instituições, igrejas e pessoas unidas pela mesma fé. Nos preocupamos pela mesma

causa, a criança, e nos articulamos em ações de cooperação.

Informar – Publicamos periódicos e mantemos uma plataforma de comunicação na internet.

Mobilizar – Promovemos campanhas de oração e de mobilização da sociedade para a promoção dos bons tratos para com a criança.

Capacitar – Promovemos  algumas metodologias importantes para o enfrentamento das questões mais críticas vividas pelas crianças e adolescentes. Hoje, as duas metodologias promovidas pela rede são: Programa Claves Brasil e Um Lugar Seguro

Quais são os eixos temáticos da rede?

  • A mobilização da igreja Acreditamos que cada comunidade de fé cristã tem uma responsabilidade social pelas crianças daquela localidade.
  • A reflexão teológica sobre a criança Nossos líderes cristãos precisam levar a sério a ordem de Jesus de considerar a criança como um importante membro do seu reino, e incluí-la em nossas reflexões teológicas se quisermos ser fiéis ao nosso mestre e relevantes para a sociedade que nos cerca.
  • O fortalecimento do agente social cristãoO apoio a pessoa cujo trabalho implica um contato constante com as crianças é fundamental. Incluímos no termos “agente social cristão” todos os profissionais de atenção básica à criança que estejam envolvidos nas escolas, igrejas, postos de saúde ou projetos sociais comunitários.
  • A promoção de políticas públicas e a defesa de direitos reconhecemos a importância da ação do Estado na garantia dos direitos das crianças e adolescentes.
  • A integração regional O Brasil é um país de grandes desigualdades. Uma delas está na concentração de recursos no sudeste em detrimento das demais regiões. Nossa ação de integração visa buscar ativamente a integração de organizações, igrejas, e pessoas envolvidas na causa de criança nos quatro cantos do Brasil de forma intencional e respeitosa das diferenças regionais.

 Como começamos?

“Onde foi que a Rede Mãos Dadas começou? Uns dizem que foi no Clade IV em 2000 quando alguns  líderes de organizações cristãs envolvidas no trabalho com crianças no Brasil se reuniram mediados pela então Viva Network (hoje Viva).  Entre eles estavam Derci Gonçalves, então diretor da Compassion e o Serguem Jesui da Silva, então diretor da Visão Mundial. Outros dizem que foi quando o médico aposentado inglês John Collier veio ao Brasil como facilitador da Viva Network e trouxe na bagagem a ideia de criar uma revista que seria sustentada por várias organizações e que teria o objetivo de fortalecer o trabalho realizado entre crianças e adolescentes vulneráveis.

Para mim, a revista, que mais tarde daria origem à rede, começou na sala de visita do Rev. Elben Lenz César, em Viçosa, MG, numa conversa com John Collier e Tereza Cristina Belchior dos Santos, no segundo semestre de 2000. Fui chamada para a conversa porque a Dona Deja (esposa do Rev. Elbem) sabia do meu interesse em colocar as minhas habilidades com a palavra escrita à serviço da causa da criança.

Daquela conversa inicial surgiram outras. Lembro-me de uma conversa do John Collier desta vez com a Klênia Fassoni, (diretora da Editora Ultimato) na qual ela apresentou os custos de produçâo para uma primeira edição da revista. Ela disse ao John Collier que um bom mineiro só faz negócio depois de comer um quilo de sal juntos. Leva tempo para consumirmos tanto sal. São muitas refeições, muita conversa, muito relacionamento.

Depois a Klênia se encontrou com Mônica Bonilha (na época acessora de comunicação da Visão Mundial) em Belo Horizonte e criaram a estrutura da revista que permaneceu a mesma por 10 anos. Tem também a minha conversa com o João Martinez, então facilitador da Tearfund para o Brasil. Perguntei sobre a proposta que o John Collier tinha lhe enviado e se a Tearfund já tinha uma posição. Ele, com aquele jeito diplomático e cuidadoso de sempre, me explicou o processo para aprovação de propostas. Sua opinião era bem positiva mas não deixou de apontar o que ele cria ser um ponto fraco:  a sustentabilidade.

O Serguem nos deu o impulso inicial empenhando recursos para a Edição 0, uma espécie de protótipo da revista. A Sônia Couto, recém-formada em design, nos presenteou com a logomarca que também continua a mesma até hoje e o Giovanni Scaraccia, jornalista da UFV, nos ajudou na fase inicial além de prestar seu registro como jornalista nos primeiros anos da revista.

E durante todos estes movimentos, aconteceram muitas visitas do John Collier a Viçosa, muitas refeições, muito sal e uma grande amizade.

O nome “Mãos Dadas” surgiu no meio da noite. Acordei com a frase “De mãos dadas iremos…” fortemente estampada em minha mente. Me levantei, anotei  num pedaço de papel e voltei a dormir. De mãos dadas expressa para nós a esperança de dar as mãos às crianças e adolescentes brasileiros que lutam por uma vida digna; de fazer isto juntos, com muitas mãos; e de segurar as mãos uns dos outros quando a realidade terrível a que são submetidas nossas crianças nos afeta e angustia profundamente a nossa alma.

Quanto ao sal, posso dizer que tive o grande privilégio de consumir muito, muito sal nestes 10 anos com muitas pessoas, mas em especial com o Lissânder, meu amigo e irmão, que chegou como estagiário e se tornou o coordenador da Rede Mãos Dadas, e com a Klênia que abriu as portas da Editora Ultimato para abrigar a princípio uma revista, depois uma rede, por 10 anos!”

Fala elaborada por Elsie Bueno Cunha Gilbert, editora da Revista Mâos Dadas, por ocasião das comemorações de 10 anos da Rede Mãos Dadas, em 2010.

Encontro Anual de Parceiros, reunidos em Viçosa, 2007

Em 2007 os parceiros da Revista Mãos Dadas, reunidos em um Encontro Anual em Viçosa, decidiram constituir-se em um formato de rede, para que juntos pudessem abraçar outros projetos além da revista.  Em 2011 a gestão desta rede foi transferida da Editora Ultimato para a ONG Asas de Socorro, situada em Anápolis, GO. A Editora Ultimato continua envolvida na área de comunicação da rede.

O que pensamos sobre as causas dos problemas vividos pelas crianças?

Os parceiros da RMD criaram, em 2008, uma “árvore de problemas” como exercício para sintetizar o que acreditamos serem as causas dos problemas vividos pelas crianças e adolescentes em situação de vulnerabilidade social no Brasil. Resumimos nossa reflexão da seguinte forma:

A grande maioria dos problemas sociais presentes no Brasil afeta, de forma profunda e persistente, a vida e a formação das crianças. Dentro do quadro geral mencionado acima, destacamos os seguintes fatores:

  • Na deteorização das relações infrafamiliares, são as crianças que sofrem mais de perto com a violência, os maus tratos e o abuso.
  • A enorme desigualdade social e regional existente no Brasil, com seu modelo socioeconômico injusto em que poucos concentram grande parte da riqueza do país, afeta a vida de milhões de crianças obrigadas a conviver com a miséria desde a mais tenra idade.
  • Uma estruturação social baseada na segregação e exclusão impede que as crianças tenham acesso a informações importantes dentro de suas comunidades e as mantém isoladas em guetos ou bolsões da pobreza.
  • Fenômenos naturais ligados a problemas ambientais como deslizamentos de encostas mal protegidas, enchentes que carregam os casebres construídos às margens dos rios, e a seca na região do semi-árido afetam as crianças diretamente.
  • Epidemias por falta de política preventiva fazem das crianças as maiores vítimas. No descaso público com o saneamento básico, são as crianças que sofrem as conseqüências: diarreia, verminoses, baixo peso, desnutrição, propensão a outras doenças oportunistas.
  • O desenvolvimento do crime organizado e a consequente luta do poder público contra o mesmo tem um grande impacto sobre as crianças que muitas vezes ficam no fogo cruzado entre a polícia e os traficantes. (Numa pesquisa realizada em 2007 pela Rev MD com 1.137 crianças beneficiárias das organizações parceiras, o terceiro maior medo, precedido apenas pelo medo de estar sozinha e o medo do escuro, foi o medo de tiroteio!)
  • A corrupção nas esferas governamentais tem como principal vítima a criança. Via de regra, o dinheiro público desviado para fins egoístas é roubado de programas sociais relacionados à educação, saúde, moradia e segurança alimentar.
  • O afastamento de Deus pela sociedade afeta a criança. O pecado e a ausência de uma cosmovisão cristã prejudicam diretamente a maneira de viver da criança, pois sua desvalorização como ser humano é consequência deste estado espiritual. O que a sociedade em geral pensa a respeito da criança modela até certo ponto a visão da criança com respeito a si mesma. As crenças sobre a criança podem transformá-la em um objeto e não em um sujeito de direitos.
  • A falta de visão e ação profética da igreja na sociedade torna sua ação inócua no enfrentamento dos problemas sociais vividos por vários setores mais oprimidos. A igreja se omite como comunidade do povo de Deus em obediência integral e deixa de testemunhar a respeito do Deus Triuno e de sua salvação integral.

Estes fatores foram destacados no documento “Árvore de Problemas”, criado em 2008 pelos parceiros da RMD,

Quais são os valores e crenças que orientam o trabalho realizado pela rede?

Valorizamos os seguintes princípios:

  • Trabalho em rede como expressão da unidade cristã.
  • Trabalho com e pela Igreja. Jesus nos convocou a “Deixar vir as crianças” e nos alertou sobre o problema de negligenciar os pequeninos. Queremos, como cristãos, levantar nossa voz em favor da criança e acreditamos que este é um papel importante da Igreja, se esta quiser ser sal e luz em nossos dias.
  • O valor de criança. Acreditamos na importância de ouvir, incluir e respeitar a participação de crianças e adolescentes na resolução de situações que lhes dizem respeito, inclusive nos assuntos que afetam a sociedade como um todo.
  • A importância da sinergia na resposta cristã aos problemas vividos pelas crianças. Temos história, experiência, recursos, lições aprendidas, metodologias desenvolvidas, espalhadas pelos quatro quantos do Brasil. Tudo isto precisa ser compartilhado e aproveitado se quisermos melhorar a resposta dada aos problemas das crianças.
  • A importância das boas práticas no trabalho social. Precisamos estabelecer padrões básicos de atendimento e buscar a excelência em nossas ações.

Como sua instituição ou igreja pode se unir a nós?

Envie um recado no formulário abaixo manifestando seu interesse em unir-se a nós. Entraremos em contato com você!

 

  1. Prezados irmãos, sou enfermeira e membro da Igreja Batista Central em Iguaba grande, no Rio de Janeiro. O município de Iguaba tem atualmente 22.300 habitantes e muitos jovens e crianças em situação de vulnerabilidade social. Muitas famílias enfrentam, além da pobreza, problemas decorrentes do uso de álcool e outras drogas. Estamos iniciando em nossa igreja um ministério para esse grupo e goestaríamos de contar com o apoio dos irmãos.

  2. Sou profª na rede estadual de educação de PE, num dos bairros mais violentos do Recife – O Coque. Leciono para adolescentes e jovens com N.E.E-Necessidades educacionais Especiais(D.I-Deficiência Intelectual). Mantenho o blog “Oásis da Educação Inclusiva – que divulga e conscientiza sobre a Inclusão de crianças com N.E.E, crianças em situação de risco, Edu. para Cultura de Paz nas Escolas, Edu.Ambiental à luz da Bíblia. Desde que conheci a Rede Mãos Dadas, divulgo seu material para amigos que atuam com crianças dentro e fora do Brasil.
    É um trabalho incomparável de Missão Integral com Visão Bíblica.
    Participamos de um Grupo de Estudos sobre alunos com N.E.E- em Recife, ligado a UPE-Universidade de Pernambuco, liderado pela Drª Jane-terapeuta ocupacional, de formação à professores da rede pública e particular com disponibilidade de horário que atuam com Edu.Infantil e Fundamental I.
    Abraços fraternos.

    • Ficamos felizes com seu comentário e por sabermos que nosso conteúdo está chegando até pessoas como você, realmente engajadas. E não deixe de nos informar sobre o seu projeto, caso necessite de algum tipo de material sobre temas que envolvam as crianças e os adolescentes nos informe que faremos o possível para ajudá-la!

  3. Prezados irmãos,Graça e Paz do Senhor Jesus Cristo.
    Somos uma casa de acolhimento de crianças e adolescentes em situação de risco há sete anos, estabelecidos em S.Paulo. Fomos fundados por uma igreja evangelica norte americana e mantidos em parte até hj por eles. Estou ha pouco tempo na entidade e percebi que não temos um programa de evangelização de nossas crianças. Quero saber se vçs tem um método, uma forma, um material,um grupo,etc que poderia nos ajudar a trabalhar o evangelho com estas crianças e suas familias. Isto não é um pedido oficial da entidade, mas de alguém que sabe que algo precisa ser feito.

    Grato

    Ivaldo Ferreira (Mobilizador Social)

    • Prezado Ivaldo a Rede Mãos Dadas agradece o seu contato. No momento temos o material Kit Um lugar Seguro que é gratuito para essas finalidades. Peço que o senhor entre em nosso site e faça a sua inscrição. Leia atentamente passo a passo, do que o senhor terá que fazer para recebe-lo. Desde já agradecemos.

      Faça aqui sua inscrição: http://www.maosdadas.org/?pg=lugar-seguro

  4. Shalom!

    Gostaria de saber como a igreja pode se unir a este projeto.
    Tenho muita vontade de servir como um agente social.
    Sinto-me chamada por Deus, sinto ser este o propósito de minha vida.
    Preciso de orientação e capacitação. E estou disposta a buscar.
    Sou membro assíduo na igreja em que congrego e estou em plena comunhão com meus pastores e irmãos na fé.
    Aguardo contato.
    Atenciosamente,

    Patrícia.

    • Patrícia, vou continuar esta conversa pelo seu e-mail porque a resposta não é simples, concorda? Eu vou querer saber uma porção de coisas que você não ia querer expor por aqui. Onde você mora, que igreja frequenta, qual sua formação ou habilidades, etc. De qualquer forma, me alegro muito com o seu e-mail e já te parabenizo por atender ao seu chamado.

      Elsie

  5. A ASSINI é uma associação que iniciou um trabalho de acolhida a populações indígenas no ano 2.000.Todas as religiões podem colaborar e trabalhar conosco,Teemos espaço onde abrigamos artesãos e universitários indígenas.Estamos junto nessa luta por melhores condiçoes de vida para essa população.
    Darcy-presidente

    • Prezada Vanda Aparecida a Rede Mãos Dadas agradece o seu contato. De que maneira você gostaria de participar da Rede Mãos Dadas? Poderia ser como colaboradora, parceira física, parceira jurídica, entre outras maneiras de nos ajudar. Um forte abraço!

  6. Boa Noite, através de Janaima Lima fomos apresentados à Maos Dadas. Somos Uma ONG cristã e trabalhamos com crianças e adolescentes. Gostaria de saber como podemos nos tronar um parceiro?

    Obrigada,
    Elba dolan

    • Prezada Elba, a Rede Mãos Dadas agradece o seu interesse em ser nosso parceiro. Já enviamos a sua solicitação para a pessoa responsável por esse setor. Agradecemos de coração pela a iniciativa da Ong Centro de Desenvolvimento Regional. Um abraço!

    • Prezada Ana Luisa, a Rede Mãos Dadas agradece o seu contato. É sempre bom ter pessoas tão motivadas como você reconhecendo o trabalho que temos feito para as nossas crianças e adolescentes. Ficamos imensamente felizes com o seu relato. Agradecemos. Um ótimo dia.

    • Prezados da Igreja de Cristo no Brasil, a Rede Mãos Dadas agradece o seu contato e interesse em se juntar a nós. Comunicamos que enviamos um e-mail para que possamos continuar a nossa conversa sobre a parceria. Um forte abraço, Rede Mãos Dadas.

  7. Bom dia, gostaria de obter algumas informações sobre a Rede Mãos Dadas. Sou evangélica e moro em Teresina-PI, existe algum projeto da rede aqui nesta cidade? de que forma poderia esta me inserindo? Sou Assistente Social e possuo trabalho cientifico voltado a violência sexual contra crianças e adolescentes e uma vasta experiencia com família,violações,comunidades enfim toda uma intervenção profissional…Tenho interesse em desenvolver projetos dentro da minha igreja,de que forma vocês poderia me orientar? aguardo retorno se possível….. grata

    • Prezada Josely, a Rede Mãos Dadas agradece o seu conto. Respondendo as suas dúvidas a Rede Mãos Dadas é composta por 36 parceiros institucionais que trabalham com o objetivo de fortalecer a resposta cristã dada aos problemas vividos pelas crianças e adolescentes mais vulneráveis. Trabalhamos para:

      Unir – Somos uma rede de instituições, igrejas e pessoas unidas pela mesma fé. Nos preocupamos pela mesma causa, a criança, e nos articulamos em ações de cooperação.
      Informar – Publicamos periódicos e mantemos uma plataforma de comunicação na internet.
      Mobilizar – Promovemos campanhas de oração e de mobilização da sociedade para a promoção dos bons tratos para com a criança.
      Capacitar – Promovemos algumas metodologias importantes para o enfrentamento das questões mais críticas vividas pelas crianças e adolescentes. Hoje, as duas metodologias promovidas pela rede são: Programa Claves Brasil e Um Lugar Seguro

      Na cidade de Teresina temos o PDA TERESINA-FUNDAÇÃO RIO PARNAÍBA, que é um projeto que compõe a Visão Mundial. Segue abaixo os contatos:

      PDA TERESINA-FUNDAÇÃO RIO PARNAÍBA
      AV MARANHÃO, 1954
      PIRAJÁ
      64003-160 Teresina – PI
      Telefone: (86) 3213-0010
      E-mail:pdateresina@hotmail.com

  8. ola, sou diretora de um abrigo para pessoas com hiv e doentes de aids em brasilia.tenho uma duvida, ha alguns anos atras participei na igreja memorial batista de uma capacitaçao do projeto calçada.nesse projeto usavamos uma mala com recursos biblicos para atender crianças.esse projeto ainda existe?eu gostaria de voltar a trabalhar com ele. sou terapeuta comunitaria,e aqui temos um trabalho na madrugada nas cracolandia s do df, espero contato.obrigada e parabens pelo trabalho de vcs,um grande abraço

    • Prezada Claúdia, a Rede Mãos Dadas agradece o seu contato. Estamos em um momento de transição da rede. Hoje estamos trabalhando através do blog usando-o como ferramenta de comunicação. A Revista Mãos Dadas não está sendo mais impressa por falta de recursos. Mas podemos fazer o seu cadastro para receber nossos boletins eletrônicos informando todas as notícias da rede. Gostaria de participar da Rede Mãos Dadas dessa forma? Um forte abraço de toda a nossa equipe.

    • Prezada Thariane, a Rede Mãos Dadas agradece o seu contato e pedimos desculpas pela demora em atendê-la.

      Trabalhamos para: Unir – Somos uma rede de instituições, igrejas e pessoas unidas pela mesma fé. Nos preocupamos pela mesma causa, a criança, e nos articulamos em ações de cooperação.
      Informar – Publicamos periódicos e mantemos uma plataforma de comunicação na internet.
      Mobilizar – Promovemos campanhas de oração e de mobilização da sociedade para a promoção dos bons tratos para com a criança.
      Capacitar – Promovemos algumas metodologias importantes para o enfrentamento das questões mais críticas vividas pelas crianças e adolescentes. Hoje, as duas metodologias promovidas pela rede são: Programa Claves Brasil e Um Lugar Seguro.

      Para saber mais informações sobre a Rede Mãos Dadas clique aqui: http://ultimato.com.br/sites/maosdadas/quem-somos/a-rede/

  9. Prezados, trabalhamos na evangelização e discipulado de crianças e adolescentes em situação de risco na periferia de Campo Grande MS. Gostaríamos de contar com vossa preciosa parceria nesse ministério.

    • Prezado Lourival, a Rede Mãos Dadas agradece o seu contato. Estamos à disposição para pensarmos em maneiras de interagir para melhorar a resposta cristã dada aos problemas das crianças e adolescentes em todo o Brasil. Como poderíamos ajudar?

  10. Olá sou terapeuta ocupacional,trabalho com pessoas doentes de drogas,desde 2000, trabalhei muito em comunidades terapeuticas no combate as drogas,mas há muito tempo venho sentido vontade de fazer algo mais ,sou aposentada e pensionista, (pol.civil),viuva moro só.mas com Deus quen tem Deus no coração nnca esta sozinha,tenho um filho que é marinheiro moro no exterior.eu gostaria muito de fazer este trabalho fora do Brasil, mais ja entreguei nas mãos de Deus.fiquei muito feliz com os cometarios de pessoas que fazem parte de Mãos dadas. aguardo seu retorno.bjs

    • Querida Maria Helena, bom dia!
      A Rede Mãos Dadas agradece o seu contato através do Blog Mãos Dadas.
      Podemos continuar essa conversa por e-mail?
      Que Deus abençoe você e toda a sua família.

  11. Boa tarde! Trabalho em uma Instituição que tem como objetivo a educação e proteção de crianças e adolescentes. Hoje temos 2 creches e 2 projetos sociais dentro do Instituto Sementinha, já aplicamos alguns programas de proteção devido a nossa parceria com a Visão Mundial e gostaria de receber maiores informações de uma possível parceria. Obrigada

    • Prezada Carina, boa tarde!
      A Rede Mãos Dadas agradece o seu contato e pedimos desculpas pela demora em atender ao seu pedido.
      Podemos continuar essa conversa por e-mail?

  12. Não represento nenhuma Igreja nesta fala, apesar ser membro ativo de uma, não posso falar em seu nome. Falo em nome de meu filho João Levi de 4 anos, autista que não consegue frequentar os cultos ou as atividades voltadas para as crianças neurotípicas da igreja. Estou engatinhando nas conversações sobre o assunto com a direção da minha Igreja. Não sei qual será a recepção por parte deles. tenho uma reunião marcada e não gostaria de chegar apenas com problemas, sem nenhuma solução. Vcs poderiam me ajudar com algumas idéias e propostas para eu sugerir à direção na minha Igreja no sentido de trabalhar com crianças com necessidades especiais? Por favor, me ajudem!

    • Querida Andrea, bom dia!
      Pedimos desculpas pela demora em atender ao seu pedido. Realmente a inclusão de crianças com necessidades especiais na igreja, tem sido um desafio para todos nós.
      Há algum tempo, publicamos aqui no blog Mãos Dadas, a sugestão de um livro muito bom. A autora do livro é a Brenda Darke, e o título é: “Deficiente – O desafio da inclusão na igreja”. Acreditamos que essa sugestão não irá resolver o seu problema de imediato, mas talvez seja uma boa leitura que irá clarear suas dúvidas em relação ao assunto. Que Deus te abençoe nessa jornada com o querido João, temos certeza que o Senhor mostrará o caminho certo. Qualquer dúvida que você tenha e se precisar de uma ajuda específica, por favor entre em contato conosco pelo e-mail cartas@maosdadas.org ou pelo telefone: (31) 3891-1333

      Disponibilizamos o livro aqui: http://ultimato.com.br/sites/maosdadas/2015/11/12/inclusao-na-igreja-na-escola-dominical-ou-em-pequenos-grupos-integracao-ou-segregacao/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You may use these HTML tags and attributes:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>