Texto da Mãos Dadas Responde 2

Uma história para você contar e mobilizar crianças

Na segunda edição do periódico online Mãos Dadas Responde, publicamos uma história sobre o Movimento das Crianças pela Paz na Colômbia. Este movimento nasceu no coração de um grupo pequeno de adolescentes. Veja o relato do seu crescimento assombroso e como é possível mobilizar crianças e adolescentes para tornar este mundo um mundo melhor.

Movimento de Crianças pela Paz na Colômbia: a luta pela paz exige coragem
O conflito armado da Colômbia, que começou em 1964 e se arrasta até hoje, tem três lados: as forças revolucionárias formadas por guerrilheiros, as forças do exército colombiano e os paramilitares. Em 1996, os três lados recrutavam crianças e adolescentes para a luta armada. Apesar de a maioria ter entre 15 e 17 anos de idade, era frequente encontrar crianças de 12 , e até 8 anos, entre eles.

De acordo com um relatório da UNICEF, uma a cada 6 vítimas de assassinato era criança, uma a cada 5 crianças-soldado já tinha matado alguém, 66% já tinham presenciado um assassinato, 33% já tinham assistido à tortura de alguém e mais de 80% já tinham se sentido à beira da morte.

Nesta época estimava-se que 1,5 milhões de pessoas estavam deslocadas dentro do próprio país, fugindo de ameaças, tentando encontrar um lugar mais seguro. Membros de uma família se perdiam uns dos outros deixando muitas crianças desamparadas. O número de órfãos crescia a cada dia.

Foi nesse contexto que um grupo de 27 crianças e adolescentes se uniram e fundaram, com a ajuda de várias ONG’s, o Movimento de Crianças pela Paz. Dentre elas, cinco se destacaram como líderes: Farliz Calle, Juan Elias Uribe, Mayerly Sanchez, Dilia Lorenzo, Wilfrido Zambrano, cada um com a sua própria história de perda e sofrimento.

Esse grupo de 27 levou 2,7 milhões de crianças a votarem numa eleição nacional pela paz. Nesta eleição o desafio era eleger o direito humano mais importante para elas. Os mais votados foram o direito à vida, o direito à paz e o direito à família. Num país onde qualquer manifestação pública era associada a atos de terrorismo e podia custar a vida de alguém, a coragem desses adolescentes inspirou os adultos e chamou a atenção da comunidade internacional. Eles foram nomeados duas vezes como candidatos ao Prêmio Nobel da Paz (em 1998 e novamente em 1999).

Hoje, estima-se que o conflito armado na Colômbia tenha matado diretamente entre 50 mil a 200 mil pessoas desde 1964. O número de pessoas deslocadas cresceu para algo entre 4 a 5 milhões. Mas crianças e adolescentes por todo o país não desistiram de lutar pela paz. O Movimento de Crianças pela Paz conta com a participação ativa de mais de 100 mil crianças e adolescentes, que integram cerca de 400 organizações no país.

Aproveite este recurso com as suas crianças!

Você pode aproveitar esta história para desenvolver um trabalho sobre cidadania e sobre a importância da participação das crianças e adolescentes nos assuntos que lhes dizem respeito. Veja algumas sugestões de atividades nas páginas 8 e 9 de Mãos Dadas Responde 2. Temos até uma cédula pronta para ser baixada e impressa. Quem sabe seus alunos se empolgam e resolvem fazer uma eleição na escola, igreja ou projeto social, algo inspirado nas ações das crianças colombianas?

 

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You may use these HTML tags and attributes:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>