Vendo as multidões, Jesus subiu ao monte e se assentou. Seus discípulos aproximaram-se dele, e ele começou a ensiná-los. (Mateus 5.1-2)

Um tópico que precisa ser discutido antes de examinarmos cada uma das bem-aventuranças é a bênção que Jesus promete. Cada indivíduo que exibe a qualidade recomendada por Jesus é chamado de “bem-aventurado”. A palavra grega makarios significa “feliz”, portanto a tradução do Novo Testamento que você está lendo pode dizer: “Felizes os que […]”. Vários comentaristas explicam as bem-aventuranças como prescrição de Jesus para a felicidade humana.

Ninguém sabe melhor do que nosso Criador como trazer felicidade ao ser humano. Ele nos fez e sabe como funcionamos melhor. Mas é um sério equívoco traduzir makarios por “felizes”. A felicidade é subjetiva, enquanto Jesus está fazendo um julgamento objetivo sobre essas pessoas. Ele não está declarando o que elas podem sentir em uma determinada ocasião (felizes), mas o que Deus pensa a respeito delas e do que elas realmente são: bem-aventuradas.

A segunda metade da bem-aventurança explica a bênção que desfrutam os que exibem essas qualidades. Eles possuem o reino dos céus e herdam a terra. Os que choram são consolados e os que têm fome, satisfeitos. Recebem misericórdia, veem a Deus, são chamados filhos de Deus. Grande é a sua recompensa celestial. E todas essas bênçãos são desfrutadas ao mesmo tempo. Assim como as oito qualidades descrevem todo cristão, as oito bênçãos são dadas a todo cristão. É verdade que a bênção em particular prometida em cada caso é apropriada à qualidade descrita em particular. Ao mesmo tempo, certamente não é possível herdar o reino dos céus sem herdar a terra, ser consolado sem ser satisfeito ou ver a Deus sem receber a misericórdia divina.

As oito qualidades juntas constituem as responsabilidades e as oito bênçãos, os privilégios, que o cristão recebe por ser cidadão do reino de Deus. É isso que significa desfrutar da lei de Deus em nossa vida.

Trecho extraído do livro Lendo o Sermão do Monte com John Stott. Editora Ultimato, 2018.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You may use these HTML tags and attributes:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>