Na década de 1930, duas cantoras marcaram o gospel norte-americano. Eram elas Mahalia Jackson e Clara Ward. No Brasil, na década de 1970, vimos surgir Josely Scarabelli, Shirley Carvalhaes, Denise Cardoso com grande força entre o público evangélico, especialmente os pentecostais.

As mulheres sempre estiveram muito bem representadas na música cristã. Nos dias atuais isso é bem evidente. Além de diversos nomes que figuram na música gospel nacional – uma fatia da música mais comercial, com forte influência do pop – encontramos um grupo sólido de intérpretes e compositoras que realizam um belo trabalho no segmento da música popular brasileira. Como era de se esperar, nem todas são conhecidas pelo grande público. Os motivos são variados: não fazem parte do cast de importantes gravadoras, ou não têm atrás de si produtores que dominem os recentes e complicados mecanismos de divulgação midiática, ou ainda por qualquer outro motivo. Porém, é certo que desenvolvem uma música de qualidade.

Os nomes são vários, mas por uma questão de espaço, cito aqui apenas 15 artistas. Não há nenhum critério de grandeza nessa ordem. Apenas, para facilitar, agrupo os nomes por pontos comuns.

Começo por aquelas que estão atuando há mais tempo, desde as décadas de 1980 e 1990: Marlene Vasques, a dupla Cíntia e Silvia e Lucitânia Egg Verotti.

  • Marlene Vasques – Desde o final dos anos 1980, Marlene se apresenta ao lado de seu esposo Wesley Vaques. Dona de uma voz inigualável, começou sua trajetória como crooner de banda de baile. Na década de 1980 teve um encontro pessoal com Jesus e desde então dedica-se ao ministério musical.
  • Cíntia e Sílvia (ou Silvia e Cintia) – Não tem como citar uma sem conectar à outra. Nos anos 1990 a dupla se tornou conhecida em todo país através dos programas de TV e as Cruzadas da Vinde. Cíntia mora nos EUA há alguns anos, Sílvia permanece no Brasil. Embora não tenham lançado trabalhos recentemente, seus dois álbuns permanecem atuais e impecáveis.
  • Lucitânia Egg Verotti – Conhecida especialmente por sua trajetória com Vencedores Por Cristo (VPC), Lucitânia tem importante papel na música popular cristã contribuindo com este que é um dos mais significativos ministérios musicais brasileiros. O seu repertório é baseado nos compositores ligados a VPC.

O segundo grupo é marcado por explorar ritmos como a bossa nova, bolero, samba-canção e influências regionalistas. Entre elas cito Ilma Brescia, Melina Prista, Tirza Silveira, Priscila Barreto e Airô Barros.

  • Ilma Brescia – Artista em múltiplas áreas, Ilma revela um estilo raro entre os artistas cristãos. Seu repertório é formado por jazz e ritmos brasileiros que consagraram grandes nomes da MPB como Maisa, Claudia Barroso, entre outras. O CD “Pérola” mostra muito bem a força de sua música.
  • Melina Prista – Melina começou sua carreira musical como flautista participando em álbuns de Martinho da Vila, Hélio Delmiro, Roberto Ribeiro, João Donato entre outros. Como cantora e compositora gravou, até o momento, cinco álbuns marcados especialmente pela bossa-nova, estilo no qual esteve imersa boa parte de sua vida musical.
  • Tirza Silveira – Conhecida pelas participações nos CDs do seu esposo João Alexandre, Tirza lançou recentemente o primeiro álbum. A produção e os arranjos do filho Felipe Silveira coroaram essa obra com refinamento e beleza. Dona de um gosto apurado, seu trabalho repercutiu muito bem entre o público.
  • Priscila Barreto – Em 2012 Priscila gravou o CD Madalena, homenageando as mulheres. É um dos mais belos CDs dos últimos tempos. No repertório canções dos conhecidos Jorge Camargo, Roberto Diamanso, Stenio Marcius, entremeadas com os consagrados Guinga, Paulo César Pinheiro e Chico Pinheiro. Todas as canções perpassam o universo feminino.
  • Airô Barros – A sonoridade de Airô é muito própria. Ela canta o Brasil com força e vigor. Essa nordestina que hoje vive no sul do país desfila a nossa música brasileira em canções autorais e de grandes nomes da MPB, gente de dentro e fora das igrejas. Sua participação no programa de TV Senhor Brasil, apresentado por Rolando Boldrim, teve repercussão nacional.

Inegavelmente o festival de música e artes Som do Céu, que há mais de 30 anos é realizado nas montanhas de Minas Gerais, nos brindou com muitas artistas de alto nível. Nesse terceiro grupo cito alguns nomes que pisaram este palco e, muito embora já tivessem um trabalho reconhecido localmente, passaram a ser admiradas nacionalmente: Carol Gualberto, Marivone Lobo, Aline Pignaton e Lucélia Guedes.

  • Carol Gualberto – Influenciada desde criança pelo trabalho do Quarteto Vida e pelos demais artistas que pisavam os palcos do festival Som do Céu, Carol decidiu conduzir seu trabalho voltado para a diversidade musical brasileira. Até o momento produziu três CDs, mesclando músicas autorais e de conhecidos compositores.
  • Marivone Lobo – Atua na música desde 1991 ao lado do esposo Sérgio Pereira, com quem formou o grupo “Baixo e Voz” – uma formação musical nada usual. Compositora, arranjadora, cantora e violonista, atuou ainda no Coro Profissional da Orquestra Sinfônica de Ribeirão Preto e no Quarteto Tadoma.
  • Aline Pignaton – Aline reside em Vitória (ES). O seu CD “O que realmente importa”, produzido por Rodolfo Simor, é tido como um dos belos trabalhos da música popular cristã brasileira. Recentemente lançou nas plataformas de música digital o single “Alguma esperança”, canção de Gladir Cabral.
  • Lucélia Guedes – Lucélia vem do Piauí. Transborda arte em suas múltiplas formas. Além de cantora e compositora, também é artista plástica. Produz com seu esposo Gabriel Santos eventos no “Quintal das Artes” espaço onde mescla shows intimistas com aulas de pinturas para crianças do bairro. Lançou dois CDs.

Para completar a lista, cito as paulistas Ju Bragança e Josani Pimenta, que pautam seus trabalhos sobre o tema do louvor e adoração. E por último a mineira Liz Valente, que possui um trabalho que alcança horizontes para além do meio eclesiástico.

  • Ju Bragança – Cantora e compositora, Ju Bragança orienta seu trabalho como compositora e cantora para o louvor e adoração. Atua por anos no ministério musical junto às igrejas em São Paulo, além de atender convites para comunidades e eventos de outras localidades. Participou de trabalhos com Luciano Manga, Daniel Maia, Elias Loureiro, Albino Junior e Gerson Borges.
  • Josani Pimenta – A mais erudita desta lista. Doutora em canto, mestre em regência e graduada em regência e flauta transversal, apresentou-se em concertos no Brasil e exterior interpretando canções, oratórios, cantatas e óperas. Seu CD de música popular foi produzida por Alex Heinrich, que reside nos EUA. Nele, Josani interpreta Marta Kerr, Jorge Redher, Guilherme Kerr, entre outros.
  • Liz Valente – Liz é uma legítima representante da música mineira. Residente em Viçosa, na Zona da Mata Mineira, suas composições são claramente marcadas pela influência do Clube da Esquina. Em seu CD Pipa Amarela contou com a participação de músicos extraordinários, entre eles, Beto Guedes.

Para que você conheça a sonoridade dessas mulheres, criei um playlist no Spotify. Passe por lá e ouça algumas de suas canções: “A bela música dessas mulheres” .

 

 

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You may use these HTML tags and attributes:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>