Este livro busca repensar o culto e a liturgia como celebração, no sentido dramático do termo. Dessa perspectiva, o culto é uma manifestação, por meio de papéis, gestos, ritos e rituais, de conteúdos que se querem expressar. Assim, num culto, tudo significa alguma coisa; tudo diz alguma coisa. A questão que se levanta, então, é: estarão os nossos gestos, ritos, rituais e artefatos dizendo o que queremos dizer? O que significa um determinado levantar de mãos? O que significa o fechar dos olhos? O que significa tal processional? Questões como essas foram indagadas a muita gente, numa pesquisa, e o resultado, surpreendente, é relatado no texto.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *