Por Zenilda Lua Como um balé sagrado, dadivoso oferta e cântico de alento perfumoso mesmo que o tempo abra mágoas dolorosas é cor de rosa, ou amarelo suntuoso   O vento avança relembrando INDEPENDÊNCIA numa dolência que inebria e resplandece murmúrio santo como prece indefinida palpita a vida e o pranto desvanece   Viva o […]

Read More →

Por Afa Neto Meus olhos se encharcam de água salgada. São lágrimas a escorrer por gente que sofre. Minha garganta responde atando um nó; Com ele, tento manter bem dentro de mim a dor que quer sair.   Eu queria poder transformar minhas lágrimas em água sã. Pra inundar os desertos de tanta gente que […]

Read More →