Perdoar, esquecer ou entregar?

Perdoar, esquecer ou entregar?

SÉRIE REVISTA ULTIMATO
ArtigoEntrega, de Rubem Amorese

 

Texto básico: 1 Coríntios 6.1-11

Textos de apoio:
– Salmo 4
– Provérbios 21.21
– Mateus 5.38-42
– Lucas 23.13-34
– 2 Coríntios 2.5-11
– Apocalipse 21.1-8

 

Introdução

Deixar para lá ou reagir quando nos sentimos ofendidos ou feridos? Há vantagens e desvantagens em ambos os casos, e temos que admitir que a linha é tênue. Paulo enxergava, com honestidade, os ranços graves entre os irmãos de Corinto (1 Co 6.1-11), mas os exortava para que tentassem resolver seus conflitos sem injustiças e escândalos. Ele confiava na justiça de Deus.

 

Para entender o que a Bíblia fala (1 Co 6-1-11)

a) Segundo Paulo, o escândalo público entre os cristãos é um indicador, não da busca por justiça, mas de falta de sabedoria entre eles (2). Quando você se sente ofendido, qual a sua primeira reação: reage, esquece ou perdoa?

b) Paulo afirma que só o fato de existirem litígios entre os santos já é uma “completa derrota” (7). Como os valores e o testemunho dos cristãos podem evitar conflitos (11)?

c) Como o caráter absolutamente justo de Deus nos ajuda a lidar com a injustiça entre nós? (9-11)

 

Hora de Avançar

Certa vez, deparei-me com uma frase usada em um curso para noivos: “O que você prefere: ter razão ou ser feliz?” – como que a dizer que, se eu quisesse ter sempre razão, seria infeliz! Será que essa pergunta não nos ajudaria a definir melhor a qual grupo [o do “deixa pra lá” ou o do que “não abre mão”] pertencemos?
Rubem Amorese

 

Para pensar

Se os direitos eram uma das obsessões dos coríntios, a outra era o julgamento. O radical do vocábulo grego krinein aparece em seus cognatos mais de quarenta vezes na carta, e oito vezes nos oito primeiros versículos deste capítulo. A combinação da defesa dos direitos pessoais com o julgamento dos outros é uma das mais insidiosas tendências na igreja de Deus. Os dois males devem ser transcendidos pela redenção que é nossa em Jesus Cristo. Os direitos deram lugar à reconciliação e à mútua responsabilidade; o julgamento foi sepultado com Cristo, como uma das características mais destrutivas e odiosas de nossa natureza interior não redimida. Dentre tudo que Paulo pregara em Corinto acerca de Jesus Cristo e este crucificado, estas duas lições importantíssimas simplesmente não haviam sido assimiladas.
David Prior (A Mensagem de 1 Coríntios, ABU Editora, p 113, 114)

 

O que disseram

Talvez a atitude correta não seja o “deixar pra lá”, mas a entrega. Em vez de esquecer, entrego meus direitos, bens e razões ao reto Juiz. Assim as coisas não ficarão sem consequência, sem julgamento, sem resposta. Contudo, estarei “deixando pra lá”, em um ato de fé, para ser feliz. Imagino que, por esse caminho, Deus me acrescentará o orar pelos inimigos e me alegrará ao vê-los abençoados.
Rubem Amorese

 

Para responder

a) Há irmãos em sua igreja com os quais você tem dificuldade de perdão?

b) Sua comunidade cristã é marcada mais pela harmonia ou pelo conflito entre os irmãos? Pense nas causas e consequências da situação atual de sua igreja. Que medidas preventivas poderiam ser tomadas?

c) Qual a diferença entre evitar conflitos públicos entre irmãos e denunciar a prática da injustiça em uma comunidade religiosa? Como ter sabedoria para agir de ambas as formas?

 

Eu e Deus

 

Quero aprender a perdoar, não a partir de minha justiça própria e do meu amor próprio, mas a partir da justiça e do amor de Deus

>> Autor do Estudo Bíblico: Lissânder Dias

>> Este estudo bíblico foi desenvolvido a partir do artigo Entrega, de Rubem Amorese, publicado na edição 336 da revista Ultimato.

Atualizado em 18/05/2016, às 11h00.
Print Friendly, PDF & Email

Nenhum comentário ainda.

Deixe um comentário