Os fundamentos da comunidade cristã

OS FUNDAMENTOS DA COMUNIDADE CRISTÃ

“Há um só corpo, e um só Espírito, e uma só esperança, para a qual Deus chamou vocês. Há um só Senhor, uma só fé e um só batismo. E há somente um Deus e Pai de todos, que é o Senhor de todos, que age por meio de todos e está em todos.”  [Efésios 4.4-6 NTLH]

O estudo bíblico de hoje foi desenvolvido a partir do artigo Resgatando o senso de comunidade, do pastor Neuber Lourenço, publicado na edição 336 da revista Ultimato.

Texto básico: Efésios 4.4-6

Textos de apoio:
Romanos 12.16-18
1 Coríntios 12.12-18
Efésios 2.12-22
1 Timóteo 3.15
Romanos 14.17-19
Efésios 2.2-6

Introdução

O que caracteriza a dimensão comunitária da Igreja de Cristo? Quais são os seus fundamentos? Em torno do que ela se estrutura?

Antes de buscar respostas para essas questões, gostaria de tentar descrever o que não é uma comunidade cristã.

I) Uma comunidade cristã não é…

a) Um aglomerado de pessoas.
A igreja não é apenas uma multidão desconexa de pessoas que frequentam programas públicos juntos.

b) Um grupo de pessoas que realizam tarefas.
Apesar de ser um lugar onde as pessoas realizam tarefas juntas, uma fábrica, uma empresa, não é necessariamente uma comunidade.

c) Um grupo de pessoas que cultiva interesses próprios.
Para alguns, as outras pessoas só fazem sentido se for para preservar o seu interesse pessoal.

d) Um gueto.
Um gueto é um lugar de confinamento, que serve para afastar os que estão dentro daqueles que estão fora, é um lugar que reforça a individualização.

II) Protegendo a unidade

Lucas nos diz que a comunhão é uma das principais caraterísticas da comunidade das origens: “E perseveravam na doutrina dos apóstolos e na comunhão…” – Atos 2.42.

Comunidade vem da palavra latina “communitas” que é o resultado da junção de duas outras palavras “cum” + “unitas” que significa: “muitos formam uma unidade”.

A palavra grega que o Novo Testamento emprega para comunhão é “Koinonia” – que significa basicamente “compartilhar”, “ter coisas em comum”, a idéia é algo orgânico. É por isso que o Novo Testamento nos ensina que só o Espírito Santo é capaz de criar um verdadeiro senso de comunidade entre os crentes. Deus leva tão a sério a comunhão na Igreja que nos manda preservá-la. A Bíblia diz: “Façam todo o esforço para conservar a unidade do espírito pelo vínculo da paz.” – Efésios 4.3. A Bíblia também diz: “Por isso, esforcemo-nos em promover tudo quanto conduz à paz e à edificação mútua.” – Romanos 14.19.

É por isso que a Bíblia nos ensina que qualquer coisa que atente contra a comunhão dos crentes é proveniente de pecado. Qualquer coisa que tenha como objetivo prejudicar a comunhão dos cristãos, que coloque os crentes uns contra os outros, é de procedência maligna e nada tem a ver com Deus.

III) Em torno de que se estrutura a comunidade cristã?

O apóstolo Paulo escrevendo aos efésios vai nos dar pelo menos oito elementos, em torno dos quais a comunidade cristão se estrutura. No texto, Paulo diz: “Há um só corpo, e um só Espírito, e uma só esperança, para a qual Deus chamou vocês. Há um só Senhor, uma só e um só batismo. E há somente um Deus e Pai de todos, que é o Senhor de todos, que age por meio de todos e está em todos.” – Efésios 4:4-6 (NTLH).

1) De um mesmo senso de complementaridade. …“um só Corpo…”

A nossa sociedade vê a autonomia como virtude, e a dependência como defeito. Para grande parte da sociedade autonomia é igual a maturidade. Mas o que Palavra de Deus nos ensina é algo muito diferente.
A Bíblia não nos ensina nem a dependência e nem a autonomia, mas, sim a interdependência. A vida só faz sentido se for compartilhada.
É a lógica do corpo que deve prevalecer em nossos relacionamentos. Os cristãos são partes uns dos outros.

b) De uma mesma fonte de poder. …“Um só Espírito…”
Um outro elemento em torno do qual se estrutura a comunidade cristã é o carisma, o poder do Espírito Santo.
Nenhum de nós é capaz de gerar dons e poder espiritual para si mesmo. Nenhum de nós, por mais talentosos que sejamos, somos capazes de produzir um fruto espiritual sequer. Por mais disciplinados, não somos capazes de enfrentar a oposição satânica que se levanta contra nós. Por melhor que tenha sido o nosso treinamento intelectual, nenhum de nós é capaz de produzir estratégias válidas para operar no contexto do Reino de Deus. Nós precisamos do poder do Espírito Santo em nossas vidas.

c) Do mesmo futuro. …“numa só Esperança…”
Todos nós, os que estamos em Cristo, teremos um futuro juntos.
Deus tem planejado para todos nós, um futuro cheio de esperança. Deus diz: “Só eu conheço os planos que tenho para vocês: prosperidade e não desgraça e um futuro cheio de esperança.” – Jeremias 29.11 (NTLH).
É por isso que a nossa esperança deve ser um dos fatores mais importantes da nossa comunhão, porque, se hoje, a nossa comunhão ainda não é perfeita, um dia, ela será.

d) Da mesma atitude de submissão. …“um só Senhor…”
A nossa comunhão está organicamente ligada, ao fato, de que todos nós, temos um só Senhor. Todos nós estamos ligados, atados, submetidos ao Senhorio de Jesus.
Submissão à soberania de Deus. Submissão aos propósitos de Deus. As Escrituras Sagradas afirmam: “Muitos propósitos há no coração do homem, mas o designo do Senhor prosperará.” – Provérbios 19.21 (ARA).
Alguém pode achar que os seus planos são os melhores, mas as Sagradas Escrituras nos ensinam que só os propósitos de Deus, irão permanecer para sempre.

e)Do mesmo senso de expectativas. …“uma só Fé…”
A fé é um dos elementos que fundamentam a comunidade cristã. A Bíblia diz: “A fé é a certeza de que vamos receber as coisas que esperamos e a prova de que existem coisas que não podemos ver.” – Hebreus 11.1 (NTLH).
Deus nos desafia a ver a vida, a ver a realidade, não apenas como ela é, mas sim como ela poderá ser.

f) Do mesmo senso de pertencimento. …“um só Batismo…”
O batismo é um símbolo da nossa conversão. A conversão implica na experiência de uma nova humanidade. E, assim, se alguém está em Cristo, é nova criatura; as coisas antigas já passaram; eis que se fizeram novas”. – 2 Coríntios 5.17 (ARA). Todo aquele que está em Cristo, tem a marca, o selo de pertencimento desta nova humanidade.

g) Do cuidado de um mesmo Pai. …“há somente um Deus e Pai de todos…”.
Uma das coisas mais lindas no Cristianismo é que Jesus nos ensinou a chamar Deus de Pai. Deus é Pai nosso. Isto implica em dizer que não somos nós quem escolhemos aqueles que serão nossos irmãos, mas sim que o Pai é quem toma filhos para si. Estamos todos sob os cuidados do mesmo Pai.

Conclusão

Precisamos recuperar o senso de comunidade da igreja de Cristo. Não apenas para o nosso benefício, mas, sobretudo, em função da missão. Uma vez que a missão é essencial para a comunidade, e a comunidade essencial para a missão.

Autor do estudo bíblico: Neuber Lourenço Pinto Corrêa, Pastor sênior da Igreja Batista da Orla de Niterói – www.orla.org.br

 

Print Friendly, PDF & Email

6 Comentários para “Os fundamentos da comunidade cristã”

    Error thrown

    Call to undefined function ereg()