Por que Cristo morreu?

POR QUE CRISTO MORREU?

 

 

Texto básico:  João 10.11-18

Texto devocional:  Isaías 52.1-15

Versículo-chave: Gálatas 2.20
“Logo, já não sou eu quem vive, mas Cristo vive em mim; e esse viver que, agora, tenho na carne, vivo pela fé no Filho de Deus, que me amou e a si mesmo se entregou por mim”

Leia a Bíblia diariamente:
Segunda: Jo 3.14-18
Terça: Rm 2.25-29
Quarta: Is 52.10-15
Quinta: 1 Co 15.1-6
Sexta: Gl 5.1-6
Sábado: 1 Tm 6.1-18
Domingo: Tg 1.12-17

 

INTRODUÇÃO

Geralmente quando há um crime, a Justiça determina que se faça um traba­lho de investigação para que sejam encontrados os responsáveis. Façamos uma investigação nas Escrituras para descobrir quem são os responsáveis pela morte de Cristo.

Por que Cristo morreu? Quem foi o responsável pela Sua execução? Quem são os suspeitos? E nós, quanto estamos envolvidos com a Sua morte? Qual é a nossa responsabilidade? Olhando pelos olhos de Deus, vejamos a nossa participação. A morte de Jesus foi um acidente? Ou será que fazia parte dos propósitos de Deus Pai? Conheçamos os responsáveis.

I. Pilatos, o governador: por conveniência

1. Era governador romano na província da Judeia. Ele quis agradar aos judeus, entregando-lhes Jesus (Mc 15.15).

2. Estava convicto da inocência de Jesus (Lc 23.4; Jo 18.38; 19.4-5)

3. A mulher de Pilatos o havia avisado: “Não te envolvas com esse justo” (Mt 27.19).

4. Tentou libertar Jesus. Vejamos como:

– enviando-O a Herodes (Lc 23.5-12);
– usando meias medidas (Lc 23.16-22);
– tentando soltá-Lo através de voto popular (Lc 23.20);
– tentando protestar a Sua inocência (Mt 27.24).

5. Pilatos, por fim, cedeu à pressão e entregou Jesus para ser crucificado (Lc 23.23-25). Quis contentar a multidão (Mc 15.15).

“É fácil condenar a Pilatos e passar por alto nosso próprio comportamento igualmente tortuoso. Ansiosos por evitar a dor de uma entrega completa a Cristo, nós também procuramos subterfúgios. Deixamos a decisão para alguém mais, ou opta­mos por um compromisso morno, ou procuramos honrar a Jesus pelo motivo errado (como mestre em vez de Senhor), ou até mesmo fazemos uma afirmação pública da lealdade a Ele, mas ao mesmo tempo O negamos em nossos corações” – Stott.

 

II. Os sacerdotes judeus: por inveja

1. Os sacerdotes entregaram Jesus a Pilatos

Eles O acusaram de subversivo e exigiram a crucificação. Jesus destacou a culpa deles ( Jo 19.11).

2. Jesus incomodava os sacerdotes

– Deixava-Se chamar de Mestre (Mt 19.16; 26.49).
– Festejava com publicanos (Mt 9.10-11).
– Curava no sábado (Mt 12.1-8).
– Denunciava a hipocrisia (Mt 23.27).
– Causava inveja (Mt 27.18).
– Encurralava os sacerdotes, deixando-os sem saída (Mc 11.28-30).
– Tinha autoridade para ensinar, expelir demônios, perdoar pecados e julgar o mundo, mas os sacerdotes não tinham essa autoridade.

“A mesma paixão maligna influencia nossas atitudes contemporâneas para com Jesus. Ele ainda é, como O denominou C.S.Lewis, ‘um interferidor transcendental’. Ressentimo-nos de Suas intrusões à nossa vida privada, Sua exigência de nossa homenagem, Sua expectativa de nossa obediência. Por que é que Ele não cuida de Seus próprios negócios, perguntamos petulantemente, e nos deixa em paz? A essa pergunta Ele instantaneamente responde dizendo que nós somos o Seu negócio e que jamais nos deixará sozinhos. De modo que nós também vemo-Lo como um rival ameaçador, que perturba nossa paz, mina autoridade e diminui nosso autorrespeito. Nós também queremos eliminá-Lo” – Stott.

 

III. Judas Iscariotes: por dinheiro

1. A traição de Jesus por Judas (1Co 11.23)

a) Judas seria um escolhido para o mal? (Lc 22.3; Jo 17.12; At 1.15-17). Entretanto nada disso exonera Judas. Ele era um agente livre. Podia não ser ele.

b) Ele se expôs à vontade de Satanás ( Jo 13.25-30). A traição foi odiosa (Mc 14.21).

c) O suicídio de Judas foi um atestado de culpa.

2. Qual o motivo da traição? Ganância

a) Judas vendeu Jesus (Mt 26.6-16; Mc 14.3-11).

b) Judas amava o dinheiro (Lc 12.15; 1Tm 6.10 NVI).

 

Aplicação

Não é por acaso que Jesus disse que devemos nos acautelar de toda a cobiça, ou que Paulo declarou que o amor ao dinheiro é a raiz de todos os males (Lc 12.15; 1Tm 6.10 NVI). Muitos se deixam subornar (Am 2.6). Mas o cristão não deve ser amante do dinheiro (1Tm 3.3,8; Tt 1.7).

 

IV. O próprio Senhor Jesus: por amor

1. Jesus Se identificou com os pecadores o tempo todo.

2. Jesus Se recusou a desviar-Se da cruz.

3. Jesus predisse a Sua morte (Mt 17.23).

4. Jesus deu a Sua vida ( Jo 10.11,17-18).

5. Jesus Se entregou por nós (Gl 2.20; Ef 5.2,25).

6. Deus O entregou por amor (Rm 8.32).

“É essencial que conservemos juntos estes dois modos complementares de olhar a cruz. No nível humano, Judas O entregou aos sacerdotes, os quais O en­tregaram a Pilatos, que O entregou aos soldados, os quais O crucificaram. Mas, no nível divino, o Pai O entregou, e Ele Se entregou a Si mesmo para morrer por nós. À medida que encaramos a cruz, pois, podemos dizer a nós mesmos: ‘Eu O matei, meus pecados O enviaram à cruz’; e: ‘Ele Se matou, Seu amor O levou à cruz’. O apóstolo Pedro uniu as duas verdades em sua admirável afirmativa do dia de Pen­tecostes: ‘Sendo este entregue pelo determinado desígnio e presciência de Deus, vós o matastes, crucificando-o por mão de iníquos’ – At 2.27. Assim, Pedro atribuiu a morte de Jesus simultaneamente ao plano de Deus e à maldade dos homens. Pois a cruz, que é a exposição da maldade humana, como temos considerado em particular neste capítulo, é ao mesmo tempo a revelação do propósito divino de vencer a maldade humana assim exposta” – Stott.

 

Conclusão

Por que Cristo morreu? Morreu pela responsabilidade de Judas, dos sacerdotes e de Pilatos. Contudo, o que se conclui é que Jesus foi à cruz voluntária e deliberada­mente. Ele Se consagrou a esse destino. Ele Se identificou com os pecadores e morreu por eles. De fato, o bom Pastor dá a Sua vida pelas ovelhas ( Jo 10.11). Grande deve ser a nossa gratidão.

—  Autor da lição: Pr. Luiz César Nunes de Araújo
>> Estudo publicado originalmente pela Editora Cristã Evangélica, na revista “A Cruz de Cristo”, da série Adultos. Usado com permissão.

Print Friendly, PDF & Email

7 Comentários para “Por que Cristo morreu?”

    Error thrown

    Call to undefined function ereg()