Nos bastidores

sábado
sábado

Tiago 3.14-18; 4.8

Uma jovem me procurou ao final de uma pregação e disse: “Você falou daquela garota que disse ser uma guerra civil. ‘Isso não é nada. Eu sou uma guerra mundial’”. E sua expressão infeliz mostrava que isso não era um exagero. Ela havia conhecido a Deus antes, mas sacrificou deliberadamente seu direito espiritual de primogenitura por um ensopado estranho – a liberdade sexual. Agarrou-se às cores pálidas do pôr do sol, e eis que tudo o que lhe restou foi a escuridão.

O homem que vivia nos sepulcros, afligido por espíritos malignos, chamou a atenção de Jesus: “Não me atormentes […] somos muitos” (Mc 5.7, 9). Note, “me”… “nós” (sujeito oculto). Ele era uma pessoa, mas uma pessoa dividida; uma só, mas múltipla. Se deixar que espíritos conflitantes entrem em sua vida, você será levado a viver nos sepulcros, um cemitério das possibilidades e da paz. Você se anulará. O homem que disse: “Estou em harmonia com o caos” estava descrevendo o lugar onde morava – o inferno do conflito.

Muitas vezes vou à parte de trás dos palcos, que sempre é um caos. Da mesma forma, muitos de nós vivem como se fossem palcos vistosos, mas, por trás dessa fachada, todos somos uma verdadeira bagunça, cheios de conflitos, medos, ressentimentos e frustrações. Mantemos uma boa fachada, mas por trás das cortinas…

Pedro fala da “idolatria repugnante” (1Pe 4.3). Era a idolatria dos bastidores; no palco da vida, aparentemente buscando fins altruístas, mas, nos bastidores, praticando a idolatria repugnante, curvando os joelhos no santuário do ego. Paulo fala daqueles que “pregam Cristo por ambição egoísta” (Fp 1.17). Cristo está sendo pregado, mas a serviço do ego. O púlpito é usado como um palco para exibição pessoal. Foi dito de certo político: “Ele não podia usar a oração do Pai-Nosso sem considerar seu significado político – para si mesmo”. Há muitos políticos ocupando posições religiosas, usando a religião como fachada para os bastidores de manobras políticas a fim de obterem posição, lugar e poder. Eles não são maus; estão divididos.

Ó Cristo, cujas motivações interiores e ações exteriores eram claras como o dia, e cujo impacto sobre a vida mudou o mundo, dá-me essa singularidade de motivo e de vida para que eu também possa mudar meu pequeno mundo – para ti. Pois agora estou saindo de uma confusão, e quero deixar uma marca – para ti. Amém. 

Afirmação do dia: Cuidarei dos meus motivos. Então, minhas ações cuidarão de si mesmas. 

>> Retirado de O Caminho [Stanley Jones]. Editora Ultimato.

Print Friendly, PDF & Email

Nenhum comentário ainda.

Deixe um comentário