A emoção acabou

sexta-feira
sexta-feira

É importante lembrar (e dificilmente tenho palavras para expressar o quão importante eu acho que isso seja de fato) que são exatamente as pessoas moderadas e prontas a abrir mão das emoções que têm maior probabilidade de encontrar emoções mais fortes numa direção diferente. Quem aprendeu a pilotar um avião, tornando-se um bom piloto, acabará descobrindo a música de repente; a pessoa que já descansou o bastante num lugar sossegado, acabará descobrindo a jardinagem. Essa é, acredito eu, uma pequena parte do que Cristo quis dizer quando se referiu a algo que não viveria a não ser que morresse primeiro.

Simplesmente não vale a pena tentar agarrar-se a qualquer tipo de emoção: essa é a pior coisa que se pode fazer. Deixe a emoção tomar o seu rumo, deixe-a desaparecer e prossiga partindo desse processo de morte até chegar ao estado de interesse e felicidade mais tranquilos que vem em seguida, e você descobrirá que está vivendo num mundo de novas emoções o tempo todo. Mas, se você decidir transformar as emoções em sua dieta regular e tentar prolongá-las artificialmente, elas se tornarão cada vez mais fracas e menos frequentes, e você se tornará um velho entediado e desiludido pelo resto da vida. É porque poucos entendem isso que encontramos tantos homens e mulheres de meia-idade murmurando e reclamando da juventude perdida exatamente na idade em que novos horizontes e novas portas estão se abrindo ao redor deles.

É bem mais divertido aprender a nadar do que tentar, infinita e desesperadamente, recuperar o sentimento que você tinha quando era criança e brincava na água.

>> Retirado de Um Ano com C. S. Lewis, Editora Ultimato.

Print Friendly, PDF & Email

Nenhum comentário ainda.

Deixe um comentário