Sábios como as serpentes

sexta-feira
sexta-feira

Prudência significa bom senso prático; é se dar ao trabalho de pensar bem sobre o que se está fazendo e qual a provável consequência. Hoje em dia, a maior parte das pessoas dificilmente pensa na prudência como uma “virtude”. Na verdade, pelo fato de Cristo ter dito que nós só conseguiremos entrar no seu reino nos tornando como crianças, muitos cristãos alimentam a ideia de que, desde que você seja “bom”, não importa que você seja um tolo. Porém, esse é um grande mal-entendido. Em primeiro lugar, a maioria das crianças mostra muita “prudência” quando faz coisas de seu interesse, planejando-as de forma bastante sensata. Em segundo lugar, conforme Paulo enfatiza, quando Cristo diz que devemos ser como crianças, jamais estava se referindo à inteligência; pelo contrário. Ele disse para não sermos apenas “mansos como as pombas”, mas “sábios como as serpentes”. Ele disse que devemos ter o coração de uma criança, mas a cabeça de um adulto. Ele quer que sejamos simples, focados, carinhosos e ensináveis — assim como as crianças; mas ele quer também que cada parte da inteligência que temos esteja alerta para o trabalho e preparada para a batalha. O fato de você dar dinheiro para uma instituição de caridade não significa que você não deva tentar descobrir se ela é fraudulenta ou não. O fato de você pensar em Deus (por exemplo, quando está orando) não quer dizer que deva continuar alimentando as mesmas ideias de bebê que alimentava aos cinco anos de idade. É claro que é verdade que Deus não o amaria menos nem o usaria menos se você tivesse nascido com um cérebro limitado. Ele tem um lugar reservado até para pessoas com pouco discernimento, mas ele quer que cada um de nós use o discernimento que tivermos.

>> Retirado de Um Ano com C. S. Lewis, Editora Ultimato.

Print Friendly, PDF & Email

Nenhum comentário ainda.

Deixe um comentário