Semana 6: Lucas 2.25-40

[Simeão] — Agora, Senhor, cumpriste a promessa que fizeste e já podes deixar este teu servo partir em paz. Pois eu já vi com os meus próprios olhos a tua salvação, que preparaste na presença de todos os povos: 2.32 uma luz para mostrar o teu caminho a todos os que não são judeus e para dar glória ao teu povo de Israel. [2.29-32 NTLH]

Agora ela [Ana] estava com oitenta e quatro anos de idade. Nunca saía do pátio do Templo e adorava a Deus dia e noite, jejuando e fazendo orações. Naquele momento ela chegou e começou a louvar a Deus e a falar a respeito do menino para todos os que esperavam a libertação de Jerusalém. [2.37-38 NTLH]

Continue lendo →

Semana 5: Lucas 2.20a

Então os pastores voltaram para os campos, cantando hinos de louvor a Deus pelo que tinham ouvido e visto. (NTLH)

Os pastores tiveram um experiência inesquecível: o anúncio por anjos, primeiro um e depois uma multidão ao vivo e em cores, da chegada do muito esperado rei dos judeus! Claro que deu medo (2.9, compare 1.12, 30 e 65, quem diz que o encontro com Deus é coisa de paz e gozo apenas, nunca se colocou mesmo diante do Eterno). Mas também era magnífico, inclusive com direito a entrada para um show do coro celestial (2.14). Mas quem eram estes pastores? Continue lendo →

Semana 4: Lucas 2.1-2

Naquele tempo o imperador Augusto mandou uma ordem para todos os povos do Império. Todas as pessoas deviam se registrar a fim de ser feita uma contagem da população. Quando foi feito esse primeiro recenseamento, Cirênio era governador da Síria. (NTLH)

Numa sexta-feira à noite, fins de agosto de 1.969 abri o meu coração diante de Deus, choroso, angustiado, muito sincero e “entreguei os pontos” à beira dum lago tranquilo nas montanhas de Carolina do Norte. Não quis mais seguir os meus próprios caminhos dum jovem rapaz de 17 anos. Experimentei transformação. Nunca mais fui o mesmo, mesmo que cometi e ainda cometo muitas burradas ao longo dos 42+ anos seguintes que nada tem a ver com Deus. Continue lendo →

Semana 3: Lucas 1.41-42

Quando Isabel ouviu a saudação de Maria, a criança se mexeu na barriga dela. Então, cheia do poder do Espírito Santo, Isabel disse bem alto: — Você é a mais abençoada de todas as mulheres, e a criança que você vai ter é abençoada também! (NTLH)

Não sou mãe. Nem mulher sou, portanto, só posso apreciar esta passagem na condição de homem. A perspectiva duma mulher muito me interessa, então, as irmãs que leêm isto, por favor, deem a sua contribuição.

Mas o que está acontecendo nesta passagem tão conhecida? Um pouco de pano de fundo irá ajudar… Continue lendo →

Semana 2: Lucas 1.1-23

Quando Herodes era o rei da terra de Israel, havia um sacerdote chamado Zacarias, que era do grupo dos sacerdotes de Abias. A esposa dele se chamava Isabel e também era de uma família de sacerdotes. Esse casal vivia a vida que para Deus é correta, obedecendo fielmente a todas as leis e mandamentos do Senhor…. O anjo respondeu: — Eu sou Gabriel, servo de Deus, e ele me mandou falar com você para lhe dar essa boa notícia.Você (Zacarias) não está acreditando no que eu disse, mas isso acontecerá no tempo certo. E, porque você não acreditou, você ficará mudo e não poderá falar até o dia em que o seu filho nascer. (Lucas 1.5-6, 19-20 NTLH)

Já conheceu um casal como Zacarias e Isabel, idoso, piedoso, correto e obediente? Faz muito bem para o coração e para a fé. Pessoas, especialmente casais que permaneceram anos e gerações com muita garra na caminhada da fé cristã, são grandes inspirações e incentivos para nós, não achas? Continue lendo →

Semana 1: Lucas 1.1-2

Prezado Teófilo, Muitas pessoas têm se esforçado para escrever a história das coisas que aconteceram entre nós. Elas escreveram o que foi contado por aqueles que viram essas coisas desde o começo e anunciaram a mensagem do evangelho. Portanto, Excelência, eu estudei com todo o cuidado como foi que essas coisas aconteceram desde o princípio e achei que seria bom escrever tudo em ordem para o senhor, a fim de que o senhor pudesse conhecer toda a verdade sobre os ensinamentos que recebeu. (NTLH, ênfase acrescentada)

Lucas se esforçou, sim. Era um verdadeiro estudioso. Examinou várias fontes (sabemos que utilizou os Evangelhos de Marcos e Mateus, mas havia bem mais). Ser um bom estudioso, um cuidadoso pesquisador, é algo que hoje, infelizmente, tem pouco “ibope” no meio evangélico popular. Continue lendo →

O divórcio entre a fé e a ciência, ou entre a física e a metafísica, marcou o fim da Idade Medieval e o início do Iluminismo. Não me entenda mal. Creio que este divórcio trouxe inestimáveis benefícios para ambos os lados, mas não sem um alto preço. Como os divórcios são caraterizados por brigas, mal entendidos, rotulações preconceituosas ou até mesmo xingações dos dois lados, também a ciência e a teologia sofrem de grande dificuldade de comunicação. Além disto, com o amadurecimento da ciência, cresce a convicção popular que a ela pertence o campo de fatos enquanto à religião pertence o campo de valores. Curiosamente ao campo de fatos se aplica a regra de singularidade e dogma. Isto é, a respeito de determinado fenômeno, cientificamente falando, os fatos são únicos, e uma vez estabelecidos, se tornam dogmas. O inverso ocorre na percepção do papel da religião para quem é relegado campo de valores. Estes valores, não como fatos, são múltiplos e por isso culturalmente não devem ser entendidos como dogmas universais, apenas do gosto do freguês. Continue lendo →