Artigos

7CBM – Quarto Estudo de Chris Wright

Finalmente no seu quarto estudo, o tema do Chris Wright foi “Obedecendo ao mandato de Deus” com base em Mateus 28.16-20. Deixou esta passagem por último justamente porque se encontra no final do Evangelho como o clímax de tudo que o precedeu. A passagem é a seguinte…

Seguiram os onze discípulos para a Galileia, para o monte que Jesus lhes designara. E, quando o viram, o adoraram; mas alguns duvidaram. Jesus, aproximando-se, falou-lhes, dizendo: Toda a autoridade me foi dada no céu e na terra. Ide, portanto, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo; ensinando-os a guardar todas as coisas que vos tenho ordenado. E eis que estou convosco todos os dias até à consumação do século.

Enfatizou que a passagem começa falando da autoridade de Cristo derivada e sobre todas as coisas: os céus e a terra, semelhante a postura de Paulo em Efésios 1.9-10 e Colossenses 1.16-17… Mais >

7CBM – Terceiro Estudo de Chris Wright

No seu terceiro estudo, o tema do Wright foi “Espalhando o nome de Deus”. Citou 1 Reis 8.22-30, 41-43, 56-61…

Pôs-se Salomão diante do altar do Senhor, na presença de toda a congregação de Israel; e estendeu as mãos para os céus e disse: Ó Senhor, Deus de Israel, não há Deus como tu, em cima nos céus nem embaixo na terra, como tu que guardas a aliança e a misericórdia a teus servos que de todo o coração andam diante de ti; que cumpriste para com teu servo Davi, meu pai, o que lhe prometeste; pessoalmente o disseste e pelo teu poder o cumpriste, como hoje se vê. Agora, pois, ó Senhor, Deus de Israel, faze a teu servo Davi, meu pai, o que lhe declaraste, dizendo: Não te faltará sucessor diante de mim, que se assente no trono de Israel, contanto que teus filhos guardem o seu caminho, para andarem diante de mim como tu andaste. Agora também, ó Deus de Israel, cumpra- se a tua palavra que disseste a teu servo Davi, meu pai.

Mas, de fato, habitaria Deus na terra? Eis que os céus e até o céu dos céus não te podem conter, quanto menos esta casa que eu edifiquei. Atenta, pois, para a oração de teu servo e para a sua súplica, ó Senhor, meu Deus, para ouvires o clamor e a oração que faz, hoje, o teu servo diante de ti. Para que os teus olhos estejam abertos noite e dia sobre esta casa, sobre este lugar, do qual disseste: O meu nome estará ali; para ouvires a oração que o teu servo fizer neste lugar. Ouve, pois, a súplica do teu servo e do teu povo de Israel, quando orarem neste lugar; ouve no céu, lugar da tua habitação; ouve e perdoa. –vv. 22-30

Também ao estrangeiro, que não for do teu povo de Israel, porém vier de terras remotas, por amor do teu nome (porque ouvirão do teu grande nome, e da tua mão poderosa, e do teu braço estendido), e orar, voltado para esta casa, ouve tu nos céus, lugar da tua habitação, e faze tudo o que o estrangeiro te pedir, a fim de que todos os povos da terra conheçam o teu nome, para te temerem como o teu povo de Israel e para saberem que esta casa, que eu edifiquei, é chamada pelo teu nome. – vv. 41-43

Bendito seja o Senhor, que deu repouso ao seu povo de Israel, segundo tudo o que prometera; nem uma só palavra falhou de todas as suas boas promessas, feitas por intermédio de Moisés, seu servo. O Senhor, nosso Deus, seja conosco, assim como foi com nossos pais; não nos desampare e não nos deixe; a fim de que a si incline o nosso coração, para andarmos em todos os seus caminhos e guardarmos os seus mandamentos, e os seus estatutos, e os seus juízos, que ordenou a nossos pais. Que estas minhas palavras, com que supliquei perante o Senhor, estejam presentes, diante do Senhor, nosso Deus, de dia e de noite, para que faça ele justiça ao seu servo e ao seu povo de Israel, segundo cada dia o exigir, para que todos os povos da terra saibam que o Senhor é Deus e que não há outro. Seja perfeito o vosso coração para com o Senhor, nosso Deus, para andardes nos seus estatutos e guardardes os seus mandamentos, como hoje o fazeis. – vv. 56-61

Mais >

7CBM – Segundo Estudo de Chris Wright

O segundo estudo se intitulou “Chamando o povo de Deus” e se baseou em Êxodo 19.1-6:

No terceiro mês da saída dos filhos de Israel da terra do Egito, no primeiro dia desse mês, vieram ao deserto do Sinai. Tendo partido de Refidim, vieram ao deserto do Sinai, no qual se acamparam; ali, pois, se acampou Israel em frente do monte. Subiu Moisés a Deus, e do monte o Senhor o chamou e lhe disse: Assim falarás à casa de Jacó e anunciarás aos filhos de Israel: Tendes visto o que fiz aos egípcios, como vos levei sobre asas de águia e vos cheguei a mim. Agora, pois, se diligentemente ouvirdes a minha voz e guardardes a minha aliança, então, sereis a minha propriedade peculiar dentre todos os povos; porque toda a terra é minha; vós me sereis reino de sacerdotes e nação santa. São estas as palavras que falarás aos filhos de Israel.

Nesta passagem, conforme Chris Wright, Deus aponta em três direções: para o passado (graça), para o futuro (visão), e para o presente (obediência). Mais >

7CBM – Primeiro Estudo de Chris Wright

10479353_1005491492811107_432276755984324978_oUm dos destaques do Sétimo Congresso Brasileiro de Missões, realizado nesta semana em Águas de Lindóia, era a participação do britânico, Chris Wright, para trazer as reflexões bíblicas. Foram quatro as reflexões, com em Gênesis 18.1-21; Êxodo 19.1-6; 1 Reis 8.22-30, 41-43, 56-61; e Mateus 28.16-20, um total de cerca de quatro horas de estudo.

Aqui queremos apenas resumir cada um dos quatro estudos para aqueles que não estavam. Quem sabe aqueles que estavam presentes e queiram acrescentar algum outro destaque, podem fazê-lo por meio dos comentários a este post. Mais >

No caminho para Emaús

Semana 77: Lucas 24.13-53

Naquele mesmo dia, dois dos seguidores de Jesus estavam indo para um povoado chamado Emaús… — Lucas 24.13

A quem esta passagem se refere? Quem eram os dois discípulos? E por que “dois”? Eram dos 72 discípulos enviados por Jesus em Lucas 10. E eram dois porque em Lucas 10, Jesus os enviou de dois em dois. Estavam cumprindo a ordem de envio por Jesus.

E qual era a reação destes dois discípulos diante do encontro com o estranho (Jesus) que achavam não saber nada a respeito dos últimos eventos tão importantes na vida da cidade de Jerusalém? Eles estavam atônitos, ignorantes até mesmo da presença de Jesus entre eles. E Jesus, por sua vez, foi paciente, ouvinte, e os acompanhava com interesse genuíno e intimidade. Mais >

O discipulado autêntico

Semana 76: Lucas 23.13-26

Aí toda a multidão começou a gritar:— Mate esse homem! Solte Barrabás para nós! Barrabás tinha sido preso por causa de uma revolta na cidade e por assassinato. Então Pilatos, querendo soltar Jesus, falou outra vez com a multidão. Mas eles gritavam mais ainda:— Crucifica! Crucifica! — Lucas 23.18-21

Estamos diante dos últimos dois cenários que Lucas relata antes da crucificação de Jesus. O clima não poderia ser mais pesado. O Evangelho inteiro caminha para este momento: Mais >

A traição de Pedro (e nossa?)

Semana 75: Lucas 22

Jesus continuou: Simão, Simão, escute bem! Satanás já conseguiu licença para pôr vocês à prova. Ele vai peneirar vocês como o lavrador peneira o trigo a fim de separá-lo da palha. Mas eu tenho orado por você, Simão, para que não lhe falte fé. E, quando você voltar para mim, anime os seus irmãos. Então Pedro disse a Jesus: Estou pronto para ser preso e morrer com o senhor! Então Jesus afirmou: Eu digo a você, Pedro, que hoje, antes que o galo cante, você dirá três vezes que não me conhece. (Lucas 22.31-34 NTLH)

Quando o leitor encontra um capítulo de 71 versículos dividido em 12 episódios (dependendo da edição da Bíblia que segue) só pode concluir que este capítulo precisa ser lido de vez. Ou seja, os episódios são conectados, pelo menos na cabeça dos editores antigos que acrescentaram a enumeração de capítulos à Bíblia até o século XIII e de versículos até meados do século XVI. Isto foi o caso do capítulo 21 e novamente é o caso do capítulo 22. Lendo os 12 episódios juntos, fica mais claro o significado de cada um. Nesta reflexão queremos focar a traição de Pedro, mas dentro do contexto dos outros episódios. Mais >