ENSAIOS

Este é um artigo clássico e muito citado dentro do campo da antropologia e sociologia da religião, escrito por Anthony Wallace. Foi traduzido alguns anos atrás junto com mais doze artigos clássicos (aguarde!) para aulas de antropologia missionária.

Um estudo feito pela minha esposa, Marta, e publicado em 1993 pela Editora Mundo Cristão na série, Missões na Igreja Brasileira.

É um estudo que descreve os fundamentos do islamismo que se derivaram dos antecedentes judaicos e cristãos primitivos.

Uma reflexão fascinante de considera vários fatores culturais na compreensão por um grupo étnico do “pecado”.

Uma apostila sobre a contextualização apresentada em Itapeva nos dia 14-15 de julho de 2008

LIVRO

APRESENTAÇÕES (POWERPOINT)

Uma transparência que procure ilustrar a relação entre o catolicismo, o kardecismo, os cultos afro-brasileiros e os cultos indígenas na formação da umbanda e outras expressões de espiritismo no Brasil.

Esta transparência se baseia na teoria de Anthony Wallace (veja acima) sobre os diversas opções sociais no processo da revitalização duma cultura que poderá lever ou para uma nova situação de contextualização, sincretismo, adoção cultural, tradicionalismo ou simplesmente extinção.

É uma só transparência que mostra uma síntese do surgimento e entrelaçamento das principais religiões no Brasil: os cultos indígenas, o catolicismo, os cultos africanos, o protestantismo, o umbanda, o pentecostalismo e o kardecismo.

As diversas combinações de formas e sentidos, autóctones e alóctones que resultam na contextualização, no sincretismo, no tradicionalismo ou na dominação cultural.

Como proceder para facilitar a contextualização?

Os diversos níveis e tipos de explanação religiosa baseada nas observações de Paul Hiebert.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You may use these HTML tags and attributes:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>