Arquivo de dezembro 2013

Discipulado radical: como esperamos?

Semana 74: Lucas 21.5-6

Algumas pessoas estavam falando de como o Templo era enfeitado com bonitas pedras e com as coisas que tinham sido dadas como ofertas. Então Jesus disse: — Chegará o dia em que tudo isso que vocês estão vendo será destruído. E não ficará uma pedra em cima da outra. (21.5-6)

Na reflexão passada vimos que Jesus desafia os seus discípulos (estes ficam explícitos em Mateus) a respeito da urgência da hora em que uma nova época estava eclodindo. Quais as implicações? Primeiro, na última reflexão reparamos que devemos nos dispor a dar tudo pela causa, sem meio termos. E isto, seguindo o exemplo da viuva pobre que dava a última tostão.

Depois da passagem acerca da viuva pobre aparecem as palavras acima acerca do templo, o lugar sagrado de culto e sacrifício a Deus. Os judeus, como nós hoje, devem ter ficado orgulhosos do seu templo que Herodes havia, há pouco, reformado. Mesmo que não brilhava como nos dias de Salomão, era uma construção magnífica. E Jesus, como costuma fazer, espantou os seus ouvintes com as palavras acima. O templo será destruído? O lugar sagrado onde Deus próprio habitava? “Como isto é possível?” diziam os seguidores de Jesus. Afinal a destruição do templo é imaginável, sim. Já aconteceu antes. Mas é algo extraordinário e até mesmo cataclísmico. É coisa do “fim dos tempos”… Mais >

Discipulado radical: quanto dou?

Semana 73: Lucas 21

Jesus estava no pátio do Templo, olhando o que estava acontecendo, (v.1a)

e viu os ricos pondo dinheiro na caixa das ofertas. Viu também uma viúva pobre, que pôs ali duas moedinhas de pouco valor. Então ele disse:— Eu afirmo a vocês que esta viúva pobre deu mais do que todos. Porque os outros deram do que estava sobrando. Porém ela, que é tão pobre, deu tudo o que tinha para viver….

Jesus ensinava no pátio do Templo todos os dias…. (v.37)

O capítulo 21, como o capítulo 20 na reflexão anterior, deve ser lido de uma só vez. Os versículos 1 e 37, citados acima, deixam isto claro. São vários ensinos, mas todos dados enquanto Jesus estava no pátio do Templo.

Ele acabara de aconselhar o povo a tomar cuidado com o ensino dos mestres da Lei (20.46-47) que exploram as pessoas. Agora Jesus vai dar o seu ensino e isto, justamente em relação a urgência da hora. Vamos considerar o primeiro ensino: a respeito das nossas contribuições financeiras. A “lição” em si é bem clara: quem merece elogio não é quem dá “muito” (sempre um valor relativo à posição econômica da pessoa) mas quem dá tudo. Na versão do relato por Marcos, Jesus dirige este ensino especificamente aos seus discípulos (Mc 12.41-44). Logo aplica-se ao discipulado. E a lição é idêntica a outra lição dada acerca do jovem rico (Mt 19.16-22; Mc 10.17-22; Lc 18.18-23). Para seguir Jesus é necessário antes vender tudo e dar aos pobres. Duas observações: Mais >