Semana 67: Lucas 18.15-30

Depois disso, algumas pessoas levaram as suas crianças a Jesus para que ele as abençoasse, mas os discípulos viram isso e repreenderam aquelas pessoas. Então Jesus chamou as crianças para perto de si e disse: — Deixem que as crianças venham a mim e não proíbam que elas façam isso, pois o Reino de Deus é das pessoas que são como estas crianças. Eu afirmo a vocês que isto é verdade: quem não receber o Reino de Deus como uma criança nunca entrará nele. vv. 15-17

Certo líder judeu perguntou a Jesus: — Bom Mestre, o que devo fazer para conseguir a vida eterna…. Jesus respondeu: — Eu afirmo a vocês que isto é verdade: aquele que, por causa do Reino de Deus, deixar casa, esposa, irmãos, parentes ou filhos receberá ainda nesta vida muito mais e, no futuro, receberá a vida eterna. vv. 18, 29-30

Assim são duas falas de Jesus, talvez ditas em tempos diferentes, apesar de uma seguir logo a outra não só aqui como também nos Evangelhos de Mateus e Marcos. O maior sinal que são duas ocasiões diferentes está nas audiências diferentes que Lucas registra, na primeira, “algumas pessoas” e na segunda, “certo líder judeu”. Os dois encontros podem ter acontecido juntos mas o mais importante que isto é que os três Evangelistas que contam estes eventos põem um logo após o outro. Isto era uma maneira comum de relatar a história. A sequência temática era mais importante que a sequência restritamente cronológica. Não se deve se surpreender com isso, pois fazemos a mesma coisa quando relembramos com carinho algum ente querido. Por exemplo, o meu herói de infância (e até hoje) era o meu avô, um pastor dedicado, simples, aventureiro e muito amoroso. Morreu em 1977, mas não antes de saber com muito orgulho que Deus havia me chamado para ser um missionário no Brasil! Mais >