Arquivo de dezembro 2012

Prioridades

Semana 48: Lucas 12.1-31

12.2-3 Tudo o que está coberto vai ser descoberto, e o que está escondido será conhecido. Assim tudo o que vocês disserem na escuridão será ouvido na luz do dia. E tudo o que disserem em segredo, dentro de um quarto fechado, será anunciado abertamente.

12.4-5, 7b Jesus continuou: — Eu afirmo a vocês, meus amigos: não tenham medo daqueles que matam o corpo, mas depois não podem fazer mais nada. Vou mostrar a vocês de quem devem ter medo: tenham medo de Deus, que, depois de matar o corpo, tem poder para jogar a pessoa no inferno. Sim, repito: tenham medo de Deus….Não tenham medo, pois vocês valem mais do que muitos passarinhos!

12.8-9 Jesus disse ainda: — Eu digo a vocês que, se alguém afirmar publicamente que é meu, então o Filho do Homem também afirmará, diante dos anjos de Deus, que essa pessoa é dele. Mas aquele que disser publicamente que não é meu, o Filho do Homem também dirá diante dos anjos de Deus que essa pessoa não é dele.

12.15 E continuou, dizendo a todos: — Prestem atenção! Tenham cuidado com todo tipo de avareza porque a verdadeira vida de uma pessoa não depende das coisas que ela tem, mesmo que sejam muitas.

12.22 Então Jesus disse aos seus discípulos: — É por isso que eu digo a vocês: não se preocupem com a comida que precisam para viver nem com a roupa que precisam para se vestir.

12.31 Portanto, ponham em primeiro lugar na sua vida o Reino de Deus, e Deus lhes dará todas essas coisas.

Neste capítulo, como réplica para o tipo de espiritualidade que os fariseus e mestres da lei estavam provomendo, Jesus começou a delinear a sua proposta de espiritualidade. Ela não é nada fácil, mas estabelece um novo conceito de prioridades para a vida pública e privada. Só alguns exemplos desta proposta incluem: Mais >

Audição, visão e corpos bons

Semana 47: Lucas 11.28-41

Mas Jesus respondeu: — Mais felizes são aqueles que ouvem a mensagem de Deus e obedecem a ela (v.28)….

Os olhos são como uma luz para o corpo: quando os olhos de você são bons, todo o seu corpo fica cheio de luz. Porém, se os seus olhos forem maus, o seu corpo ficará cheio de escuridão. Portanto, tenha cuidado para que a luz que está em você não seja escuridão. (11.34-35)….

Quando Jesus acabou de falar, um fariseu o convidou para jantar na casa dele. Jesus foi e sentou-se à mesa. O fariseu ficou admirado quando viu que Jesus não tinha se lavado antes de comer. Então o Senhor disse a ele: — Vocês, fariseus, lavam o copo e o prato por fora, mas por dentro vocês estão cheios de violência e de maldade. Seus tolos! Quem fez o lado de fora não é o mesmo que fez o lado de dentro? Portanto, dêem aos pobres o que está dentro dos seus copos e pratos, e assim tudo ficará limpo para vocês. (vv.37-41)

Em boa parte do Evangelho de Lucas, Jesus trata da maneira apropriada de ouvir, ver e exercitar a verdade. Em todos os casos, o padrão de discernir a verdade foge do padrão costumeiro. Os fariseus e muitos líderes religiosos não aceitavam isso na época de Jesus, e muitas pessoas não aceitam este padrão até hoje. Parece irracional demais, um misticismo romântico mas perigoso, e uma negação do bom senso. É curioso que quem me escreve com um protesto parecido (especialmente uma pessoa é assídua na sua critica) não consegue apresentar contra argumentos e sim, apenas ridiculariza a interpretação apresentada. Mais >

Ouvindo…do coração

Semana 46: Lucas 11.14-28

Jesus estava expulsando de certo homem um demônio que não o deixava falar. Quando o demônio saiu, o homem começou a falar. A multidão ficou admirada, mas alguns disseram: — É Belzebu, o chefe dos demônios, que dá poder a este homem para expulsar demônios…. (vv. 14-15)

Quando Jesus acabou de dizer isso, uma mulher que estava no meio da multidão gritou para ele: — Como é feliz a mulher que pôs o senhor no mundo e o amamentou! Mas Jesus respondeu: — Mais felizes são aqueles que ouvem a mensagem de Deus e obedecem a ela. (vv. 27-28)

Seria interessante ler esta passagem inteira. Talvez se lembre do incidente. Jesus expulsa um demônio e muitos se admiraram disto enquanto alguns, duvidando, colocaram a proeza de ponta cabeça acusando Jesus não só de charlatão, mas de agente do diabo. Supõe-se que estes são os mesmos que encontramos ao longo deste Evangelho: aqueles cínicos que não tem olhos para ver e entender, mas pelo contrário, se julgam entendidos e assim se colocam sempre na posição de acusador. Esta vez Jesus não fica silencioso diante da acusação e se explica virando a acusação contra o acusador. Em seguida, Jesus dá uma lição e um aviso a respeito da pessoa que foi liberta de demônios (autoridades maléficas) mas que não adotou uma outra autoridade benéfica para reger a sua vida. Sua situação piorou. Mais >

Um pai generoso por amor

semana 45: Lucas 11.9-13

Por isso eu digo: peçam e vocês receberão; procurem e vocês acharão; batam, e a porta será aberta para vocês. Porque todos aqueles que pedem recebem; aqueles que procuram acham; e a porta será aberta para quem bate. Por acaso algum de vocês será capaz de dar uma cobra ao seu filho, quando ele pede um peixe? Ou, se o filho pedir um ovo, vai lhe dar um escorpião? Vocês, mesmo sendo maus, sabem dar coisas boas aos seus filhos. Quanto mais o Pai, que está no céu, dará o Espírito Santo aos que lhe pedirem!

Para mostrar que Deus é honroso voluntariamente, e não porque ele é forçado a ser honroso para não passar vergonha, como era o caso do encarregado dos pães (da última devocional), Jesus conta a seguintes comparações. A conclusão já pode ser dita: peçam e receberão, procurem (conversem) e acharão (Deus conversará contigo), pois portas se abrem quando se batem nelas (vv. 9-10). E para remover o último resquício de dúvida, Jesus usa uma técnica comum, argumentando do menor para o maior (vv.11-13), dizendo que a bondade do Pai é muito maior do que até o melhor dos pais humanos. Mais >

Um pai fiel e honroso

Semana 44: Lucas 11.5-8

Então Jesus disse aos seus discípulos: — Imaginem que um de vocês vá à casa de um amigo, à meia-noite, e lhe diga: “Amigo, me empreste três pães. É que um amigo meu acaba de chegar de viagem, e eu não tenho nada para lhe oferecer.” — E imaginem que o amigo responda lá de dentro: “Não me amole! A porta já está trancada, e eu e os meus filhos estamos deitados. Não posso me levantar para lhe dar os pães.” Jesus disse: — Eu afirmo a vocês que pode ser que ele não se levante porque é amigo dele, mas certamente se levantará por causa da insistência dele e lhe dará tudo o que ele precisar.

Para avançar e ilustrar estas características de Deus, Jesus faz uma pergunta para seus discípulos, em duas etapas, cada vez começando com: “imaginem tal e tal situação”. A pergunta surge dum caso hipotético. E, diante da prática normal duma aldeia palestina, a resposta somente pode ser a mesma: “Não! Não podemos imaginar …!” Mais >

Conversando com seu Pai

Semana 43: Lucas 11.1-4

De uma feita, estava Jesus orando em certo lugar; quando terminou, um dos seus discípulos lhe pediu: Senhor, ensina-nos a orar como também João ensinou aos seus discípulos. Então, ele os ensinou: Quando orardes, dizei: Pai, santificado seja o teu nome; venha o teu reino; o pão nosso cotidiano dá-nos de dia em dia; perdoa-nos os nossos pecados, pois também nós perdoamos a todo o que nos deve; e não nos deixes cair em tentação.

A passagem começa com Jesus orando. Isto não apresenta um problema teológico para você? Se ele próprio era Deus, por que orava? E orava para quem? Certamente você está aguardando uma resposta esperta de mim para “resolver” isto. Pode continuar esperando, porque nenhuma das explicações acerca da trindade é totalmente adequada. Mas veja a oração anterior a esta, no capítulo 10. Veja como na própria oração Jesus ocupa um papel único com Deus, um que somente ele pode ocupar, algo que já aponta para a sua união com o Pai. E isto era maravilhoso para os discípulos, mais incrível que qualquer coisa que os profetas e reis antes deles haviam experimentado (10.23). Mais >