Arquivo de dezembro 2011

Semana 52: Jó 42.16-17

Depois disso, Jó ainda viveu cento e quarenta anos, o bastante para ver netos e bisnetos. E morreu bem velho. (NTLH)

Reflexão

Chegamos no final de Jó e no final do ano ano de meditações. Sinceramente, eu achava que não ia dar 52 meditações! Mas que livro cheio de lições. E que livro cheio de dores. Que bom que terminou tão bem. Sinal de abençoado por Deus: os filhos os bens e a sua longa vida: 140 anos, o suficiente para ver netos e bisnetos, e lembra… duma nova leva de filhos e filhas pois os primeiros morreram, igual nos fala o Salmo 128.6.

No fim, Jó foi vindicado. E foi vindicado por Deus. É possível tirar uma conclusão de tudo isto? Creio que sim. Algo como:

Pois o SENHOR dirige e abençoa a vida daqueles que lhe obedecem, porém o fim dos maus são a desgraça e a morte. (Salmo 1.6)

Este é o Deus Criador que servimos, o Deus que cuida de nós mesmo quando pareça bem distante e até ausente. Deus cuida do justo. Jó tinha razão de não dar ouvidos para a sua esposa que queria que ele amaldiçoasse Deus (Jó 2.9). Certo que Jó resmungou, reclamou, se chateou e quis mesmo “chutar o balde”. Mas não chutou e quando Deus finalmente fala com ele, Jó baixa bem a bola e se entrega a Deus.

Que nós pudessémos fazer igual!

Oração

Altíssimo Deus. Graças ti damos pela tua misericórdia e pelo teu cuidado de nós. Em Cristo Jesus. Amém.

Semana 51: Jó 42.14-15

À primeira deu o nome de Jemima; à segunda chamou de Cássia; e à terceira, de Querém-Hapuque. No mundo inteiro não havia mulheres tão lindas como as filhas de Jó. E o pai as fez herdeiras dos seus bens, junto com os seus irmãos.

Reflexão

Ainda falando da maneira que Deus abençoou Jó no final da sua vida, encontramos a descrição acima. Como homem, confesso, se é para confessar, que gosto de mulheres lindas. Entretanto, tendo a associar esta atração não como algo de Deus, e sim, da carne ou até mesmo do diabo! E lógico, o ensino bíblico é claríssimo a respeito do carácter pecaminoso da sedução e cobiça. Mas me ocorre, ao ler esta passagem, que a beleza em si não é coisa ruim, não, é característica da bênção de Deus, como a boa saúde, o boa razão e assim adiante. O problema, obviamente, está com o uso e destino destas coisas boas que nós, pessoas que sofremos o efeito do pecado, fazemos delas.

Outra curiosidade desta passagem é a menção da herança pelas filhas, junto com os filhos, dos bens do pai, Jó. Para nós isto é normal. No mundo antigo, entretanto, era fora do comum. Mas a situação do Jó não era nada comum. E ele ficou tão agradecido que deu a estas lindas filhas, nomes que demonstraram a sua gratidão: Jemima (“o dia”), porque a noite escura de sofrimento se findou; Cássia (uma erva muito fragante), porque Deus sarou as úlceras que fediam tanto; e Querém-Hapuque (“abudância restorada” ou “chifre de tinta”), porque Deus secou as suas lágrimas do seu rosto envermelhado de tristeza (16.16). Ou seja, marcou definitivamente a mudança da sua sorte.

E tu, já marcou definitivamente a mudança da sua sorte, quando Deus te abençou abundantemente? Como marcar, não sei. Mas vale à pena uma marcação inesquecível, como Jó fizera.

Oração

Graças Ti dou, amado Deus, por ter mudado a minha sorte. Em Cristo Jesus. Amém.

Semana 50: Jó 42.12b -13

Ele chegou a ter catorze mil ovelhas, seis mil camelos, dois mil bois e mil jumentas. Também foi pai de sete filhos e três filhas. (NTLH)

Reflexão

Lembra do início deste livro, Jó 1.2-3, que descreve as riquezas de Jó? Aqui, no final da sua vida, Deus restaura a sorte de Jó. Novamente ele tem sete filhos e três filhas, um total de dez, que é um sinal de perfeição. Mas o seu rebanho, no início “perfeito” (múltiplos de 10) agora é exatamente em dobro! Isto é, as suas riquezas era perfeitas dobrado! Mais adiante (42.16) veremos que a sua vida também foi dobrada (para 140 anos) porque a expectativa de uma vida normal era de 70 anos (veja Salmo 90.10). Tudo em dobro (42.10) do que era antes e antes já era o homem mais rico e abençoado!

Como se dobra a perfeição? Somente Deus, e sim, é algo inconcebível, mesmo que quantificável. Inconcebível porque a perfeição já ultrapassa os nossos limites de compreensão sem pensar em dobrá-la. Quantificável porque poderia literalmente contar os seus bens.

Esta é uma história bem oito ou oitenta, não é? Ou as vacas são bem magras mesmo ou são gordas além do que imaginamos. Deus permite desertos terríveis nas nossas vidas e Deus também abençoa. Aliás, toda esta história de desastres e sofrimentos caminha nesta direção dos propósitos ultimamente abençoadores de Deus que caminha pelo auto-conhecimento da fragilidade humana e o reconhecimento humano da soberania e bondade últimas de Deus.

Deus é bom, sim, mesmo quando não parece.

Oração

Bondoso Pai, somos imensamente gratos pela tua graça. Louvado seja o teu santo nome. Em nome de Jesus. Amém.

Semana 49: Jó 42.12a

O SENHOR abençoou a última parte da vida de Jó mais do que a primeira. (NTLH)

Reflexão

Deus não nos trata da mesma maneira sempre. O versículo acima diz que abençoou a última parte da vida de Jó mais do que a primeira. A nossa noção doutrinária da imutabilidade de Deus nos leva a conclusões equivocadas. Leva-nos a pensar que Deus sempre tem que nos tratar da mesma forma como tem que tratar todas as pessoas de maneira igual (como base, a gente costuma citar: “Deus não faz acepção de pessoas”). Mas o testemunho bíblico não confirma nenhuma destas duas conclusões. A imutabilidade de Deus, a sua constância, se refere a seu carácter, não à sua reação conforme as circunstâncias (estas últimas que nunca sabemos por completo). Ou seja, Deus é sempre justo, mas conforme as circunstâncias e coisas que jamais saberemos necessariamente, às vezes a sua justiça se expressa como compaixão e misericórdia e às vezes se expressa em termos de julgamento e castigo.

Por isto mesmo (e por outros motivos além da nossa visão) passamos períodos da vida quando experimentamos mais ou menos a bênção de Deus sobre as nossas vidas. O que poderemos ter certeza é que “Deus, que começou esse bom trabalho na vida de vocês, vai continuá-lo até que ele esteja completo no Dia de Cristo Jesus” (Filipenses 1.6). E por isso, como o apóstolo Paulo, e quem sabe, também eventualmente Jó, podemos concluir:

Sei o que é estar necessitado e sei também o que é ter mais do que é preciso. Aprendi o segredo de me sentir contente em todo lugar e em qualquer situação, quer esteja alimentado ou com fome, quer tenha muito ou tenha pouco. Com a força que Cristo me dá, posso enfrentar qualquer situação. (Filipenses 4.12-13 NTLH)

Citar estas passagens não é difícil. Vivê-las é tão difícil para mim que é para você.

Oração

Bondoso Pai. Não é nada fácil confiar em Ti quando as circunstâncias não parecem promissoras. Preferimos um caminho mais fácil para crescer, amadurece, aprender. Mas ajuda MUITO saber que teu caminho para nós é melhor que o nosso. Muito obrigado por cuidar tanto da gente. Em nome de Cristo Jesus. Amém.