Sou inocente, mas não me importo com isso; estou cansado de viver. Para mim, é tudo a mesma coisa; por isso, digo que Deus destrói tanto os bons como os maus. Se, de repente, uma desgraça mata pessoas inocentes, Deus ri. Deus entregou o mundo nas mãos dos maus e cobriu os olhos dos juízes com uma venda. E, se não foi Deus quem fez isso, então quem foi? (NTLH)

Reflexão

O Livro de Jó desafia as teologias simplistas. A passagem acima é um bom exemplo. O amigo de Jó, Bildade, havia exortado Jó no capítulo 8 com uma teologia simplista, aquela que todos nós já expusemos algum dia talvez, ou até continuemos a expor popularmente, uma teologia em que Deus abençoa os bons e castiga os perversos.  Logo, se sofrer, é porque pecou. O interessante é que a elaboração desta teologia simplista inclui muitas boas e acertadas observações. Jó reconhece isto na sua resposta para Bildade: “Eu sei muito bem que as coisas são assim” (9.2). Mas de acordo com Jó, o problema principal está com a aplicação, aplicação esta que pressupõe que se pode enquadrar Deus facilmente dentro das nossas categorias e estabelecer “conclusões” sobre porque isto ou aquilo aconteceu: no caso específico, porque Jó estava sofrendo tanto.

O protesto de Jó está certo, mesmo que a sua conclusão, citada acima, pareça muito forte. Tanto que eu mesmo não consegui me conformar com a expressão: “Se, de repente, uma desgraça mata pessoas inocentes, Deus ri”. Talvez seja o Bildade dentro de mim, mas eu precisei verificar esta tradução. O hebraico é mais ou menos isto mesmo. Mas a tradução grega conhecida como a Septuaginta, feita 150 anos antes de Jesus, mostra que os escribas também lutavam com este versículo, pois traduziram “pois os perverso morrem, mas os justos são ridicularizados”.

Não acredito que devamos entender que Deus realmente tem algum prazer na desgraça dos inocentes. Mas, a leitura desta primeira parte do capítulo 9 afirma que simplesmente não podemos tirar conclusões precipitadas de causa e efeito sobre as nossas circunstâncias. De fato, a única “explicação” que se pode dar para as desgraças que os inocentes sofrem é aquela que Jó deu em 9.24.

Onde tudo isto nos deixa? Humildes e humilhados diante do nosso único recurso: a misericórdia e a graça de Deus, que Ele promete para aqueles que estão em Cristo Jesus. Estamos novamente no campo de Bildade? Não, porque, como Jó, a sua graça não nos isenta de sofrimentos, porém…

E essa pequena e passageira aflição que sofremos vai nos trazer uma glória enorme e eterna, muito maior do que o sofrimento. (2 Coríntios 4.17 NTLH)

Oração

Pai, confessamos a nossa devoção a Ti acima de qualquer ídolo material ou de comportamento contrário a Ti. Tenha misericórdia de nós e tenha misericórdia de tantos inocentes que sofrem no Brasil,  devido a desgraças climáticas, políticas ou quaisquer que sejam. Que possamos refletir a compaixão de Cristo para pessoas nestas situações. Em seu nome, pedimos, Amém.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You may use these HTML tags and attributes:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>