Arquivo de julho 2010

Semana 30: Romanos 8.19-21

O Universo todo espera com muita impaciência o momento em que Deus vai revelar o que os seus filhos realmente são. Pois o Universo se tornou inútil, não pela sua própria vontade, mas porque Deus quis que fosse assim. Porém existe esta esperança: Um dia o próprio Universo ficará livre do poder destruidor que o mantém escravo e tomará parte na gloriosa liberdade dos filhos de Deus. (NTLH)

Reflexão

Neste final de capítulo 8, tão crucial para a militância evangélica socioambientalista, Paulo trata a criação toda (traduzido como “universo” acima, mas a palavra em grego é “criação”), não como uma coisa, mas como pessoa. Acho isto fascinante. Não que Paulo achava que a criação fosse, de fato, uma pessoa humana. Paulo sabia bem como usar uma metáfora. Mas tem a ver com perspectiva e trato. A criação é obra de Deus e assim reflete algo do criador. Nós evangélico gostamos de acrescentar que a criação é distinta do Criador, para resguardar contra o panteismo. E, tudo bem, é distinta, sim. Mas mesmo assim, a criação merece o nosso cuidado carinhoso no trato. É isso que Paulo está fazendo quando ele a trata como pessoa. Claro que não estamos falando de adoração. Mas carinho.

Segundo, nesta passagem, a criação espera e aguarda uma “revelação” da gente, dos seguidores de Cristo. Qual a natureza desta revelação? Dentro do contexto maior deste capítulo e do capítulo 7, é a revelação de gente transformada, gente andando conforme o Espírito de Deus, e não conforme a natureza humana. Esta importância geralmente nos escapa. O que significa? Significa que a transformação do meio ambiente começa com a transformação da gente. Nisto acredito que ambientalistas de modo geral iriam concordar. Mas a gente trasformada é específica. São os “filhos de Deus”, obviamente os seguidores de Cristo. Nós temos responsabilidade dobrada. Porque o que mais pode mudar o interior, os valores mais fundamentais do nosso ser? Já sabemos. Somente Deus, e ele já providenciou tal transformação por meio da cruz. Logo, nós cristãos, que fazemos parte da criação, transformaremos de fato a criação, quando nós mesmos formos transformados cada vez mais.

Oração

Pai, nossa transformação parece tão lenta e, às vezes, parcial. Estamos sempre aprendendo coisas novas e o Teu Espírito sempre está agindo em novas dimensões da nossa vida. Como é bom sermos vasos em Tuas mãos. Graças Te damos. Em nome de Cristo Jesus. Amém.

Semana 29: Romanos 8.17-19

E se somos seus filhos, também somos herdeiros. Isto mesmo! Herdeiros de Deus e herdeiros junto com  Cristo! Isto significa que se sofremos junto com Cristo, pode ter certeza que junto com Cristo tomaremos parte da sua glória. Ora, pelo meu cálculo, o que nós sofremos agora não tem a menor importância diante da glória que carregamos, como grávidas, dentro de nós. Porque a expectativa atenta da criação aguarda persistentemente o desvelamento dos filhos de Deus. (minha tradução)

Reflexão

Eu preciso voltar para trás para considerar novamente os versículos das últimas duas devocionais acima. Veja o destaque sublinhado. Tipicamente, algo passa despercebido nestes versículos. A leitura de dois comentários sobre Romanos, por Tom Wright, me ajudou. Aqui está…

A linguagem da herança para os judeus remetia a memória para a promessa aos filhos de Israel de herdar a Terra de Canaã. Há vários indícios que a passagem acima ecoa este pano de fundo. A promessa é ampliada no Salmo 2.8 para o filho representante de Israel, o Messias: “Pede-me, e eu te darei as nações por herança e as extremidades da terra por tua possessão. ” (Revista e Atualizada) E esta é a mesma promessa mencionada por Paulo em Romanos 4.13, dada para os filhos de Abraão, explicitando a promessa de Gênesis 12.3, que herdarão o mundo (a palavra mema é kosmos). O que isto significa para a primeira parte da nossa passagem acima é que os seguidores de Cristo, como herdeiros de Cristo, participarão na sua “glória”, isto é, no seu glorioso domínio sobre o mundo inteiro, inclusive todos os povos e toda a criação, enfim, o kosmos. Paulo já havia dado algumas dicas semelhantes a isto em Romanos 5.2, e explicitado ainda mais em Romanos 5.17. Parece estranho? Não se convenceu? Agora leia 1 Coríntios 6.2-3 escrito antes ainda de Romanos.

Pronto. Isto significa, nas palavras de Wright, “que o mundo inteiro, toda a criação, será refeita para o Messias e o Seu povo.”  Ele também diz que “com a sua eventual vindicação e ressurreição, a própria criação inteira será liberta da corrupção e da decadência”. Existe alguma afirmação “conservacionista” maior? Acho que a palavra melhor é “transformacionista”. E nós temos parte nisto. Cansou de ouvir isto. Estou cantando para o coral? Daí que vem a segunda parte da passagem acima, que diz basicamente: “ânimo! O nenê está para nascer e o parteiro é o próprio Deus. Logo nascerá mesmo. E nós temos o privilégio de ser as mães.”

Oração

Novamente ficamos espantados pela magnitude da nossa vocação, mas não desesperados, pois Tu prometeste e sempre cumpres a Tuas promessas. Quão maravilhoso Tu és. Graças Te damos em Cristo Jesus. Amém.

Semana 28: Romanos 8.18-19

Ora, pelo meu cálculo, o que nós sofremos agora não tem a menor importância diante da glória que carregamos, como uma grávida, dentro de nós. Porque a expectativa atenta da criação aguarda persistentemente o desvelamento dos filhos de Deus. (minha tradução)

Reflexão

Na semana passada, refletimos sobre o versículo anterior que também afirma que a nossa “glória” será maior que o sofrimento. Também vimos que isto é tão seguro quanto a ressurreição de Jesus que também ilustra a glória superando o sofrimento. Nos dois versículos acima, Paulo pinta um quadro onde a criação toda, como se fosse uma personagem distinta (como a “Sabedoria” em Provérbios 8.22), olha para nós, seguidores e Jesus, vê o saldo maior eventual da glória nas nossas vidas, sabe que somos parte dela, a criação, e com base nisto, aguarda confiante o seu lote que deverá ser o mesmo! Só que o nenê ainda não nasceu. Mas a “criação” nos enxerga como mulheres bem grávidas, quase explodindo, e aguarda com a mesma ânsia que todos nós que acompanhamos uma querida grávida, a chegada da criança. E um pouquinho mais para frente aprendemos que a criança terá dois nomes: “Liberta” e “Redenção” …quase menina brasileira com nome tipo: a Maria Conceição ou a Assunção. Ela se chamará “Maria Liberta Redenção”!

Agora a parte difícil a entender é esta: a nossa redenção já atuando em nós mas ainda por nascer plenamente é o sinal de esperança para a criação ainda sofrida. Cristãos, igrejas, e especialmente grupos como a Rocha Brasil, precisam andar como uma mulher bem grávida, carregando com alegria  o belo peso da nossa redenção como sinal de algo maior por acontecer para a criação toda. Esta é uma idéia um pouco vaga ou indefinida? Creio que sim. Mas é assim porque ainda não vivemos a dimensão da nossa redenção concientemente dentro do contexto dos desafios socio-ambientais. E também por não vivermos esta redenção de duas maneiras: por um lado, como algo que invadiu o nosso íntimo e, como uma mulher grávida, afeta toda a nossa caminhada, e por outro lado, como algo que, embora viva, ainda não nasceu, que ainda vamos exergar. Isto é, vivemos a vida cristã supondo que a redenção já aconteceu para nós. E de certo modo, aconteceu, como uma mulher grávida que, de fato engravidou-se e cuja gravidez já mudou a sua vida. A diferença é que a mulher grávida, embora já mudada, aguarda muito mais! E nós também. E isto é testemunho para a criação…

Oração

Pai santo, graças de damos pela revelação de seu Filho em nós. Aguardamos ansiosos a revelação da sua redenção em nós e para toda a criação. Enquanto isso, nos dê olhos e coração de redenção para cuidar do nosso ambiente e das pessoas que nos cercam. Em nome de Jesus. Amém.

Semana 27: Romanos 8.17

E se somos seus filhos, também somos herdeiros. Isto mesmo! Herdeiros de Deus e herdeiros junto com Cristo! Isto significa que se sofremos junto com Cristo, pode ter certeza que junto com Cristo tomaremos parte da sua glória. (minha tradução)

Reflexão

Escrevo para Solange. E escrevo para todos nós. Romanos 8.16, o versículo da nossa reflexão da semana passada, termina com uma afirmação: “o Espírito Santo se une com o nosso espírito para afirmar que somos filhos de Deus”. O versículo 17, traduzido acima, estabelece as consequências disto. Consideremos: a nossa filiação, a nossa herança e as coisas “boas” e “ruins”que isto inclui, é intimamente vinculada à filiação e à herança de Cristo! Ou seja, se somos filhos de Deus (a prova é que clamamos, “Aba, Pai”, v.15), da mesma maneira que a glória de Cristo é segura, mesmo passando por sofrimento, nossa glória também é segura, mesmo passando por sofrimento!

Duas observações quanto a esta afirmação: Primeiro, no versículo 17, na língua original, há um substantivo e dois verbos que tem o prefixo “junto com”, Em grego, este prefixo é sun. Às vezes, traduzimos como “co-“. Somos “co-herdeiros”, nós “co-sofremos” com Cristo e nós “co-gloriamo-nos” com Cristo. Ou seja, da mesma maneira que acontece com ele, acontece conosco também. Segundo, minha professora de redação me ensinou que devemos  ser muito conservadores no uso dos pontos de exclamação. Doutra sorte, perdem a sua força. Mas como evitá-los diante destas afirmações de Paulo?

Agora, esta “glória” é somente futura? Para responder, temos que lembrar que a promessa da nossa glória é tão segura quanto à glória de Cristo. E a glória de Cristo é meramenta futura? Não. Já participamos nesta glória, como também já participamos no sofrimento de Cristo. Não significa que os nossos sofrimentos são  menos sofridos. Mas sabemos que o “saldo” da nossa herança sempre pesa para o lado glória. A glória sempre pesa mais (sabia que “glória” no hebraico significa “pesado”?).

Portanto, Solange, tu, como toda a turma da Rocha, és filha de Deus, amada por Deus, com uma herança e tanto! Pois carregas um “peso” muito pesado. Não um peso de fardo, mas um peso de tesouro de ouro, diamantes e mais. Por isso, brilhes, mesmo no sofrimento. Deus te guarde e Deus nos guarde.

Oração

Pai bondoso, ponha Tua mão sobre o ombro da Solange, e execute a Tua cura. Apresse o seu tratmento. Guie os Teus instrumentos humanos com precisão, carinho, e agilidade. Salve-nos em nome de Jesus. Amém.