Sabes por que o Novo Testamento recebeu o seu nome? Desculpe aparecer muito elementar, mas você provavelmente já advinhou, inclusive pelo título dado a esta reflexão: isto é, a igreja primitiva entendeu que aquilo que Deus fez em Jesus era novidade e que a natureza do cumprimento das promessas de Deus, feitas para Israel e realizadas em Jesus, se constituía não numa realização estreita do jeito esperado, mas uma verdadeira inovação. Por isso, os escritos a respeito destas coisas (o Novo Testamento) passaram a ser entendidos como novidade e, por sua vez, as Escrituras Hebraicas, como são conhecidas até hoje pelos judeus, passaram a ser conhecidos como “Velho” Testamento. Não que o Velho é ultrapassado, irrelevante e sem aplicação. Se bem que alguns cristãos no início da história da igreja entenderam que era irrelevante sim, e assim nasceu uma das primeiras “heresias”. O “Velho” continua sendo relevante, atual, e aplicável, entretanto não da mesma forma. A partir de Cristo, o Velho Testamento é sempre interpretado à luz do Novo Testamento. Na prática, isto significa que dentro duma teologia cristã, todas as nossas doutrinas e práticas oriundas do Antigo Testamento precisam duma apreciação à luz do Novo Testamento: grandes instituições como o sistema de sacrifícios e a lei, celebrações como a páscoa, rituais de iniciação como a circuncisão, a ética moral como a fidelidade conjugal e o homicídio, e práticas religiosas como a observância do sábado e a entrega de dízimos. Em ocasiões oportunas (talvez próximas reflexões no boletim), vou elaborar um pouco mais cada um destes, mas por enquanto queremos apenas ilustrar a NOVIDADE do Novo Testamento.Agostinho de Hipo falou,

No Velho Testamento o Novo Testamento se esconde, no Novo Testamento o Velho se revela.

Do Novo Testamento, O QUE É NOVO?

  1. Um novo mandamento: Amar como Cristo nos ama! – João 13.34; 1João 2.7-8; 2João 5
  2. Uma nova criação: Uma nova maneira de viver! – 2 Coríntios 5.17; Gálatas 6.15
  3. Um novo céu: Um mundo de justiça! – 2Pedro 3.13; Apocalipse 21.1
  4. Uma nova humanidade: União em paz entre as pessoas! – Efésios 2.15
  5. Um novo “eu”: santo e justo! – Efésios 4.24
  6. Uma nova aliança: com base em Cristo – Lucas 22.20
  7. Um novo Jerusalém: lar, doce lar! – Apocalipse 21.2
  8. Uma nova canção: tão bela que nossas canções anteriores se desatualizam! – Apocalípse 5.9; 14.3

A antiga aliança era mediada por Moisés (Êxodo 19; Gálatas 3.19), a nova aliança por Jesus (Hebreus 9.15; João 1.17).
A antiga aliança era condicional (Deuteronômio 28), a nova, incondicional (Hebreus 8.9).
A antiga aliança era irrealizável (Hebreus 8.9), a nova, realizável (Hebreus 8.10).
A antiga aliança era escrita em pedra (Êxodo 32.15), a nova, em corações humanas (Hebreus 8.10)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You may use these HTML tags and attributes:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>