Posts tagged arte

30 de outubro de 2010

0

“Segundo pesquisa da TNS Research com 601 pessoas – encomendada pela Nokia -, 56% dos entrevistados são totalmente a favor de baixar arquivos de música e vídeo pela internet. Ao mesmo tempo 50% dos pesquisados não consideram criminosa a troca online de arquivos, enquanto 73% afirmam questões financeiras para a prática. […] ‘As gerações que cresceram com as novas tecnologias foram pautadas pela crítica ao alto custo dos bens culturais, discutem acesso à cultura, mas nunca se esclareceu à custa de quem’, diz Ivana Crivelli, presidente da Associação Paulista da Propriedade Intelectual.”

Camila Fusco, Folha de S.Paulo – 30/10/2010

 

“Uma noite maldormida é suficiente para alterar todo o sistema de defesa do organismo. Isso é o que mostra uma pesquisa inédita, realizada na Universidade Federal de São Paulo.”

Gabriela Cupani, Folha de S.Paulo – 30/10/2010

 

“Minha literatura é metapolítica. Os personagens discutem política, mas o livro não carrega uma mensagem específica. Se quero escrever sobre isso, escrevo um artigo e mando ao governo. Escrevo o mesmo artigo há 50 anos, mandando o governo para o inferno, mas eles não me obedecem. Não foram para o inferno. Se quero escrever uma história, escrevo um livro. […] Eu apago mais do que escrevo. Faço mais de 15 versões de um livro. Vou apagando até a versão final. Escrevo tudo à mão e, no final, digito com dois dedos. Não uso o computador para nada.”

Amós Oz, escritor israelense, Folha de S.Paulo – 30/10/2010

 

“Éramos maduros o bastante para saber manter nosso próprio espaço. Mas podíamos dividir muito porque éramos ambos leitores vorazes, militantes cívicos e políticos, tínhamos um mesmo estilo de vida. […] Quem não teve acesso a Saramago diz que ele era uma pessoa difícil. Quem conviveu com ele sabe que era um homem afável e generoso. Tampouco era pessimista, era um intelectual que observava o mundo e via que nós estamos sendo conduzidos ao abismo.”

Pilar Del Río, jornalista espanhola, viúva do escritor José Saramago, Folha de S.Paulo – 30/10/2010

 

“A nossa política é sempre de duas faces: uma face externa, civilizada, respeitadora dos direitos, e uma face interna, cruel, sem eira nem beira.”

 Fábio Konder Comparato, Revista Caros Amigos – outubro de 2010

26 de outubro de 2010

0

“Processos informáticos, sistemas de circulação (como o trânsito) e automatismos mentais (no sentido de discursos que repetimos sem nos darmos conta) são metáforas que sintetizam nossa forma de vida baseada na administração de si como uma empresa, ao modo do que Foucaut chamou de biopolítica. Ou seja, sentimos que as máquinas se voltam contra nós não porque elas são alienígenas que representam uma forma de vida destituída de humanidade, graça ou espontaneidade, disposta a vampirizar invejosamente nossas almas, mas porque elas passam a representar o ideal acabado de nós mesmos – como coisas que funcionam ou não funcionam. Coisas que aspiramos que venham nos punir para nos lembrar de nossa humanidade perdida.”

Christian Dunker, Revista Cult, outubro de 2010

 

“A cultura não existe para respeitar as nossas certezas ou crenças; a cultura existe para as testar, provocar, até insultar – um ringue onde a liberdade de expressão é o único oxigênio permitido.”

João Pereira Coutinho, Folha de S.Paulo, 26 de outubro de 2010

 

“A literatura precisa mostrar o que as pessoas se recusam a ver. O livro (Veneno, Sombras e Adeus – Javier Marías) parece recomendar que voltemos os olhos o mais rápido possível para a lama em que nos colocamos, pois nosso rosto amanhã pode ficar ainda mais sujo. A literatura avisa, mas quem deve ouvir é o leitor.”

Ricardo Lísias, escritor, Revista Cult, outubro de 2010

24 de outubro de 2010

0

“Dados do Banco Central mostram que, nos últimos cinco anos, o número de brasileiros com dívidas superiores a R$ 5 mil, considerando todos os tipos de empréstimos, saltou de 10 milhões para 25,7 milhões. […] Hoje, o volume de dívidas dos brasileiros corresponde a 39,1% da renda, de acordo com o Banco Central. E uma parcela de 23,8% fica comprometida mensalmente com o pagamento dos débitos existentes. Sem detalhes sobre a qualidade das dívidas, esses percentuais já preocupam, na avaliação da Serasa.”

Carolina Matos, Folha de S.Paulo, 24 de outubro de 2010

 

“Olhar para o céu é olhar para o passado. Isso porque a luz tem uma velocidade finita, sempre demora um pouco para ir de um ponto a outro. Por exemplo, o Sol fica a oito minutos-luz da Terra: a luz demora oito minutos para viajar do Sol até nós. Nada do que vemos no céu existe no presente. Objetos distantes podem até mesmo não existir mais, ou ter mudado completamente.”

Marcelo Gleiser, físico, Folha de S.Paulo, 24 de outubro de 2010

 

“Tem gente que é artista e gente que está artista. Alguns usam o primeiro salário para comprar carrão com vidro fumê, mas andam com a janela aberta para ser reconhecido por todo mundo. Quem é artista passa a vida inteira construindo uma carreira sem se preocupar em aparecer e, bem velhinho, olha para trás e sente orgulho. […] Já tive que pagar para trabalhar, encenar uma peça e, ao final, em vez de receber, deixar um cheque de R$ 5.000 para pagar os custos. Mas o fracasso nos dá caráter, faz a gente refletir e provar nossas convicções.”

André Mattos, 49, ator, Folha de S.Paulo, 24 de outubro de 2010

 

“Pastores deram a bênção aos políticos que compartilhavam da sua obsessão com a vida pessoal alheia. Desnecessário dizer que esses mesmos pastores logo se tornaram um espetáculo nacional, caindo um atrás do outro em escândalos, quer sexuais, quer financeiros. Mas os políticos covardes já entregaram a essa gente o direito de mandar em assuntos ‘morais’.”

Benjamin Moser, 34, escritor americano, Folha de S.Paulo, 24 de outubro de 2010

23 de outubro de 2010

0

“Escrever músicas tornou-se para mim, ao mesmo tempo que um lenitivo, um diálogo de vida ou morte com a criação. […] Escrever música  me faz um grande bem: é aí que me entretenho (e também me angustio, outro tanto) em confeccionar respostas concretas para os anseios, para as perguntas que me ocupam. Pode ser que não satisfaçam a ninguém além de mim, mas, nesta hora do mundo, foi assim que encontrei jeito de sobreviver…”

Willy Corrêa, 72, compositor, Estado de S.Paulo, 23 de outubro de 2010

 

“Fatores como vulnerabilidade, predisposição genética, hormônios e pressão social influenciam no aparecimento da ansiedade, mas, assim como no bolo não dá para identificar a farinha, também não é possível precisar o que detona o problema”.

Marcos Ferraz, professor titular aposentado do Departamento de Psiquiatria da Unifesp, Revista Claudia, outubro/2010

25 de setembro de 2010

0

“Ao preferir a indisciplina de Neymar à disciplina de Dorival Júnior, o Santos comportou-se como os colégios que, ao ver um aluno desrespeitar um professor, demitem o professor. Como Neymar é uma figura pública, o ato do Santos sinaliza para milhões de jovens brasileiros que eles podem tudo e não devem nada a ninguém.”

Ruy Castro, Folha de S.Paulo – 25/09/2010

 

“Mais importantes que os fatos em si são suas repercussões. Qual o sentido dessa encrenca toda? Qual o seu impacto no imaginário dos torcedores? […] De repente, Neymar virou, no imaginário nacional, o todo-poderoso soberano do futebol brasileiro, um déspota caprichoso cujo poder desconheceria limites. […] Há muita gente que não suporta Neymar porque ele é petulante, abusado, desrespeitoso com adversários e companheiros, insubordinado com seus ‘superiores’. Mas há também gente que não o engole simplesmente porque ele é craque, é diferente imprevisível.

A regra, o padrão, é sempre mais confortável, menos perturbador que a exceção. Tarefa difícil, num caso desses, é separar o que é de Neymar do que é de nós mesmos que estamos brigando ou com uma parte de nós mesmos.”

José Geraldo Couto, Folha de S.Paulo – 25/09/2010

 

“Sete em cada dez mulheres que sobreviveram ao câncer de mama sofrem disfunções sexuais, segundo um estudo publicado ontem no site especializado Health. A pesquisa aponta como causa principal os efeitos psicológicos da cirurgia mamária.”

Estado de S.Paulo – 25/09/2010

 

“Arte política não pode ser imediatista. O trabalho tem que estar inserido na história da arte. Não adianta fazer denúncia de pernas curtas, que não sobrevive às circunstâncias.”

Cildo Meireles, artista plástico – Folha de S.Paulo – 25/09/2010

 

“A arte é importante demais para ser só o míssil de um discurso.”

Joseph Kosuth, artista plástico – Folha de S.Paulo – 25/09/2010

 

“Política está ligada ao poder humano de interferência nas estruturas. Uma grande obra de arte é política em si.”

José Celso Martinez Corrêa, diretor teatral, Folha de S.Paulo – 25/09/2010

Página 6 de 6« Primeira...23456
Go to Top