Povos e Línguas apresenta trabalho da MEAP em Parnaíba, PI

Nossa Janela 10-40

Por Ildemar de Medeiros

 

Nordeste brasileiro: Nossa Janela 10-40 Doméstica

Dos 222 municípios brasileiros, com menos de 1% dos evangélicos, 138 estão no Nordeste, representando 62,1%. Só na Paraíba há 35 municípios nessa situação. É a região denominada pelo missionário Sérgio Ribeiro de “nossa janela 10-40 doméstica”, comparando-a com a Janela 10-40, a qual representa a região predominante não evangelizada entre as latitudes 10° e 40° norte do Equador (paralelos à linha do Equador), um corredor maciço de pessoas não evangelizadas que se estende do Norte da África através do Centro Oeste e Sul da Ásia até o Japão.

Nesses municípios o clima é muito quente – O Nordeste é uma das regiões mais ensolaradas do globo: são 2.800 a 3.500 horas de sol por ano (mais de 8 horas por dia, em média), e a seca causada pela escassez e a má distribuição de chuvas, também afeta em vários aspectos os que são enviados como missionários, sobretudo os que são oriundos de outras regiões do Brasil, de clima mais frio ou ameno. Somando-se a tudo isso há a escassez e a má qualidade da água disponível para o consumo humano, o que pode provocar diversas enfermidades.

De onde se originam os missionários para o Nordeste?

Em geral os missionários que se dirigem aos municípios do interior do Nordeste são oriundos de grandes centros urbanos (tanto do próprio Nordeste como de outras regiões do Brasil) onde questões como transporte, luz, água, assistência médica, saneamento básico, estão disponíveis a maioria da população, realidade esta contrária à grande parte dos municípios nordestinos. Isto porque esses municípios possuem a maior parte da sua população morando em sítios, ou seja, casas, residências, nas roças, distantes uns dos outros até mesmo quilômetros. Isso se constitui em dificuldade para os missionários se locomoverem para evangelizar ou visitar até mesmo uma única família, bem como reuni-la a outras semanalmente para os cultos. Essa realidade, muitas vezes, mina a resistência dos missionários, exigindo-lhes fé e perseverança na evangelização, e principalmente na sua permanência na localidade por muito tempo.

Os missionários devem ser preparados psicologicamente

Para este contexto geográfico os missionários devem ser preparados psicologicamente para suportarem a ausência do conforto e dos recursos urbanos. Eles devem aprender a viver de maneira simples e humilde, buscando identificar-se com aquela comunidade para que pelo testemunho pessoal eles tenham credibilidade e, consequentemente, autoridade tanto moral quanto espiritual na pregação e ensino das Sagradas Escrituras.

Devem receber treinamento apropriado para enfrentarem a solidão, pois o deslocamento para outros municípios e cidades maiores é dificultado pela ausência de transporte coletivo adequado. Este, às vezes, é feito em carrocerias de camionetas ou caminhões, comumente denominados de paus-de-arara, ou usando-se motos, bicicletas, ou animais como o jumento, o cavalo ou o burro. Não raras vezes, o deslocamento de quilômetros é feito a pé. Mais >