Caros amigos e participantes do Paralelo 10,

Em abril deste ano o Paralelo 10 completa 9 anos de história. Um bom tempo de caminhada, muitas pessoas alcançadas, reflexões em grupo, oportunidades de treinamento e capacitação, dentre outras coisas. Deus tem sido gracioso e mostrado que Ele pode usar iniciativas frágeis, como um projeto à distância, para edificar e fortalecer.

2017 será um novo tempo para o Paralelo 10, uma nova etapa: o projeto se despede da parceria com a Tearfund, organização amiga que contribuiu de forma substancial para a execução das atividades durante todos esses anos. Somos gratos a Deus por ter nos abençoado por meio deles.

O projeto deixará de fazer envio das revistas para participantes individuais e se concentrará no envio para os grupos locais, por meio dos representantes. Estes continuarão  a receber os exemplares, compartilhar com seu grupo e promover momentos de reflexão. Para continuarmos essa atividade precisamos aumentar o número de parceiros – pessoas que apoiam o projeto com  Assinatura Patrocinada. Se você deseja ser um apoiador clique aqui ou envie um email para paralelo10@ultimato.com.br.

O blog do Paralelo 10 continua firme em seu objetivo de divulgar as ações das igrejas nortistas e nordestinas e promover um intercâmbio entre as regiões do Brasil. Já colhemos frutos por meio dessa “rede” de comunicação: diversos contatos de pessoas de outras regiões interessadas em participar de projetos missionários no Norte e Nordeste, projetos e iniciativas divulgadas que foram replicados em outros lugares, pessoas que decidiram ofertar e contribuir com projetos e igrejas parceiras. Uma verdadeira bênção! E aqui fica um convite: Faça parte desta rede. Envie sugestões de publicação!

Agradecemos a todos os envolvidos no Paralelo 10 até aqui e contamos com o apoio de cada leitor, amigo, participante, representante.

Ivny Monteiro

Coordenadora do Paralelo 10

Klênia Fassoni

Diretora Ultimato

 

O jornalista Jénerson Alves é autor de “A Reforma Protestante em Literatura de Cordel” e presidente da Academia Caruarense de Literatura de Cordel (Foto: Joyce Lima)

No ano em que se comemoram os 500 anos da Reforma Protestante, várias atividades estão sendo realizadas em todo o mundo. Pelas bandas do nordeste, onde vive um povo criativo e arretado, o aniversário da Reforma também está sendo lembrado e comemorado. Mas de uma forma bem peculiar.

O pernambucano Jénerson Alves, 29 anos, jornalista e membro da Igreja Batista Emanuel em Caruaru (PE), resolveu contar a história da Reforma em cordel, um estilo literário tipo poema popular, muito comum no nordeste brasileiro. Jénerson, que também é presidente da Academia Caruaruense de Literatura de Cordel (ACLC), diz que o cordel sobre a Reforma é uma opção para memorizar os fatos e apreender os conceitos, e, assim, popularizar um assunto que às vezes fica restrito aos teólogos da academia.

A narrativa do cordel passa pelo nascimento, morte e ressurreição de Jesus, pelo surgimento e primeiros dias da igreja, seguidos pela perseguição romana, relatados em Atos, e chega à oficialização do cristianismo como a nova religião do império romano, feito de Constantino. Depois salta para o século 16, quando “Vê-se o clero corrompido / Com o éter da insensatez / Tão servo do vil metal / Tão longe do ideal”, e, então, surge o movimento que hoje conhecemos como Reforma Protestante.

Confira um trecho do cordel e em seguida a entrevista que Jénerson concedeu ao blog Paralelo 10. Continue lendo →

Na segunda quinzena do mês de abril a Missão PróSertão realiza duas consultas de capacitação para obreiros que atuam no sertão nordestino. Além de motivar e encorajar os participantes, o encontro quer afiar a visão ministerial, analisar e definir estratégias. Fornecer formação e ferramentas para obreiros sertanejos nativos é um dos principais desafios para que o evangelho avance na região e chegue aos seis mil povoados que ainda carecem de evangelização.

De acordo com a Consulta Povos Minoritários, que reuniu em 2015 várias organizações missionárias, o maior desafio do sertão são as cidades com menos de 30 mil habitantes e a zona rural. Embora essas cidades estejam em um contexto com fundo religioso animista e católico, estão menos tradicionais e mais abertas ao evangelho.

Consulta Sertaneja em Piriri

Quando? De 21 a 23 de abril de 2017.
Onde? Em Piripiri, no Piauí.
Tema: Como fazer missões no sertão.
Preletores: Pr. Cesario de Paula Conserva Jr. (JUVEP) e Dr. Arthur Dück (Faculdade Fidelis, Curitiba).

Consulta Sertaneja em Picos

Quando? De 27 a 29 de abril de 2017.
Onde? Na Primeira Igreja Batista de Picos (Picos/Piauí).
Tema: Como fazer missões no sertão.
Preletores: Pr. Arthur Dück (Faculdade Fidelis, Curitiba) e Pr. Rubens Coutinha (PróSERTÃO).

Clique aqui para mais informações e inscrições.

Por Vivian Fernandes Barroco

Aqui o dia começa cedo, as mulheres sertanejas são como diz Provérbios 31: “olham pelo governo de sua casa e não comem o pão da preguiça”. Elas vivem com os olhos no céu a espera da chuva e com as mãos no trabalho. Essas mulheres são marcadas pela vida, marcadas pela labuta diária que é grande e pesada, marcadas pelo sol que não da trégua. Mulheres que carregam do sofrimento uma sabedoria que nenhuma grande faculdade consegue dar. Elas sabem o significado de resiliência na prática, estão sempre se reinventando, seja quando a chuva não vem, seja quando seus maridos vão para fora trabalhar, seja quando a doença bate a porta e elas não podem parar.

Eu vivo no sertão há três anos e sempre me surpreendo com a força dessas mulheres. Era uma quarta-feira à tarde, sol quente, chego a um povoado e lá na roça estava dona Doralice cortando mato, enchendo uma saca para alimentar seus animais. Ela perdeu o marido, tem duas filhas e me disse: antes eu não precisava vir, cuidava só da casa, mas agora…

Dona Maria, lavadeira, mãe, passa o dia lavando roupa e andando pra cima e pra baixo com trouxas na cabeça para entregar. Um dia desses chegou com a notícia de ter conseguido, depois de uma vida inteira de trabalho, comprar sua moto. Foi alegria que encheu os olhos! Continue lendo →

Dia Internacional da Mulher | 8 de março

Por Juliana Stelli

Tenho pensado muito sobre essa coisa toda do DIY (faça você mesmo). Eu, que sempre preferi fazer do que comprar feito me peguei pensando em até que ponto o amor empregado na feitura das coisas serve de fato às pessoas. Porque é batata: sempre que recebo um convite pra um jantar, piquenique, qualquer coisa, já começo a maquinar na minha cabeça qual será a receita que vou preparar. E sei que é isso que as pessoas esperam de mim – e a culpa, se é que ela existe, é toda minha. Mas há dias em que há cansaço. Há a falta de tempo. Há a preguiça mesmo. E há dias em que o que bate é aquela certeza de que comprar feito é a melhor opção. Mas fiquei tão habituada a meter a mão na massa sempre que quando não o faço, me sinto meio poser, sabe? Daí, quase sempre acabo me obrigando a ir pra cozinha, afinal, – cozinhar é uma forma de amar os outros – não é? Não. Claro que não. Às vezes, amar os outros é ficar com estes – outros – o tempo que você gastaria cozinhando pra eles e depois limpando toda a bagunça da cozinha. Às vezes, amar os outros é deixar que escolham o que vão comer ao invés de constrangê-los a gostar do que você decidiu e preparou, afinal, você ficou um tempão na cozinha por amor. Continue lendo →

Cerca de 40 organizações estarão representadas no V Fórum da Aliança Evangélica Pró-Ribeirinhos, que acontece nos dias 3 e 4 de março, em Manaus (AM). O encontro tem como propósito reunir pastores, missionários e líderes que atuam junto ao povo ribeirinho da Amazônia, para compartilhar esforços e viabilizar projetos de evangelização em comunidades ainda não alcançadas pelo evangelho.

De acordo com a organização, um dos principais objetivos do fórum é a intenção de estudar e discutir o estabelecimento de parcerias para acelerar a evangelização da região chamada de “Janela Amazônica”. Além disso, o encontro é um espaço para promover momentos de capacitação e reflexão sobre parcerias saudáveis e unidade.

O fórum é destinado a líderes de denominações, mobilizadores, pastores das igrejas locais e de agências missionárias, estrategistas e plantadores de igrejas, professores de missões, pesquisadores, missiólogos, obreiros e missionários que estejam engajados no desafio de alcançar as populações ribeirinhas, ou que desejam, de alguma forma, participar do movimento. Continue lendo →

Por Maycon Barroco

Vivendo alguns anos entre os sertanejos tenho aprendido a viver de uma forma mais simples, cheia de amor e observando a eucaristia do sertanejo.

Essa palavra no grego “Eucharistos” (ações de graças) tem alguns significados importantes presentes na vida sertaneja e que pode nos ensinar bastante, porém quero destacar apenas dois deles: generosidade e gratidão.

Generosidade

A generosidade é uma marca peculiar na vida sertaneja. No livro de Salmos no capítulo 119:16-17, o salmista diz: “Meditarei nos teus preceitos e às tuas veredas terei respeito. Terei prazer nos teus decretos; não me esquecerei da tua palavra. Sê generoso para com o teu servo, para que eu viva e observe a tua palavra.”

A generosidade é o ato de repartir ou fazer algo por alguém. Uma das melhores expressões da generosidade é retribuir o que Deus te deu ou fez em favor do outro. O sertanejo tem essa prática em sua própria cultura. Continue lendo →