Remanso – Com a falta de chuva na nascente do Rio São Francisco, o reservatório de Sobradinho vive a maior seca de sua história (Marcello Casal jr/Agência Brasil)

O semiárido nordestino chegou à sua maior seca do século após cinco anos consecutivos de volume de chuvas abaixo da média histórica. O problema da falta de água atinge cerca de 23 milhões de pessoas e abrange os estados de Alagoas, Bahia, Ceará, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Rio Grande do Norte, Sergipe e norte de Minas Gerais. As informações foram publicadas nesta segunda-feira (9/01) em uma reportagem no site do jornal Estadão.

Dos 533 reservatórios da região monitorados pela Agência Nacional de Águas (ANA), 142 estão secos. Os grandes reservatórios que têm potencial de armazenar mais de 10 bilhões de litros de água estão operando, em média, com apenas 16, 3% da capacidade.

O Estado em pior situação é o Ceará, cujos reservatórios têm apenas 7% da capacidade armazenada. De acordo com Raul Fritz, representante da Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (Funceme), uma seca tão severa como esta, por um período consecutivo, não se via desde 1910, quando passaram a coletar dados sobre as chuvas. Continue lendo →

A Diaconia entra em 2017 com o “pé direito” e razões para celebrar. Em julho, a entidade completa 50 anos dedicados ao trabalho social no Brasil. Além de alegria, o momento histórico traz, também, o início de uma nova fase institucional, com mudanças nas estratégias de trabalho e novos desafios, mas que reafirmam o compromisso da entidade em atuar junto a famílias agricultoras, grupos de mulheres, jovens e igrejas parceiras.

A coordenadora político pedagógica da Diaconia, Waneska Bonfim, explica que a nova estratégia está voltada para o fortalecimento de temáticas específicas nas áreas de atuação da entidade, aproveitando as potencialidades de cada região: a convivência com as mudanças climáticas, no Sertão do Pajeú e Oeste Potiguar; a relação entre Gênero e o trabalho com Igrejas, em Recife e Fortaleza; e a ação com grupos juvenis comunitários, no Recife.

“Há um forte interesse em manter a cooperação para troca de experiências e metodologias desenvolvidas pela Diaconia ao longo dos anos. Mesmo com a reconfiguração de parcerias históricas, isso nos consolida como referência em iniciativas de convivência com o Semiárido, através da Agroecologia, e no trabalho das relações de gênero junto às igrejas, por exemplo”, afirma Bonfim.
Ao longo do ano, novidades sobre os 50 anos da Diaconia serão divulgadas no site e nas redes sociais da entidade.

****
Fonte: Diaconia.

Atualmente a realidade vem sendo transformada de acordo com as guerras, desastres naturais, crises, corrupção e etc. Com isso, há diversas comunidades que vivem uma realidade avessa as descritas como ideais, todo os dias. Para atender e transformar vidas atingidas por essa realidade, o Projeto Grão de Trigo, desenvolvido pela Rede Evangélica de Marabá (REMAR), uma filiada do RENAS que, em parceria com a Convenção Batista de Carajás – Pará (COBAC), oferece capacitação e treinamento na elaboração de projetos sociais para as Igrejas.

No fim de 2016, um grupo de irmãos da Igreja Batista Luz do Evangelho, em Marabá, sudeste do Pará, liderada pelo pastor Pedro de Oliveira Tavares, realizou diversas ações de impacto social no bairro onde a Igreja fica localizada.

“Um choque de realidade”. Foi esse o sentimento dos participantes.

Analisando o cenário

Antes de agir, o grupo se dividiu em três equipes. Distribuídos pelas ruas do bairro, eles mapearam a situação dos habitantes.

  • Entrevistaram os moradores e se informaram sobre as principais deficiências nos serviços públicos;
  • Observaram as necessidades na infraestrutura do bairro (ruas, escolas, postos de saúde);
  • Ouviram as histórias das pessoas e conheceram a realidade das famílias.

Continue lendo →

Não é novidade a diversidade linguística do nosso país. Para qualquer canto que você vá, certamente vai ouvir palavras desconhecidas, gírias esquisitas e sotaques peculiares. São aspectos que, em algum momento, podem até lhe fazer rir por parecer engraçado, mas são traços que compõem a identidade cultural, seja do nordestino ou do nortista.

Essa variedade linguística é tão importante, que se a pessoa não tiver um conhecimento mínimo das diferenças de vocabulário, por exemplo, poderá ofender alguém, sem perceber, ou criar uma grande confusão. Seja para uma conversa comum no dia-a-dia, ou mesmo para comunicar o evangelho de forma eficaz, é necessário conhecer essas diferenças e se munir de um repertório básico.

Quer conhecer um pouco mais sobre a diversidade linguística da região Nordeste? Veja o que selecionamos para você:

Dicionário do Nordeste

Editado e publicado em 2013, o Dicionário do Nordeste chega à sua terceira edição com mais de dez mil verbetes da linguagem regional e coloquial nordestina. É fruto de 21 anos de trabalho de pesquisa do jornalista e escritor pernambucano Fred Navarro. A publicação foi possível a partir da parceria entre a Editora Diário Oficial de Sergipe (Edise) e a Companhia Editora de Pernambuco (Cepe).

Continue lendo →

Acontece no período de 23 a 27 de janeiro de 2017, a Semana de Capacitação em Desenvolvimento Comunitário (SCDC). O encontro é promovido pela Missão Alef e acontece em Natal, Rio Grande do Norte.

O evento tem como objetivo equipar pastores e líderes de igrejas e organizações cristãs que desejam trabalhar para a transformação de suas comunidades. Além de focar em desenvolver qualidades de liderança, gestão de projetos, mobilização de colaboradores, o encontro quer ainda oferecer ferramentas práticas para o diagnóstico de comunidades, desenho de projetos e outros princípios fundamentais para o desenvolvimento comunitário.

*****
Serviço
Evento: Semana de Capacitação em Desenvolvimento Comunitário.Local: Natal, Rio Grande do Norte.
Data: 23 a 27 de janeiro de 2017.
Realização: Missão Alef.

SAIBA MAIS E PARTICIPE!

Nos últimos anos, muitos esforços têm sido empreendidos para levar o evangelho a povos indígenas ainda não-alcançados, dentro do Brasil. Um exemplo é o ministério Janela Verde, fundado pelo pastor sul-coreano Joshua Hyontaek Chang. Ele nasceu em um lar cristão, mas se converteu apenas aos 17 anos, na Bolívia. O chamado para a obra missionária surgiu a partir de um clamor que ouviu de um líder Terena, no Mato Grosso do Sul, e atualmente desenvolve um vasto trabalho junto aos povos indígenas, por meio do Ministério Janela Verde e do Conplei.

Em entrevista recente publicada no site da Junta de Missões Nacionais da Convenção Batista Brasileira, o pastor Joshua fala um pouco sobre sua trajetória, os desafios para evangelização dos povos indígenas e como a igreja brasileira pode contribuir para que o evangelho chegue a estes povos. Confira:

***

JMN – Como foi sua conversão?

Pr. Joshua – Eu nasci numa família cristã na Coréia do Sul. Meus pais eram cristãos perseguidos durante a guerra da Coréia e tiveram que fugir para o Sul durante a divisão. Embora nascido num berço cristão, eu não tinha entregue minha vida para Jesus até uns três meses antes de completar meus 18 anos, em Santa Cruz de la Sierra, Bolívia. Foi num retiro das Igrejas Batistas da Bolívia com participação de várias igrejas internacionais. Eu não havia ido para participar, mas Deus foi trabalhando em mim até que finalmente, na última noite, eu entreguei minha vida para Jesus. Isto foi em 1982 antes de mudar-nos para o Brasil. Continue lendo →

SÉRIE REVELAR – Estudo Bíblico

Foto: Pixabay.com

Foto: Pixabay.com

Questões a ponderar: Tem conhecimento da existência de pessoas portadoras de deficiência na sua comunidade? Como são tratadas as pessoas portadoras de deficiência na sua comunidade? São tratadas com dignidade e respeito? Ou são evitadas e desprezadas? São tratadas com receio e estigma? São bem recebidas na igreja?

Calcula-se que, a nível global, existam 15% de pessoas a viver com deficiências – o que significa aproximadamente mil milhões de pessoas. As pessoas portadoras de deficiência são frequentemente as pessoas mais marginalizadas e mais pobres nas nossas comunidades. Infelizmente, podem enfrentar estigma (quando as pessoas têm atitudes negativas para com elas) e discriminação (quando as pessoas as tratam de maneira diferente por motivo da sua deficiência).

Frequentemente, a questão da deficiência não é falada. Por vezes, as pessoas portadoras de deficiência são até escondidas e mantidas longe da vista por causa da vergonha e de mal-entendidos. A deficiência pode ser um “problema escondido” que necessita de ser revelado. Continue lendo →