Poesia fotográfica – texto de Zenilda Lua e foto de John Medcraft Ando incompleta de vazios. Em tudo dei de achar graça. Passei da angústia dolorida para um sentimento docíssimo que imita o cintilar dos lírios brandos. Aprendo de azul mais que tudo. Aprendo também de milagres, de pássaros, de cânticos e até de miçanga […]

Continue lendo →

Por Gladir Cabral Autran Dourado, em sua obra “O Risco do Bordado”, propõe a escrita do romance como metáfora da bordadura. Refletindo sobre o mistério da memória e os caminhos e descaminhos da vida, já quase ao final da história, o narrador pondera: “Mas de um homem sempre alguma coisa fica, quando nada nas lembranças, […]

Continue lendo →

Poesia fotográfica, por Zenilda Lua e e John Medcraft Estenda o teu olhar nas minhas quermesses prenda tua alma na forquilha de meus sublimes “que Eu te guiarei continuamente serás como um jardim regado por um manancial cujas águas nunca faltam.” Zenilda Lua • Zenilda Lua, nascida em Patos (PB), reside atualmente em São José […]

Continue lendo →